Seguir o O MINHO

Futebol

“Veio ao de cima o grande grupo que tenho à frente”

Ricardo Soares, treinador do Moreirense

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações dos treinadores após o empate 1-1 entre Tondela e Moreirense, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado no Estádio João Cardoso, em Tondela:


– Ricardo Soares (treinador do Moreirense): “Temos de dividir o jogo em três fases. A primeira, que foi claramente do Tondela, tivemos a felicidade de ir para o intervalo zero a zero. O Tondela foi melhor.

Na segunda parte corrigimos os posicionamentos, melhorámos bastante, até estávamos em cima do jogo e depois surge o golo numa bola parada, não podíamos sofrer aquele golo e aí veio ao de cima o grande grupo que tenho à frente, a terceira parte.

A equipa reagiu, muito com o coração, com a vontade e a crença de conquistar o ponto. Levámos um ponto, penso que é merecido pela atitude, principalmente dos últimos 15, 20 minutos, pela atitude positiva com que fomos à procura do golo e, nesse sentido, o empate é justo.

Claramente é um ponto ganho, quer para o Tondela, quer para o Moreirense, e na I Liga é importante somar e, nesse caso, é claramente um ponto ganho e ainda por cima hoje que não fizemos um bom jogo, principalmente na primeira parte.

Queremos fazer as coisas diferentes, com um futebol de mais qualidade, e isso hoje não aconteceu, mesmo assim é um ponto positivo que nos traz confiança.

Hoje tivemos a felicidade que noutros jogos não tivemos”.

– Natxo González (treinador do Tondela): “Já não sei o que podemos fazer para ganhar. Fizemos muitas coisas bem, continua a faltar a eficácia na área rival. Outro penálti e isso acabou por nos penalizar muito e eles num único remate que fazem à baliza, marcam.

Cometemos poucos erros a nível defensivo e um erro de concentração que cometemos penalizou-nos.

Este resultado deixa-nos um pouco triste, mas eu como treinador estou orgulhoso pelo que a equipa fez.

É uma coisa estranha [os penáltis falhados]. É verdade que tento encontrar uma explicação e não encontro. Não sei, têm sido jogadores diferentes. Nos treinos entram todas na baliza e nos jogos não entram. São coisas que se passam sem uma explicação.

O momento que estamos a viver é uma coisa muito estranha, os penáltis [falhados] são sempre em casa. Não sei se há algo mais, não sei.

Estamos dentro dos números que marquei como objetivo, mas neste momento podíamos ter mais, é uma lástima”.

Anúncio

Futebol

Benfica vence Paredes por 1-0 e avança na Taça de Portugal

Taça de Portugal

em

Foto: DR

Um golo solitário do grego Samaris deu hoje a vitória ao Benfica na visita ao Paredes, do Campeonato de Portugal, com os ‘encarnados’ a avançarem para a quarta eliminatória da Taça de Portugal de futebol.

Em Paredes, Samaris fez o único golo do encontro, aos 26 minutos, assegurando a qualificação do Benfica para a fase seguinte, na qual também já estão FC Porto e Sporting de Braga.

A quarta eliminatória da Taça de Portugal está agendada para o fim de semana de 12/13 de dezembro.

Continuar a ler

Futebol

“Queríamos muito dedicar a vitória ao Moura”

Taça de Portugal

em

Foto: SC Braga

Declarações após o jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, entre Trofense e SC Braga, que decorreu hoje na Trofa (1-2).

Carlos Carvalhal (treinador do SC Braga): “Queríamos muito dedicar a vitória ao Moura e isso fez com que não facilitássemos nada. Não criámos, até aos últimos 15 minutos, uma cadência de oportunidades como nos jogos anteriores, muito pela organização defensiva e agressividade no bom sentido do adversário. Conseguimos fazer o 1-0 antes do intervalo e, nas poucas ocasiões em que chegou à nossa baliza, o Trofense fez o 1-1. Depois da expulsão [de André Leão] foi o assalto final, com várias oportunidades falhadas. Conseguimos vencer, justamente, por números que se ajustam pela organização do adversário que foi das equipas que mais dificuldades nos criaram esta época.

Temer [o prolongamento] não temi, se fôssemos íamos jogar, mas penso que acabaríamos por ganhar pelo desequilíbrio de jogar 11 contra 10.

(Paulinho falhou algumas oportunidades) O Paulinho ansioso? Não, ele é um jogador muito tranquilo, muito confiante, não marcou hoje, se calhar estava a guardar os golos para o jogo de quinta-feira [com o Leicester, da Liga Europa]”.

António Barbosa (treinador do Trofense): “Sentimos que os jogadores teriam essa personalidade [de jogar olhos nos olhos com o Braga]. Jogámos dentro das nossas possibilidades, estamos a falar de um adversário fortíssimo e eles tiveram o brio e o afinco que nos caracteriza e é a marca do nosso caminho, jogámos para vencer como sempre desde que cá estamos.

Sem a expulsão [de André Leão], as coisas provavelmente seriam diferentes, mas não temos uma varinha mágica para saber isso, mas com 11 em campo seria mais fácil. As coisas aconteceram assim e temos que viver com isso. Mas, mesmo em inferioridade numérica, criámos situações de perigo e inquietámos o adversário. Parabéns a quem venceu e que tenha sucesso daqui para a frente e nós, agora, vamos concentrar-nos no nosso campeonato”.

Continuar a ler

Futebol

Braga marca nos descontos e segue em frente na Taça de Portugal

Taça de Portugal

em

Foto: SC Braga

O SC Braga qualificou-se hoje para a fase seguinte da Taça de Portugal de futebol após um difícil, mas justo, triunfo por 2-1 em casa do Trofense, do Campeonato de Portugal, conseguido nos descontos.

Galeno, aos 90+3 minutos, desatou o ‘nó’ de um jogo muito ‘suado’ para os bracarenses, por culpa própria, porque foram perdulários, com Paulinho em destaque, e muito devido a uma grande exibição do guarda-redes do Trofense, Serginho.

Antes, Abel Ruiz tinha colocado o Braga em vantagem (44), mas Alan Júnior, de grande penalidade, colocou o jogo novamente igualado e só com muito suor, mesmo jogando com mais uma unidade desde os 65 minutos, é que a equipa de Carlos Carvalhal evitou o prolongamento.

Iuri Medeiros e Castro (12 e 26) ‘aqueceram’ as luvas de Serginho, mas o golo só chegou em cima do intervalo: Galeno temporizou na esquerda, Sequeira cruzou, Esgaio amorteceu de cabeça para um remate à meia volta de Abel Ruiz – o avançado espanhol, nos festejos, mostrou uma camisola do colega Moura, que se lesionou com gravidade esta semana.

O Trofense empatou pouco após o reinício, com Alan Júnior a converter uma grande penalidade que puniu uma falta de Al Musrati sobre o ponta-de-lança brasileiro.

Ricardo Horta, aos 67, e Galeno, aos 74, ameaçaram e, com mais perigo ainda, Paulinho (82). A oportunidade mais flagrante foi desperdiçada pelo novo internacional português aos 87: defronte da baliza, Paulinho permitiu uma enorme defesa do guardião que, no minuto seguinte, voltou a evidenciar-se ao parar um remate de Ricardo Horta.

E foi já no período de descontos que surgiu o golo que colocou o Sporting de Braga na fase seguinte, com Galeno, após tabela com Ricardo Horta, a rematar rasteiro (90+3).

Na resposta imediata, Keffel, num canto direto, quase traía Tiago Sá, que com uma defesa de recurso segurou a preciosa vantagem bracarense.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio do Clube Desportivo Trofense, na Trofa.

Trofense – SC Braga, 1-2.

Ao intervalo: 0-1.

Marcadores:

0-1, Abel Ruiz, 44 minutos.

1-1, Alan Júnior, 50 (grande penalidade).

1-2, Galeno, 90+3.

Equipas:

– Trofense: Serginho, Edu, Mika, João Faria, Simão Martins, André Leão, Vasco Rocha, Bruno Almeida (Keffel, 69), João Paredes (matheus, 61), Yair (Valter Zacaria, 61) e Alan Júnior (Daniel Liberal, 79).

(Suplentes: Manu, Daniel Liberal, Benedito, Valter Zacaria, Matheus, Tito Junior e Keffel).

Treinador: António Barbosa.

– SC Braga: Tiago Sá, Esgaio, Bruno Viana, Tormena, Sequeira, Castro (João Novais, 75), Al Musrati (André Horta, 57), Iuri Medeiros (Schettine, 75), Galeno, Abel Ruiz (Ricardo Horta, 57) e Paulinho.

(Suplentes: Rogério, Raul Silva, João Novais, André Horta, Ricardo Horta, Schettine e Rodrigo Gomes).

Treinador: Carlos Carvalhal.

Árbitro: Fábio Melo (AF Porto).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Castro (18), André Leão (25 e 65), Yair (29), André Horta (62), Serginho (70). Cartão vermelho por acumulação de cartões amarelos para André Leão (65) e para o diretor técnico do Trofense, Hélder Sousa (90+5).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Continuar a ler

Populares