Seguir o O MINHO

Alto Minho

Vídeo da Romaria D’Agonia em Viana banido do Facebook por denúncias de racismo

Autores do vídeo contestaram

em

Um vídeo alusivo à Romaria d’Agonia lançado pela escola de dança “Arte em Movimento”, de Viana do Castelo, que já se tinha tornado viral, foi banido do Facebook e Instagram devido a denúncias de racismo. A canção escolhida para o vídeo,  que não é oficial do evento, pode estar na origem da polémica.

A “Arte em Movimento” deu conta do sucedido nas redes sociais: “Recebemos a infeliz notícia de que o vídeo Stand Up foi removido dadas as denúncias de racismo contra o mesmo, totalmente incompreendidas da nossa parte”.

“Recebemos uma notificação do Instagram a dizer que o vídeo tinha sido retirado por várias denúncias de racismo, foi única e exclusivamente essa a informação que nos deram”, explica a O MINHO Susana Domingues, diretora da escola de dança.

Susana Domingues adianta que já contestou ontem a decisão do Facebook: “Quando há denúncias em número considerável, o Facebook remove o conteúdo e, só após contestação, reavalia. Pedimos mais informações, para tentar perceber onde está o racismo neste vídeo e qual a justificação para o terem retirado. A única informação que temos é que ia ser reavaliado e até à data aguardamos alguma resposta”.

Na origem das denúncias estará a canção escolhida para o vídeo. O tema “Stand Up'” foi gravado pela cantora negra Cynthia Erivo para o filme Harriet (2019), protagonizado pela própria. Trata-se da história da abolicionista da escravatura e ativista norte-americana Harriet Tubman.

Em alguns comentários ao vídeo, foi levantada a questão da apropriação cultural.

“A música no vídeo retrata as lutas do povo negro. É apropriação pegarem nesta música e pô-la num vídeo como este. A música não vos pertence”, escreveu uma utilizadora do Facebook num dos comentários.

“Entre 500 mil comentários que temos maravilhosos, há ali uns 20 que fazem alusão à música. É uma crítica completamente destrutiva e estávamos completamente surpresos”, sublinha Susana Domingues, considerando que essas pessoas “estão a fazer uma interpretação totalmente errada do sentido desta música”.

“Utilizámos a música porque passa incrivelmente uma força de união. Foi uma música utilizada e criada para um filme, mas não quer dizer que não possa ser utilizada noutros contextos. A mensagem que encontramos na música era exatamente a que queríamos partilhar. Faz sentido mantermos essa música que é de força e de um povo unido”, realça a diretora da escola de dança, reconhecendo que as denúncias terão surgido “por aí”.

“[Essas] pessoas falam sem conhecimento de causa. Quem está a falar nem consegue perceber a real mensagem do filme, que nós sabemos qual é, nem porque é que a música foi criada para o filme. O curioso é que quer a música, quer o filme têm a mensagem de vamos acabar com o racismo. Somos um povo unido, vamos para a frente, é essa a mensagem. Criámos uma analogia ao nosso estado atual e usámos aquela música, porque achámos que toda a gente ia entender a mensagem. E assim foi, senão não teria tido a proporção que teve. Não percebemos onde está o racismo”, conclui a responsável.

Entretanto, o vídeo, que se mantém no You Tube, foi publicado novamente através da conta pessoal de Susana Domingues, uma vez que na página da “Arte em Movimento” não é possível.

“Se o objetivo deste vídeo foi única e exclusivamente transmitir uma mensagem de força ao povo português, agora, mais do que nunca, pedimos a todos os portugueses que nos ajudem a mostrar nossa real força”, refere a “Arte em Movimento”.

O vídeo “Stand Up” retrata a “garra e força” do povo de Viana do Castelo e viaja pelos trajes com os grupos de folclore de Vila Franca e de Castelo do Neiva e pela tradição bem patente todos os anos nas festas da Senhora d’Agonia.

Com direção artística de Susana Domingues, o vídeo tem edição de André Cardoso e a coreografia é da Cristiana Neto.

Notícia atualizada às 16h38 com a informação de que não se trata de um vídeo oficial da romaria.

Populares