Seguir o O MINHO

Alto Minho

VianaPolis quer levar a demolição do prédio Coutinho até ao fim

em

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, revelou na sexta-feira, em Viana do Castelo, que vai prolongar a atividade da VianaPolis até 31 de dezembro de 2016, mantendo inalterado o seu objeto social, a demolição do prédio Coutinho.

“Naturalmente que a atividade da sociedade vai ser prolongada. Isso terá que acontecer até final deste ano. Há, de facto, ainda um objeto social da VianaPolis por cumprir, e queremos levar até ao fim”, afirmou o governante, à margem da inauguração das obras de requalificação da frente ribeirinha do núcleo do Cabedelo, em Viana do Castelo.

A VianaPolis mantém-se ativa com o único propósito de demolir o edifício Jardim, mais conhecido por prédio Coutinho, que já chegou a ser habitado por 300 pessoas, restando hoje cerca de 40, e a sua atividade tem sido consecutivamente prolongada nos últimos anos, fruto desta indefinição.

A sociedade VianaPolis é detida em 60% pelos ministérios do Ambiente e das Finanças e 40% pela Câmara de Viana do Castelo.

Com 13 andares, o edifício, conhecido como “Prédio Coutinho”, tem demolição prevista desde 2000, ao abrigo do programa Polis, para ali ser construído o novo mercado municipal.

Contudo, desde 2006 que a expropriação do edifício está suspensa devido às cinco ações interpostas pelos moradores que contestam a operação da VianaPolis, detida a 60 por cento pelos ministérios do Ambiente e das Finanças e 40 por cento pela Câmara de Viana do Castelo.

Segundo os últimos números oficiais da sociedade VianaPolis das 105 frações que constituem aquele prédio, 47 foram já adquiridas por acordo, 16 pela via litigiosa, enquanto em 42 – abrangidas pelos processos movidos pelos moradores – a expropriação ficou suspensa.

Anúncio

Ponte de Lima

Antiga escola primária em Ponte de Lima transformada em centro cultural e comunitário

Investimento de cerca de 400 mil euros

em

Foto: Google Maps

A antiga escola primária da freguesia de Anais, em Ponte de Lima, vai ser transformada em centro cultural e comunitário num investimento de cerca de 400 mil euros, informou esta sexta-feira a Câmara local.

Em comunicado, a autarquia do distrito de Viana do Castelo adiantou que o auto de consignação da empreitada vai ser assinado no dia 18, na antiga escola primária de Anais.

O objetivo do investimento de 376.632 euros (+ IVA a 6%), passa pela “criação de um equipamento que reúna no mesmo espaço diversas valências e que responda às exigências atuais ao nível do conforto térmico, e do cumprimento da legislação em vigor, em termos de acessibilidades e segurança contra incêndios”.

A proposta de intervenção “visa recuperar o imóvel para fins culturais, recreativos e de associativismo, fazendo alterações significativas ao nível da compartimentação interior e da requalificação da cobertura”.

Continuar a ler

Alto Minho

Valença: Padre Ricardo é notícia no “El País” depois de aparecer em videoclip de rock

Padre portugûes é fenómeno ibérico

em

Foto: Youtube / DR

O Padre Ricardo Esteves, conhecido como o “padre sexy” pela imprensa, foi “descoberto” pela televisão espanhola depois de ter entrado, vestido de anjo, no videoclip de uma banda de rock de Viana do Castelo.

Canais como a Telecinco e La Sexta fizeram até peças informativas sobre Ricardo. O jornal El País frisou o facto do video musical já contar com mais de 50 mil visualizações no YouTube.

Foto: Youtube / DR

Este sacerdote que serviu as suas paróquias durante mais de dez anos e depois se tornou modelo, foi notado em Espanha, não só pela sua aparência, como também pelo seu altruísmo.

O canal Telecinco notou que o “padre aproveita a sua fama para fazer colaborações pagas com diversas marcas e doa todo o dinheiro angariado”.

Em uma das entrevistas que deu por Espanha, este padre, que “enche missas”, referiu não se reflectir no termo “sexy” que lhe é apelidado.

Padre “motard” enche igrejas nas primeiras missas em Valença

Prefere pensar em sí próprio antes como um padre cool que aprecia a sua juventude, organizar festas e divertir-se.

Com 36 anos de idade, o padre Ricardo Esteves está atualmente à frente  de cinco paróquias de Valença: Taião, Sanfins, Boivão, Gondomil, e Gandra.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana do Castelo compra ex-pavilhão da AIMinho por 1,3 ME para centro de congressos

Imóvel situado no Campo d’Agonia

em

Foto: Divulgação

A Câmara de Viana do Castelo assinou, esta sexta-feira, com o administrador de insolvência da Associação Industrial do Minho (AIMinho) a escritura de aquisição, por 1,3 milhões de euros, de um antigo pavilhão para o transformar em centro de congressos.

O imóvel, situado no Campo d’Agonia, encontrava-se à venda na sequência de uma decisão judicial que determinou a “liquidação e encerramento” da AIMinho, depois de a assembleia de credores ter rejeitado um plano para recuperar a instituição da insolvência, devido ao voto contra do Novo Banco, que tem um crédito de cinco milhões de euros.

Hoje, em comunicado enviado à imprensa, a Câmara da capital do Alto Minho explicou que o espaço adquirido “é composto por um pavilhão para exposições, um edifício de apoio administrativo, um auditório e de um terreno adjacente ao pavilhão de exposições”.

“A Câmara Municipal de Viana do Castelo pretende refuncionalizar o espaço para criar um centro de congressos com uma sala expositiva para 500 pessoas, um auditório para 150 pessoas e uma sala de exposições”, especifica a nota.

O município liderado pelo socialista José Maria Costa adiantou que “as obras de requalificação das instalações do antigo centro empresarial estão já previstas e orçamentadas no Plano de Atividades e Orçamento para 2020 e 2021”.

Na gestão do futuro edifício, adiantou a autarquia, “permanecerá” a Escola Profissional – ETAP, atualmente instalada naquele edifico, “para o qual será celebrado um protocolo de cooperação de cedência de parte das instalações, bem como o modelo de gestão”.

A Câmara de Viana do Castelo justificou a criação do novo centro de congressos com a necessidade de “dar resposta em termos de disponibilização de espaços às inúmeras solicitações que tem vindo a registar para a realização de eventos e de congressos nacionais e internacionais na cidade”.

O novo espaço de congressos “irá beneficiar da centralidade das instalações, da proximidade de um parque de estacionamento, que permite o acesso rápido ao centro histórico e às diversas unidades hoteleiras, restauração e comércio tradicional da cidade”.

“O equipamento assumirá, assim, um papel importante na dinamização económica e na atratividade do concelho”, sustenta a autarquia.

Em maio, a Câmara aprovou, por unanimidade, a compra, por 1,3 milhões de euros, do pavilhão, através de um empréstimo de 12 anos para financiamento daquela operação.

Além da aquisição do imóvel e da contração do empréstimo, o executivo municipal aprovou ainda, também por unanimidade, uma segunda revisão orçamental “para introdução daquela operação nas contas de 2019” e incluir, “no orçamento de 2020, uma verba de um milhão de euros para a realização de intervenções no imóvel a candidatar a fundos comunitários”.

O imóvel possui uma área de terreno total de 8.600 metros quadrados, uma área do pavilhão de 3.100 metros quadrados, uma área de receção/entrada com 380 metros quadrados e uma área de serviços/gabinetes de 750 metros quadrados.

Em setembro de 2018, o Ministério Público (MP) acusou 126 arguidos, 79 pessoas singulares e 47 empresas, no âmbito de um processo-crime sobre ganhos ilícitos de quase 10 milhões de euros com projetos relacionados com a AIMinho e cofinanciados pela União Europeia.

Os 126 arguidos vão responder por crimes de associação criminosa, fraude na obtenção de subsídios, burla qualificada, branqueamento, falsificação e fraude fiscal qualificada, remontando os factos ao período entre 2008 e 2013.

Continuar a ler

Populares