Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Viana reabilita antiga carruagem do funicular de Santa Luzia

Património

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

A Câmara de Viana do Castelo vai avançar com o arranjo paisagístico e com a reabilitação de uma antiga carruagem do funicular de Santa Luzia, num investimento que rondará os 16 mil euros, informou hoje aquela autarquia.


Numa nota enviada à imprensa, o município adiantou que o projeto prevê “a construção de um percurso pedonal desde a entrada do edifício que alberga a sede do Grupo de BTT e a área envolvente à carruagem”.

Inclui ainda a consolidação de um muro de suporte, a colocação de painel informativo descritivo do historial cronológico do elevador de Santa Luzia e ainda mobiliário urbano.

A intervenção inclui ainda a recuperação geral da carruagem.

O funicular de Santa Luzia tem um percurso de 650 metros que leva cerca de oito minutos a completar, sendo considerado o mais extenso do género no país. Foi construído por iniciativa do empresário e engenheiro portuense Bernardo Pinto Abrunhosa, e inaugurado a 02 de junho de 1923.

Anúncio

Viana do Castelo

Um anúncio triste para o ‘mundo metaleiro’. Barroselas Metalfest só em 2022

Cultura

em

Foto: SWR Barroselas Metal Fest / Facebook (Arquivo)

A 23.ª edição do Barroselas Metalfest, que deveria ter acontecido este ano e foi adiada para 2021, afinal só irá acontecer em 2022, anunciou a organização, referindo que “estes tempos sombrios” não permitem um festival “como nos velhos tempos”.

O adiamento do festival, que decorre em Barroselas, localidade do concelho de Viana do Castelo, foi anunciado pela organização numa publicação na página oficial do Barroselas Metalfest na rede social Facebook.

“Estes tempos sombrios não nos permitem imaginar Barroselas como nos velhos tempos nem o nosso coração aceita um novo desfecho dececionante. Mesmo correndo o risco de voltar a errar, preferimos adiar o SWR Barroselas Metalfest 23 para 28 abril – 01 maio 2022 e encarar o futuro com otimismo e bom senso”, lê-se na publicação.

A 23.ª edição do festival deveria ter acontecido entre 29 de abril e 02 de maio deste ano, mas foi adiada devido à pandemia da covid-19. No final de março, a organização anunciou que a 23.ª edição iria realizar-se nos mesmos dias, entre 29 de abril e 02 de maio, mas em 2021.

A organização refere que, até 2022, irá “aproveitar para trabalhar novas ideias e preparar mais uma edição com calma e ponderação”.

“É muito triste, mesmo deprimente e até revoltante, mas um guerreiro será sempre um guerreiro! Os bilhetes comprados continuam válidos para 2022 e assim que possível informaremos acerca dos procedimentos de reembolso”, afirma.

O Barroselas Metalfest é o primeiro festival de música português a ser adiado de 2021 para 2022.

A pandemia da covid-19 fez com que este ano não se realizassem um pouco por todo o mundo os habituais festivais de música, que juntam milhares de pessoas e se concentram sobretudo nos meses de verão.

Em Portugal, as edições de 2020 dos festivais começaram em abril a serem adiadas para 2021.

Mas, foi só em maio, com o anúncio da proibição da realização de “festivais e espetáculos de natureza análoga” até 30 de setembro, e a posterior aprovação na Assembleia da República, que muitas organizações tomaram a decisão de adiar as edições de 2020.

No entanto, este tipo de espetáculos seria permitido com lugares marcados e o cumprimento de regras que permitam o distanciamento social.

No caso dos adiamentos, os portadores de bilhete tiveram direito a pedir a troca do mesmo por um vale “de igual valor ao preço pago”, válido até 31 de dezembro de 2021, e que pode ser utilizado na “aquisição de bilhetes de ingresso para o mesmo espetáculo a realizar em nova data ou para outros eventos realizados pelo mesmo promotor”.

Caso o vale não seja usado até 31 de dezembro de 2021, “o portador tem direito ao reembolso do valor do mesmo”, podendo pedi-lo a partir de 01 de janeiro de 2022, e “no prazo de 14 dias úteis”.

Entretanto, no final de setembro, o Governo decidiu prolongar a proibição da realização de “festivais e espetáculos de natureza análoga” até 31 de dezembro deste ano.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana também ficou em casa em tarde de recolher obrigatório

Estado de emergência

em

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

A população de Viana do Castelo acatou ordeiramente a ordem de recolher obrigatório decretado a partir das 13:00 horas deste sábado e até às 08:00 de domingo, conforme se pode ver no registo fotográfico.

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Na madrugada de 08 de novembro, o país ficou a saber pelo primeiro-ministro, António Costa, que a circulação ia ser limitada nos dois fins de semana seguintes, entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira, nos 121 concelhos de maior risco de contágio pelo novo coronavírus (vão aumentar para 191 a partir de segunda-feira).

No âmbito do estado de emergência decretado devido à pandemia de covid-19, o Governo decidiu também instaurar um recolher obrigatório entre as 23:00 e as 05:00 nos dias de semana, entre 09 e 23 de novembro (enquanto vigora o estado de emergência, que tem uma validade de 15 dias, podendo ser renovado), nos concelhos mais afetados, com o comércio a encerrar até às 22:00 e os restaurantes até às 22:30.

Esplanadas ‘fantasma’ e pedras da calçada. Assim ficou Guimarães a um sábado à tarde

Seguiu-se uma semana de contestação e manifestação de dúvidas em relação às exceções da medida, por parte de várias associações comerciais que representam o comércio e a restauração.

Assim, na quinta-feira, o Governo decidiu ordenar o encerramento do comércio e restauração às 13:00, neste e no próximo fim de semana.

Ficou também definido que a abertura dos estabelecimentos só pode ocorrer a partir das 08:00.

“A regra é tudo fechado às 13:00”, disse o primeiro-ministro, António Costa, em conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros, referindo-se aos concelhos com risco elevado de contágio de covid-19.

Ruas de Fafe vazias perante olhar atento da GNR

Os restaurantes só podem funcionar a partir das 13:00 para entrega ao domicílio, clarificou o primeiro-ministro, e não para ‘take away’, como esperavam os empresários do setor.

António Costa anunciou ainda que haverá um apoio de 20% da perda de receitas dos restaurantes nos dois fins de semana face à média dos 44 fins de semana anteriores (de janeiro a outubro 2020).

Fora da obrigatoriedade de fechar a partir das 13:00 e de abrir apenas a partir das 08:00 estão as farmácias, clínicas e consultórios, veterinários, estabelecimentos de venda de bens alimentares com porta para a rua até 200 metros quadrados, bombas de gasolina, padarias e funerárias.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Mercadona de Viana abre antes do Natal

Economia

em

Mercadona da Trofa. Foto: Fernando André Silva / O MINHO

A loja do grupo espanhol Mercadona prevista para Viana do Castelo vai abrir no próximo dia 02 de dezembro. Esta será a primeira loja da cadeia de hipermercados no Alto Minho, a terceira no Minho e a vigésima em Portugal.

Com lojas em Barcelos e Braga, a Mercadona pretende solidificar-se na região Norte de Portugal. No passado mês de setembro, abriu loja na Trofa, distrito do Porto, mas mesmo na fronteira com o concelho de Famalicão. Há também uma loja em Tui, a poucos quilómetros de Valença.

O primeiro hipermercado da marca abriu em julho de 2019, em Vila Nova de Gaia. “Vamos começar por abrir 10 supermercados este ano na região do Porto, Aveiro e Braga, e vamos continuar por aí abaixo até Lisboa”, disse na altura Juan Roig, presidente da empresa espanhola, que indicou que o objetivo futuro será abrir até 150-200 estabelecimentos, entre os quais 70 na região norte.

O grupo Mercadona tem 27,5% do comércio a retalho de produtos alimentares de grande consumo em Espanha.

(notícia atualizada com retificação da data de abertura para 02 de dezembro)

Continuar a ler

Populares