Seguir o O MINHO

Braga

Veio de Lisboa assaltar casal de idosos em Amares e foi condenado a três anos de prisão

Com pena suspensa

em

Foto: Ilustrativa / DR

O Tribunal de Braga condenou um homem a três anos e quatro meses de prisão, com pena suspensa por igual período, por roubo de cerca de dois mil euros a um casal de idosos em Amares.


Oriundo da zona de Lisboa, o arguido, com antecedentes criminais, estava acompanhado de outro sujeito que foi considerado contumaz pelo tribunal. Segundo o advogado Alves Esteves, a decisão do colectivo de juízes “foi correcta e fez-se justiça”, lembrando que em meados do mês passado, “o arguido ressarciu as vítimas do montante furtado” o que se serviu de atenuante.

O caso ocorreu em janeiro de 2015, quando um casal de idosos se dirigiu à Caixa Geral de Depósitos, em Ferreiros, Amares, procedendo ao levantamento de 1.919,99 euros, em numerário.

Segundo o acórdão a que O MINHO teve acesso, o arguido José Soutelinho, residente na Charneca da Caparica, entrou na referida dependência bancária, “seis minutos após a ofendida ter entrado, tendo abandonado aquelas instalações poucos segundos antes da ofendida, que também saiu por volta dessa hora”.

Ainda segundo o colectivo de juízes, o arguido “não efectuou qualquer operação/ transacção bancária, nem tão pouco se dirigiu a algum funcionário”, durante o tempo que esteve no banco.

O casal de idosos dirigiu-se depois, de carro, para um hipermercado do concelho. José Soutelinho seguiu-os numa viatura com matrícula falsa, juntamente com um cúmplice.

Montaram uma acção de vigilância, um no interior outro no exterior da superfície comercial.

Pneu furado

Soutelinho munido com um objecto furou o pneu do veículo dos ofendidos, voltando para junto da viatura que o transportou até aquele local. Os dois idosos não se aperceberam, imediatamente, da situação. Mais à frente, numa rua adjacente ao hipermercado, e seguidos pelos dois homens, dão conta que algo não estaria bem com a viatura.

Ao reparar no pneu furado, o condutor tomou a iniciativa de o substituir. É aqui que aparece o cúmplice Jaime Sequeira, “estabelecendo diálogo, disponibilizando-se para os ajudar nessa mudança do pneu”.

Jaime Sequeira dirigiu-se à ofendida, dizendo-lhe que a bolsa que trazia estava a cair, tendo, em acto continuo, “alcançado a bolsa que esta transportava, puxando-a com força.

José Soutelinho retomou a marcha do veículo por si conduzido de forma a alcançar Jaime, no qual este entrou de forma rápida, iniciando-se a fuga de ambos.

O arguido José Soutelinho, juntamente com o Jaime Sequeira , apropriou-se e fez uma bolsa de cor azul em napa; 1.800 euros em notas e 40 euros em moedas; uma factura do telefone; um recibo de pagamento das cotas dos bombeiros; uma carteira de cor castanha clara com imagem de Nossa Senhora de Lurdes; vários documentos e um telemóvel.

Câmaras de vigilância

O arguido foi identificado e detido pela GNR de Amares através de câmaras de vigilâncias, quer do bando quer do hipermercado.

Nas buscas efectuadas à residência do arguido foi encontrada a roupa utilizada nos dois locais, sendo certo que a localização celular do telemóvel do arguido indicam que o mesmo esteve nesta zona do norte no dia dos factos.

Os agentes da GNR compararam ainda as imagens com outras de um assalto ocorrido no ano de 2012 reconhecendo, “sem qualquer sombra”, a fisionomia do arguido.

No tribunal ficou ainda provado o depósito em numerário de 900 euros na conta de José Soutelinho, “e que corresponde a metade do valor da importância subtraída”. o que levou o coletivo de juízes a concluir “pela divisão na proporção de metade, para cada um, do produto obtido”.

José Soutelinho já tinha no cadastro três crimes de furto um simples e dois qualificado e um crime de falsificação de documentos.

Anúncio

Braga

BE questiona governo sobre descargas no rio Este em Braga e critica “inação” da Câmara

Poluição

em

Foto: DR

O Bloco de Esquerda (BE) questionou o Governo sobre as descargas poluentes no rio Este e critica a Câmara de Braga por inação na resolução do problema.

Os deputados bloquistas eleitos pelo círculo de Braga, José Maria Cardoso e Alexandra Vieira, entregaram duas perguntas na Assembleia da República onde denunciam mais três descargas poluentes no rio Este, em Braga.

Nos documentos enviados ao Ministério do Ambiente e da Ação Climática e à Câmara Municipal de Braga, os deputados referem que “o rio Este foi alvo de novas descargas poluentes no dia 9 de outubro em vários dos seus troços que atravessam o concelho de Braga”, que “também no dia 6 de outubro as águas denotavam uma coloração avermelhada junto à Ponte Pedrinha” e que “no dia 7 de outubro, o rio apresentava uma cor esbranquiçada em vários troços, indicando a existência de diversos focos poluidores”.

Os deputados acusam ainda a Câmara de Braga de anúncios de “intenções sem qualquer resultado visível”. “A Câmara tem responsabilidades não só na falta de articulação com as entidades competentes na busca de soluções reais para as descargas ilegais, como é a própria Câmara Municipal um agente poluidor do rio Este”, criticam.

“O Bloco de Esquerda considera inadmissível que após tantos anos e tantos anúncios de soluções para o rio Este apresentados pela Câmara Municipal de Braga, as descargas ilegais persistam. A inação do Município de Braga e das entidades competentes põe em perigo a biodiversidade do rio e a saúde pública. É urgente apurar responsabilidades e atuar nos termos da lei. Sobretudo, é necessário eliminar os focos poluentes, proceder à despoluição das massas de água e recuperar plenamente a biodiversidade do rio Este. Os habitantes de Braga têm pleno direito a usufruir de um rio limpo, biodiverso e aprazível”, defende o BE.

O partido quer saber se a Agência Portuguesa do Ambiente tem monitorizado o estado ecológico e químico das massas de água e se o Governo tem articulado com o Município de Braga medidas e ações concretas para erradicar as recorrentes descargas ilegais poluentes no rio Este.

Da parte do executivo camarário, o Bloco quer conhecer o estado de implementação em que se encontra o programa de monitorização do rio e qual é a composição da equipa anunciada pela Vereação do Ambiente do Município de Braga para cadastrar e monitorizar os pontos de acesso ao rio Este.

Continuar a ler

Braga

PJ deteve suspeito de violar a filha em Braga

Crime

em

Foto: Ilustrativa / PJ

A Polícia Judiciária (PJ) de Braga deteve um homem de 46 anos suspeito da prática de, pelo menos, cinco crimes de violação em contexto familiar, anunciou hoje aquela força policial.

Em comunicado, a PJ acrescenta que os crimes começaram em junho de 2020 e prolongaram-se até inícios de outubro, tendo ocorrido em contexto familiar, sobre uma vítima do sexo feminino, na zona de Braga e concelhos limítrofes.

O detido vai ser presente à autoridade judiciária para aplicação das respetivas medidas de coação.

Entretanto, o Correio da Manhã revelou que o arguido é operário da construção civil, com antecedentes criminais por outros crimes, e foi detido depois de ter sido denunciado há cerca de uma semana pela vítima, que relatou a um familiar as violações de que era alvo, por parte do pai, desde junho passado.

Ainda de acordo com aquele jornal, a mulher, com um atraso mental, passou a residir com o pai nos últimos meses, altura em que o conheceu já que nunca tinha tido qualquer contacto com ele. Ambos residiram em duas casas, um delas no concelho de Braga, nos últimos meses.

Notícia atualizada às 12h41 com mais informação.

Continuar a ler

Braga

Colisão provoca dois feridos em Braga

Acidente

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Uma colisão entre dois automóveis, ao início da manhã desta quinta-feira, provocou dois feridos no Parque Industrial de Adaúfe, em Braga.

As vítimas, trabalhadores de duas empresas e únicos ocupantes das viaturas, foram considerados feridos ligeiros, segundo avaliação no local do acidente.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Os Bombeiros Sapadores de Braga imobilizaram, estabilizaram e transportaram os dois feridos, únicos ocupantes das viaturas, para o Hospital de Braga

Os Bombeiros Sapadores de Braga prestaram socorro com 10 operacionais apoiados por quatro viaturas.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Populares