Seguir o O MINHO

Futebol

“Veio ao de cima o grande grupo que tenho à frente”

Ricardo Soares, treinador do Moreirense

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações dos treinadores após o empate 1-1 entre Tondela e Moreirense, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado no Estádio João Cardoso, em Tondela:

– Ricardo Soares (treinador do Moreirense): “Temos de dividir o jogo em três fases. A primeira, que foi claramente do Tondela, tivemos a felicidade de ir para o intervalo zero a zero. O Tondela foi melhor.

Na segunda parte corrigimos os posicionamentos, melhorámos bastante, até estávamos em cima do jogo e depois surge o golo numa bola parada, não podíamos sofrer aquele golo e aí veio ao de cima o grande grupo que tenho à frente, a terceira parte.

A equipa reagiu, muito com o coração, com a vontade e a crença de conquistar o ponto. Levámos um ponto, penso que é merecido pela atitude, principalmente dos últimos 15, 20 minutos, pela atitude positiva com que fomos à procura do golo e, nesse sentido, o empate é justo.

Claramente é um ponto ganho, quer para o Tondela, quer para o Moreirense, e na I Liga é importante somar e, nesse caso, é claramente um ponto ganho e ainda por cima hoje que não fizemos um bom jogo, principalmente na primeira parte.

Queremos fazer as coisas diferentes, com um futebol de mais qualidade, e isso hoje não aconteceu, mesmo assim é um ponto positivo que nos traz confiança.

Hoje tivemos a felicidade que noutros jogos não tivemos”.

– Natxo González (treinador do Tondela): “Já não sei o que podemos fazer para ganhar. Fizemos muitas coisas bem, continua a faltar a eficácia na área rival. Outro penálti e isso acabou por nos penalizar muito e eles num único remate que fazem à baliza, marcam.

Cometemos poucos erros a nível defensivo e um erro de concentração que cometemos penalizou-nos.

Este resultado deixa-nos um pouco triste, mas eu como treinador estou orgulhoso pelo que a equipa fez.

É uma coisa estranha [os penáltis falhados]. É verdade que tento encontrar uma explicação e não encontro. Não sei, têm sido jogadores diferentes. Nos treinos entram todas na baliza e nos jogos não entram. São coisas que se passam sem uma explicação.

O momento que estamos a viver é uma coisa muito estranha, os penáltis [falhados] são sempre em casa. Não sei se há algo mais, não sei.

Estamos dentro dos números que marquei como objetivo, mas neste momento podíamos ter mais, é uma lástima”.

Populares