Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Viana insiste na remoção de pórtico na A28: “Para circular no concelho temos de pagar?”

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Câmara de Viana do Castelo disse hoje que vai reunir-se, em março, com o ministro das Infraestruturas para insistir na remoção do pórtico de Neiva da Autoestrada 28 (A28).

“Vou ter uma reunião, em março, com o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, e é um dos temas recorrentes que tenho para abordar. É injusto para as pessoas e as empresas para poderem circular dentro do concelho tenha de pagar uma taxa. É extremamente injusto e tem de ser corrigido”, afirmou José Maria Costa.

O pórtico de Neiva da A28, antiga SCUT (Sem Custos para o Utilizador) que liga Viana do Castelo ao Porto, está situado à entrada de uma zona industrial da capital do Alto Minho e que é considerado “entrave” à atividade empresarial da região.

O autarca socialista, que respondia a uma interpelação da vereadora da CDU, Cláudia Marinho, a propósito do chumbo do projeto de resolução do Bloco de Esquerda que propunha a abolição das portagens naquela autoestrada disse que a localização do pórtico de Neiva “é inaceitável e profundamente injusto para com os cidadãos de Viana do Castelo”.

“O pórtico é altamente penalizador. A população de Viana do Castelo é a única servida pela A28, que está a pagar para circular dentro do próprio concelho”, reforçou.

José Maria Costa defendeu que aquele pórtico deve ser “colocado mais a sul de forma a que a circulação dentro do concelho de Viana do Castelo passe a ser isenta de portagens”.

“Vamos a Esposende e não se pagam portagens, vamos à Póvoa de Varzim e não se pagam portagens, vamos a Vila do Conde e não se pagam portagens, vamos a Matosinhos e ao Porto e não se pagam portagens. Porque é que em Viana do Castelo, para circular dentro do concelho, temos de pagar?”, questionou.

O autarca, que é também presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, estrutura que agrega os dez concelhos do distrito de Viana do Castelo, saudou os descontos anunciados, na quarta-feira, pela ministra Coesão Territorial para sete autoestradas.

“O Governo deu um bom final, ao reduzir o valor das portagens. É a segunda vez redução que temos na A28. É uma atitude muito positiva, mas agora temos de passar ao segundo momento que é a relocalização do pórtico de Neiva, para que os vianenses estejam em situação de equidade com os cidadãos de outras localidades. Não estamos a pedir mais, nem menos. Pedimos o mesmo tratamento que outros concelhos”, acrescentou.

Na quarta-feira, a ministra da Coesão Territorial anunciou, em Macedo de Cavaleiros, descontos nas portagens de sete autoestradas a partir do terceiro trimestre do ano para os “utilizadores frequentes”.

“Vai ser posto em prática no terceiro trimestre deste ano. Estamos a falar de um desconto de quantidade para os veículos classe 1 quer classe 2”, afirmou Ana Abrunhosa, que falava à margem de uma visita no âmbito da iniciativa “Governo mais próximo”, no distrito de Bragança.

Ana Abrunhosa explicou que se trata de “um desconto de quantidades”, exemplificando que a “partir do oitavo dia até ao 15.º dia haverá um desconto de 20% e a partir do 16.º dia até ao final do mês será um desconto de 40%”.

Nas autoestradas A4, A24, A28, A25, A23, A13 e A22, antigas SCUT, já eram aplicados descontos e estes foram, segundo a ministra, “harmonizados e aumentados”.

Relativamente ao transporte de mercadorias, os descontos vão ser aumentados dos 30% para os 35% de dia e de 50% para 55% à noite.

A ministra anunciou ainda um desconto para os transportes de passageiros, que até agora não existiam e que passam a ser iguais às percentagens dos transportes de mercadorias.

EM FOCO

Populares