Seguir o O MINHO

País

Vila Galé dá prémios aos melhores chefs de Portugal

Concurso gastronómico em todo o país

em

A Vila Galé quer descobrir os melhores chefs de Portugal. Para isso, o segundo maior grupo hoteleiro português acaba de lançar o concurso “Jovens Cozinheiro Vila Galé”.

Destinada a jovens entre os 18 e os 35 anos com formação em cozinha, esta iniciativa decorrerá em várias fases.

A primeira prolonga-se até 31 de março, período no qual os interessados em concorrer devem apresentar currículo e duas receitas: uma de prato principal de peixe e uma de prato principal de carne.

As receitas propostas deverão ter em conta uma confeção sustentável, os sabores e as tradições regionais, mas também a inovação e o custo moderado dos ingredientes. Terão também obrigatoriamente de incluir azeite Santa Vitória, uma marca Vila Galé.

Os candidatos deverão concorrer através do microsite criado exclusivamente para este efeito – em https://jovenscozinheiros.vilagale.com/. É aqui que estão disponíveis o formulário de participação, as fichas técnicas para download e o regulamento do concurso.

A segunda fase, de 1 a 30 de abril, consistirá na seleção dos seis melhores candidatos de cada região: Norte, Centro, Lisboa, Alentejo, Algarve e Madeira.

Serão depois chamados em maio para prestar provas regionais. Terão de executar as suas receitas na presença do júri, sendo de seguida apresentados ao público num jantar a realizar num hotel Vila Galé.

O público e o júri escolherão o melhor concorrente de cada região.

Por fim, em junho, os vencedores das eliminatórias regionais vão encontrar-se na final nacional. Voltarão a confecionar os seus pratos e a ser avaliados pelo júri e pelo público, elegendo-se dessa forma o Jovem Cozinheiro Vila Galé 2019.

“Lançámos este concurso para encontrar os jovens promissores nesta área profissional. Mas, além de pretendermos estimular a criatividade, a inovação e as oportunidades de carreira na cozinha, também queremos divulgar a gastronomia regional e os produtos portugueses. Acreditamos que vamos receber propostas de muita qualidade porque sabemos que há muito talento em Portugal” explica o administrador da Vila Galé, Gonçalo Rebelo de Almeida.

Quanto a prémios, cada vencedor regional ganha um contrato de trabalho na Vila Galé, uma semana de férias (sete noites) num dos 23 hotéis do grupo em Portugal para duas pessoas e um prémio Santa Vitória, com vinho e azeite.
O vencedor nacional receberá adicionalmente mil euros.

Os segundos e terceiros classificados por região serão contemplados com um prémio Santa Vitória e um fim-de-semana (duas noites) para duas pessoas numa das unidades Vila Galé em Portugal.

Anúncio

País

Os números do Euromilhões

Sorte

em

Foto: O MINHO

É esta a chave do sorteio do Euromilhões desta terça-feira, 18 de fevereiro: 11, 32, 34, 38 e 47 (números) e 2 e 10 (estrelas).

Em jogo para o primeiro prémio está um valor de 27 milhões de euros.

Continuar a ler

País

Treze condenações por discriminação racial desde 2007 e todas no mesmo ano

Dados do Ministério da Justiça (MJ)

em

Os tribunais portugueses condenaram 13 pessoas pelo crime de discriminação racial ou religiosa desde 2007, e todas em 2008, enquanto as polícias têm registado um aumento das queixas deste crime nos últimos seis anos, segundo estatísticas da Justiça.

Dados do Ministério da Justiça (MJ) avançados à Lusa indicam que 13 pessoas foram condenadas pelo crime de discriminação racial ou religiosa e crime de discriminação e incitamento ao ódio e à violência desde 2007, ano em que se começou a detalhar este tipo de crime, e até aos últimos dados disponíveis, de 2018.

O ano das 13 condenações coincide com o julgamento do grupo de extrema-direita, liderado por Mário Machado, que culminou com a punição vários dos 36 arguidos por crimes que incluíam discriminação racial.

O MJ frisa que a contabilização dos condenados tem em conta o crime mais grave pelo qual foram condenados.

Estes dados foram fornecidos à Lusa dois dias após a ocorrência de insultos racistas ao futebolista Moussa Marega no jogo entre Vitória SC e FC Porto.

Números da Direção-Geral da Política de Justiça (DGPJ) indicam que as queixas de crimes de discriminação racial ou religiosa registados pelas polícias aumentaram mais de cinco vezes entre 2012 e 2018, passando de 12 para 63.

De acordo com a DGPJ, em 2013 registaram-se 12 queixas de crimes, passando para 19 em 2014, número que se mantém em 2015, voltando a aumentar em 2016 para 25, em 2017 subiu novamente para 48 e em 2018 verificou-se um novo aumento de casos, situando-se nos 63.

As estatísticas da Direção-Geral da Política de Justiça mostram que 56 pessoas foram constituídas arguidas e 51 condenadas em 2018 por crimes relacionados com o desporto, tendo sido realizados 39 julgamentos e a maior parte das condenações foi por venda irregular de bilhetes, seguindo-se invasão de campo, arremesso de objetos ou tumultos.

Dos dados da DGPJ sobre crimes relacionados com o desporto constam estatísticas de 2009 a 2018, sendo o ano 2009 aquele em que se realizaram mais julgamentos (45), seguido de 2010 (44) , 2012 (43), 2017 (34), 2018 (39), 2011 (37), 2013 e 2016 (34) , 2015 (29).

Já o maior número de condenados aconteceu em 2012 (73), número que foi baixando em todos os anos até 2016 (32) e voltou a subir em 2017 (42) e em 2018 (51).

Dados disponíveis no site da Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR) indicam que metade das condenações publicitadas, no âmbito de processos administrativos por racismo, está relacionada com o desporto, no âmbito do qual foi aplicada a multa mais pesada, no valor de 1.500 euros.

O registo público de decisões condenatórias da CICDR apresenta um total de 18 processos, nove dos quais relacionados com manifestações de racismo em espetáculos desportivos, instaurados pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) e a Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto (APCVD).

O avançado do FC Porto Marega recusou-se, no domingo, a permanecer em jogo contra o Vitória SC e abandonou o campo, ao minuto 71, após ter sido alvo de insultos racistas por parte dos adeptos do clube vimaranense, numa altura em que os “dragões” venciam por 2-1, resultado com que terminou o encontro da 21.ª jornada da liga.

Vários jogadores de ambas as equipas tentaram demovê-lo, mas Marega, que já alinhou no Vitória e tinha marcado o segundo golo dos “azuis e brancos”, mostrou-se irredutível e foi substituído por Manafá, depois de o jogo ter estado interrompido cerca de cinco minutos.

Fonte da Polícia de Segurança Pública (PSP) confirmou à Lusa a identificação de várias pessoas suspeitas de dirigirem cânticos e insultos racistas a Marega, sem adiantar o número de suspeitos, acrescentando que continua a efetuar diligências para identificar outros envolvidos.

O Ministério Público instaurou um inquérito na sequência deste incidente, que já mereceu a condenação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do primeiro-ministro, António Costa, entre outros.

Este comportamento configura um crime previsto no Código Penal punido com prisão de seis meses a cinco anos e uma contraordenação sancionada com coima entre 1.000 e 10.000

Continuar a ler

País

Telmo Correia eleito líder parlamentar do CDS por unanimidade

Substitui Cecília Meireles

em

Foto: youtube.com / DR

O deputado Telmo Correia foi esta terça-feira, eleito presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP, sucedendo a Cecília Meireles, numa votação em que contou com os votos favoráveis dos restantes quatro eleitos centristas.

O anúncio foi feito no parlamento pelo próprio, numa declaração aos jornalistas na Assembleia da República, em Lisboa.

Telmo Correia regressa à liderança da bancada parlamentar, lugar que já ocupou por duas vezes, depois de a deputada Cecília Meireles ter manifestado vontade de deixar o cargo que ocupava desde o ano passado.

Continuar a ler

Populares