Seguir o O MINHO

Ave

Várias corporações de bombeiros evacuaram dez idosos de lar ilegal em Famalicão

Evacuação

em

Bombeiros de Póvoa de Lanhoso de saída para a evacuação. Foto: O MINHO

As corporações de bombeiros de Riba d’Ave, Fafe, Vizela, Póvoa de Lanhoso e Famalicenses procederam, durante a noite de ontem e esta madrugada, à evacuação de dez idosos que se encontravam num lar ilegal junto à cidade de Famalicão, disse a O MINHO fonte do CDOS de Braga.

A operação teve início cerca das 21:30, com as corporações a serem solicitadas para efetuar a estabilização e o transporte dos utentes, alguns com idade avançada e várias patologias, para o Pavilhão Municipal das Lameiras, no centro daquela cidade. Terminou já perto das 02:00 desta madrugada.

O lar foi evacuado depois de ter sido, na terça-feira, encerrado pela PSP, após um inquérito criminal que decorria na esquadra de Famalicão, por este estar a funcionar de forma ilegal. Um 11.º utente não terá sido evacuado por ser progenitor do proprietário do lar.

Lar de idosos ilegal encerrado em Famalicão

A ordem de encerramento foi decretada pelo Instituto da Segurança Social (ISS), após constatar que as condições da instalação “revestem perigo iminente para a qualidade de vida e para os direitos dos utentes.

Até ao momento, não há confirmação de qualquer infetado com o novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19.

Mesmo assim, os bombeiros que participaram na evacuação utilizaram equipamento de proteção como se de um caso de transporte covid se tratasse.

A ação de fiscalização realizada ao lar ocorreu na sequência de um pedido de mandado judicial feito pelo ISS ao Ministério Público.

Esse pedido surgiu por “não ter sido permitido o acesso” da equipa de fiscalização do ISS ao edifício, “quando se preparava para realizar uma primeira visita ao equipamento”.

“Por outro lado, a gravidade dos factos denunciados impunha a requisição da emissão de um mandado, de forma a viabilizar o acesso ao local e, assim, concretizar a ação de fiscalização às condições de organização e funcionamento do lar em causa”, acrescenta.

O ISS vinca que, face à situação de emergência de saúde que o país vive, devido à covid-19, foi solicitada a intervenção da Autoridade de Saúde no sentido de acautelar equipamento de proteção individual específico para todos os intervenientes na ação.

A Autoridade de Saúde acionou o INEM, de forma a efetuar o teste à covid-19, antes de os 10 utentes serem encaminhados “para respostas sociais alternativas condignas, disponibilizadas pelo Instituto da Segurança Social”.

*Com Lusa

Populares