Seguir o O MINHO

Alto Minho

Viana investe mais de 300 mil euros por ano para pôr 4 mil alunos a fazer desporto

em

A Câmara de Viana do Castelo investe por ano mais de 300 mil euros nos projetos dos desportos náuticos, atletismo, natação e patinagem envolvendo mais de quatro mil alunos nas escolas e jardins-de-infância, disse hoje o presidente da autarquia.

Segundo o autarca socialista José Maria Costa, que falava hoje aos jornalistas à margem da apresentação do projeto “Atletismo nas Escolas”, a aposta “na formação e desenvolvimento desportivo” pretende ser um “incentivo” para a “mudança de mentalidades e comportamentos” dos jovens do concelho.

Lançado há quatro anos, o projeto “Atletismo nas Escolas” é dinamizado pela antiga campeã mundial de maratona Manuela Machado junto do primeiro e segundo anos do primeiro ciclo de ensino básico e conta, este ano letivo, com a participação de mais de mil alunos.

“É um projeto especial por ser animado pela nossa campeã do mundo, um exemplo vivo de mobilização. A Manuela Machado está a está a fazer um ótimo trabalho junto das escolas, de sensibilização de professores e alunos para a prática desportiva, em especial do atletismo”, afirmou o autarca que hoje distribuiu um ‘kit’ aos cerca de 200 alunos de sete agrupamentos escolares do concelho que participaram na apresentação do projeto realizada no estádio municipal Manuela Machado.

“Estamos a despertar para a modalidade. Se as crianças quiserem seguir terão oportunidade de o fazer através das escolas e dos clubes do concelho”, referiu José Maria Costa, explicando que as aulas de atletismo decorrem uma vez por semana, de 15 em 15 dias, durante 45 minutos.

A antiga campeã do mundo Manuela Machado referiu que desde o início deste projeto, há quatro anos, “os clubes de Viana ganharam muito mais atletas”.

Estamos a falar de um aumento superior a 50% no número de atletas. Por exemplo, no meu clube (Cyclones Sports) tinha 15 miúdos e hoje tenho 40“, especificou Manuela Machado.

Manuela Machado disse ainda que “é muito mais difícil ensinar atletismo do que correr porque é preciso ensinar as regras e a respeitar o adversário”.

“É muito complicado trabalhar com as crianças do primeiro e segundo ano porque revelam muita falta de concentração, muita falta de regras e de educação desportiva. Nesta fase, mais importante do que saber se têm potencial para o atletismo é ensiná-los e educá-los porque muitos não sabem correr”, frisou.

Além do atletismo, a autarquia promove ainda o projeto “Náutica nas Escolas” que pretende motivar para a prática de desportos ligados ao mar.

O projeto envolve este ano letivo 1.600 alunos e os clubes náuticos do concelho.

Aquela iniciativa proporciona os alunos a oportunidade de fazerem aulas de surf, canoagem, remo e vela enquanto atividades letivas curriculares nas disciplinas de Educação Física.

As aulas são desenvolvidas nos centros náuticos de remo e vela, na margem direita do rio Lima, e de canoagem, na margem esquerda, construídos pela autarquia num investimento superior a sete milhões de euros, e no Centro de Alto Rendimento de Surf, no Cabedelo.

Àquelas modalidades junta-se a natação, que a autarquia decidiu inserir em 2014 no plano curricular dos alunos do primeiro ciclo, desde que aquela modalidade deixou de integrar as Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC), vai envolver este ano letivo 1.517 alunos.

Já o projeto-piloto da patinagem, iniciado em 2015 nos jardins-de-infância, conta este ano com a participação de 250 crianças e vai permitir, segundo o presidente da Câmara, “aferir da possibilidade de ser alargado a todas as escolas” do concelho.

 

logo Facebook Fique a par das Notícias de Viana do Castelo. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Alto Minho

Arcos de Valdevez: “Ti Maria Casanova” fez 105 anos

Em Cabana Maior

em

Foto: Facebook de Junta de Freguesia de Cabana Maior

Maria Rodrigues Branco, da freguesia de Cabana Maior, concelho de Arcos de Valdevez, celebrou 105 anos de vida na terça-feira.

A “parteira”, que ajudou no nascimento de grande parte dos habitantes do lugar de Bostelinhos, foi agraciada com uma festa de aniversário onde não faltaram amigos, família vinda do estrangeiro e até o presidente da Câmara, de forma a homenagear uma das mulheres mais velhas do concelho.

Foto: Facebook de Junta de Freguesia de Cabana Maior

O segredo, passa por ter quem olhe bem por ela, assinalou a junta de freguesia, através das redes sociais. Apesar de estar mais debilitada, ainda gosta muito de receber o maior número de visitas possível.

Joaquim Campos, presidente da Junta de Freguesia de Cabana Maior, entregou uma lembrança à Ti Maria Casanova, como é conhecida, para assinalar mais uma primavera da anciã.

Foto: Facebook de Junta de Freguesia de Cabana Maior

Já a Câmara de Arcos de Valdevez, através do veredor Olegário Gonçalves, entregou também uma “pequena recordação” a Maria Branco.

Em 2011, Cabana Maior tinha 239 habitantes, segundo o censo nacional. É um dos locais por onde o Núcleo Megalítico do Mezio se estende, junto a uma das portas oficiais do Parque Nacional Peneda-Gerês.

Continuar a ler

Alto Minho

Alto Minho reconhece “esforço” de desconto nas autoestradas, mas “fica aquém”

CEVAL

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL) admitiu hoje que os descontos nas portagens anunciados pelo Governo para sete autoestradas, entre elas a A28, representam um “esforço”, mas considerou que “ficam aquém” das reivindicações da região.

“Obviamente que reconhecemos o esforço, mas fica muito aquém da nossa reivindicação, desde 2010, que é a abolição total das portagens na A28. É uma medida positiva até se caminhar no sentido da isenção total do pagamento de portagens que, esperamos seja rápida”, afirmou Luís Ceia.

A Autoestrada 28 (A28) liga Viana do Castelo – capital do Alto Minho- à cidade do Porto.

A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, anunciou hoje, em Macedo de Cavaleiros, distrito de Bragança, descontos nas portagens de sete autoestradas a partir do terceiro trimestre do ano para os “utilizadores frequentes”.

A governante explicou que se trata de “um desconto de quantidades”, exemplificando que a “partir do oitavo dia até ao 15.º dia haverá um desconto de 20% e a partir do 16.º dia até ao final do mês será um desconto de 40%”.

Contactado pela Lusa, o presidente da CEVAL, estrutura que representa cerca de 5.000 empresas do distrito de Viana do Castelo, disse ainda que a instituição “manter-se ativa na reivindicação de remoção do pórtico de Neiva”, por considerar que os descontos hoje anunciados pelo Governo vieram “reforça a justeza das revindicações” do tecido empresarial da região.

“Esta decisão do Governo dá-nos razão porque o pórtico de Neiva nem sequer ter sido colocado”, referiu.

Em causa está o pórtico de Neiva da A28, antiga SCUT (Sem Custos para o Utilizador) que liga Viana do Castelo ao Porto, situado à entrada de uma zona industrial da capital do Alto Minho e que é considerado “entrave” à atividade empresarial da região.

No dia 15, a Assembleia da República discutiu, em plenário uma petição pela eliminação do pórtico de Neiva da Autoestrada 28 (A28), com mais de sete mil assinaturas e entregue pela CEVAL em 2017.

Na altura, em declarações à Lusa, Luís Ceia disse que a eliminação daquele pórtico garantirá “equidade” no acesso aos distritos de Viana do Castelo e do Porto.

“A eliminação do pórtico reduzirá o custo da viagem, em portagens, do itinerário entre Viana do Castelo e o Porto, e vice-versa, em 0,65 euros para veículos da Classe 1 e em 1,25 euros para veículos da Classe 2, indo até ao encontro da perspetiva do Governo de baixar o custo das portagens nos territórios do interior”, sustentou.

Luís Ceia defendeu ainda, “sem redução de receitas das portagens na ligação entre Viana do Castelo e o Porto, a correção dos valores no pórtico de Modivas, em Vila do Conde”, considerando que a medida “contribuirá para uma maior utilização do metro do Porto”.

“Bastará um aumento de 0,25 euros no valor do pórtico de Modivas para garantir a perda de receita pela eliminação do pórtico do Neiva, que, atualmente, se traduz numa receita mensal de 350 mil euros”, referiu, baseando-se nos dados do estudo que acompanha a petição da CEVAL.

Segundo Luís Ceia, “se o valor for corrigido conduzirá à redução do número de veículos nas entradas e saídas do Porto, mais um passo para a descarbonização da cidade e para a diminuição do tempo da travessia da cidade para quem viaja do Alto Minho e Galiza para o sul e vice-versa”.

Segundo a ministra da Coesão Territorial, nas autoestradas A4, A24, A28, A25, A23, A13 e A22, antigas SCUT, já eram aplicados descontos e estes foram “harmonizados e aumentados”.

Segundo Ana Abrunhosa, estes descontos beneficiam os residentes ou os que se deslocam frequentemente às regiões, quer em termos de atividade económica ou turística.

Relativamente ao transporte de mercadorias, os descontos vão ser aumentados dos 30% para os 35% de dia e de 50% para 55% à noite.

Continuar a ler

Alto Minho

Câmara de Arcos de Valdevez transfere 500 mil euros para 12 Juntas de Freguesia

Montante será aplicado em “obras de beneficiação de edifícios, arranjos urbanísticos e conservação da rede viária”

em

Foto: visitarportugal.pt / DR

A Câmara de Arcos de Valdevez vai apoiar com 500 mil euros a realização de diversas intervenções em 12 das 36 freguesias do concelho, investimento já aprovado em reunião do executivo de maioria social-democrata, informou, esta quarta-feira, a autarquia.

Em comunicado, a autarquia presidida por João Manuel Esteves revelou que aquele montante será aplicado em “obras de beneficiação de edifícios, arranjos urbanísticos, caminhos e à limpeza e conservação da rede viária”.

Segundo a nota do município “com oito daquelas Juntas de Freguesia foram ainda aprovados mais apoios de 70 mil euros, no âmbito da celebração de contratos interadministrativos de delegação de competências para limpeza de rede viária municipal”.

A Câmara de Arcos de Valdevez informou ainda ter aprovado, na última reunião camarária, a aquisição, por 330 mil euros, de um terreno com 22.000 metros quadrados, situado na freguesia de Giela, “para concluir o projeto de uma zona desportiva iniciada há mais de 30 anos”.

“Com a aquisição do terreno, contíguo à atual zona desportiva, a Câmara pretende concluir o complexo desportivo de Arcos de Valdevez, atualmente composto pelo Campo de Futebol da Coutada, do Estádio Municipal e do Estádio de Rugby, onde irá instalar campos de treino e outros equipamentos desportivos”, especifica a nota enviada, esta quarta-feira, à imprensa.

Com a aquisição daquele terreno “também será possível fazer ligação entre os atuais equipamentos desportivos e a zona da piscina municipal”.

“Com este investimento, o município pretende continuar a qualificar e aumentar os equipamentos desportivos e de lazer, dotando o concelho de equipamentos modernos e com capacidade para proporcionar o melhor aos seus utilizadores, apoiar o desporto, permitindo receber competições e estágios de equipas federadas e oferecer às famílias e jovens espaços de recreio e lazer”, refere o documento.

Continuar a ler

Populares