Seguir o O MINHO

Braga

Vendas da Ikea Portugal sobem 4,5% no ano fiscal terminado em agosto para 478 milhões

Empresa tem uma loja em Braga

em

Foto: DR/Arquivo

As vendas da Ikea Portugal subiram 4,5% no ano fiscal terminado em agosto, em termos homólogos, para 478 milhões de euros, “com cerca de 16,7 milhões de visitantes nas suas cinco lojas”, anunciou hoje a retalhista.


O ano financeiro 2019 da Ikea teve início em 01 de setembro de 2018 e terminou em 31 de agosto último.

“A Ikea Portugal cresceu em 4,5% as suas vendas face ao ano anterior, equivalente a 478 milhões de euros, com cerca de 16,7 milhões de visitantes nas suas cinco lojas (Alfragide, Braga, Loulé, Loures e Matosinhos) e 34 milhões de visitas ao site ikea.pt”, refere a empresa de mobiliário e decoração, em comunicado.

A empresa destaca ainda “o crescimento do valor das vendas ‘online’ em 57%, como reflexo das novas expectativas de conveniência do consumidor”.

“Temos uma visão poderosa. Trabalhamos todos os dias para criar um melhor dia a dia para a maioria das pessoas. Para que isto seja real, queremos estar cada vez mais perto de mais portugueses, seja através de novos pontos de contacto, seja com o apoio de novos serviços”, refere o administrador financeiro (CFO) da Ikea Portugal, Ricardo Pereira, citado em comunicado.

“Esta transformação tem sido uma aposta contínua da Ikea Portugal, que queremos ver reforçada, investindo na conveniência e na qualidade dos nossos produtos e serviços, a preços cada vez mais acessíveis”, concluiu o responsável.

Em termos globais, o grupo Ingka anunciou hoje um aumento das vendas em 5% para 36,7 mil milhões de euros, tendo em conta as taxas de câmbio.

As vendas ‘online’ do grupo cresceram 46%, representando agora cerca de 11% das vendas totais.

“Este crescimento é o resultado dos vários investimentos realizados pelo grupo Ingka durante o ano, incluindo a abertura de novas lojas em grandes centros urbanos, o reforço da rede de distribuição e serviços, bem como a crescente aposta em energias renováveis e no desenvolvimento digital, para tornar a Ikea cada vez mais acessível, sustentável, conveniente e próxima da maioria das pessoas”, refere a retalhista.

“Tivemos um ano muito positivo. Enquanto passamos por uma das maiores transformações da nossa história, mantivemos um forte desempenho em todas as nossas áreas de negócio, graças ao trabalho de equipa de todos os nossos colegas incríveis em todo o mundo, que continuam a demonstrar liderança e empreendedorismo todos os dias”, salientou o presidente executivo do grupo Ingka, Jesper Brodin, citado no comunicado.

Em 2019, o grupo Ingka abriu sete lojas Ikea tradicionais, 11 lojas de pequeno formato e estúdios de planificação, um dos quais em Sintra, e nas principais cidades do mundo, como Moscovo, Nova Iorque, Paris e Londres.

Também a Inter Ikea Systems B.V., detentora do conceito Ikea e franchisadora global, anunciou os resultados das vendas das operações de retalho Ikea, com um total de 41,3 mil milhões de euros em todos os 12 franchisados.

Anúncio

Braga

Números covid descem em Braga. Há agora 912 infetados ativos

Covid-19

em

Foto: O MINHO

O concelho de Braga regista 912 casos ativos de covid-19, menos 171 do que na quinta-feira.

O município contabiliza agora 3.496 casos desde o início da pandemia, mais 142 em 24 horas.

Há ainda mais 312 doentes curados nas últimas 24 horas, totalizando 2.648 recuperações desde o início da pandemia.

Há 78 óbitos a lamentar, mais um desde quinta-feira.

Por fim, estão 1.317 pessoas em isolamento profilático, mais 129 do que na quinta.

Continuar a ler

Braga

Terras de Bouro requalifica e alarga estrada que dá acesso a cascatas no Gerês

Obras públicas

em

Foto: DR

747 mil euros para requalificar a estrada da Ermida, na serra do Gerês. É este o montante que a Câmara de Terras de Bouro vai investir no alargamento e repavimentação dos sete quilómetros da via que serve a aldeia e dá acesso às cascatas a milhares de veraneantes.

“É um anseio com décadas dos 200 moradores da zona”, disse o Presidente do Município, Manuel Tibo a O MINHO.
O Município enviou, quarta-feira, o procedimento de abertura de concurso público para publicação em Diário da República, o qual prevê que a obra esteja concluída 180 dias após a adjudicação: “cumprindo todos as exigências legais, penso que a empreitada estará terminada antes do verão de 2021”, disse.

Para poderem concorrer, e além do respetivo alvará, as empresas terão de consultar os cadernos de encargos, tendo o vencedor de depositar cinco por cento do valor da obra, para que esta lhe seja adjudicada.

Manuel Tibo adiantou que a requalificação da estrada – correspondente ao Caminho Municipal 1276 – envolve o seu alargamento e repavimentação: “é uma via muito degradada, que os moradores da aldeia da Ermida, pedem que seja requalificada há mais de 12 anos”, disse.

A estrada, com sete quilómetros, que parte de Pereiró e vai até à Ermida, serve diariamente os 200 habitantes da localidade, mas tem grande movimento no verão, pois serve de acesso às cascatas, visitadas por centenas de turistas.

“Com todos os procedimentos legais envolvidos, penso que a empreitada pode arrancar no começo de 2021 e estar concluída antes do verão”, adiantou o autarca.

Continuar a ler

Braga

Estacionamento à superfície grátis em Braga a partir das 17 horas em dezembro

Natal

em

Foto: DR

O estacionamento pago à superfície na cidade de Braga vai ser gratuito a partir das 17:00 horas dos dias úteis e durante todo o sábado ao longo do mês de dezembro, foi hoje anunciado.

Em nota publicada nas redes sociais, o presidente da Câmara explica que esta é uma medida para estimular à compra no comércio local durante o período de Natal, facilitando o ato a consumidores e a comerciantes.

Ricardo Rio dá conta da iniciativa que tem como parceiros a Câmara de Braga, a Associação Comercial de Braga e os TUB, empresa encarregue pela fiscalização deste tipo de estacionamento.

O autarca explica que os fiscais aplicarão uma política de “fiscalização passiva, não autuando qualquer viatura que não proceda ao pagamento da taxa de estacionamento aplicável neste período”.

“Os consumidores poderão assim realizar as suas compras no comércio tradicional sem qualquer custo acrescido no estacionamento”, refere.

“Pelo contrário, manter-se-á a fiscalização durante o período laboral normal, das 9:00 às 17:00 horas dos dias úteis da semana, salvaguardando a rotatividade que o comércio do centro histórico também reclama”, acrescenta.

Ricardo Rio falava a propósito do investimento de cerca de 150 mil euros na iluminação de Natal na cidade. Segundo o edil, todos os anos a “discussão repete-se” porque há “sempre quem critique” um alegado “esbanjamento de recursos” na iluminação.

O autarca demonstra que, caso esse dinheiro servisse para apoiar diretamente o comércio local em vez de ser aplicado nas luzes, seriam apenas 75 euros a cada uma das 2.000 unidades de comércio de Braga.

“Quanto à substituição da iluminação por apoios sociais, ainda está por provar que este investimento alguma vez pôs em causa o forte apoio que a Câmara presta a cidadãos e instituições nas matérias da sua responsabilidade no âmbito social”, escreve Rio.

Diz ainda que, caso esse dinheiro servisse para distribuir pelas 15 mil famílias identificadas como de parcos recursos económicos e que já beneficiam de tarifa social no consumo de água, daria 10 euros a cada uma.

“Na verdade, para lá de outros benefícios de âmbito imaterial sobre o conjunto da comunidade, a iluminação de Natal é um contributo fundamental para a dinamização do comércio tradicional nesta época do ano, em que muitas unidades fazem parte substancial da sua faturação”; finalizou o edil.

Recorde-se que a iluminação, este ano, não será inaugurada como noutros anos, altura em que dezenas de milhares de pessoas se reuniam na Praça da República, no topo da Avenida da Liberdade e ao longo da Avenida Central, para assistir ao ligar das luzes do pinheiro. Este ano, a 28 de novembro, as luzes voltam a acender, mas sem cerimónia.

Continuar a ler

Populares