Seguir o O MINHO

Braga

“Variações” estreia-se hoje em cerca de 60 salas de cinema portuguesas

Protagonizado pelo ator Sérgio Praia

em

Antestreia do filme Variações. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

“Variações”, filme de João Maia sobre o músico António Variações, que morreu em 1984, aos 39 anos, protagonizado pelo ator Sérgio Praia, estreia-se hoje em cerca de 60 salas de cinema portuguesas.

O filme é inspirado na vida do barbeiro minhoto António Joaquim Rodrigues Ribeiro, que desejou viver da música e que em Lisboa se transformou em António Variações, marcando a música portuguesa a partir dos anos 1980.

António Variações nasceu em 1944 em Fiscal, no concelho de Amares, que acolheu na segunda-feira a antestreia de “Variações”.

O filme é protagonizado pelo ator Sérgio Praia que, além da interpretação física do músico, também canta todas as canções, recriando as sessões de composição e gravação embrionária dos temas em várias cassetes – sozinho em casa com um gravador e uma caixa de ritmos – até à primeira atuação de Variações, na discoteca Trumps, em Lisboa, em 1981.

Em julho do ano passado, durante a rodagem do filme, o ator partilhou que andava anda há mais de dez anos a preparar a personagem, tendo o mais importante sido perceber humanamente quem era o músico.

“Se tivesse feito filme há dez anos não tinha densidade. Foi preciso este cansaço para hoje conseguir perceber melhor aquilo que ele viveu, a busca constante, o faz-não-faz. Este tempo foi bom para o meu trabalho”, afirmou o ator na altura em declarações à Lusa.

Além de Sérgio Praia, o elenco inclui, entre outros, Filipe Duarte, Victoria Guerra, Augusto Madeira, Filipe Albuquerque, Lúcia Moniz, Afonso Lagarto, Maria José Paschoal, José Raposo e Dinarte Freitas.

O filme foca-se sobretudo na transformação de António Ribeiro em António Variações, num período de vida entre 1977 e 1981, a época em que um barbeiro ambicionava viver da música, gravava canções em cassetes e ensaiava com músicos amadores, muito antes de editar oficialmente qualquer canção.

Arrojado e irreverente, influenciado pelo fado, pela música popular e pelo pop rock, António Variações morreu aos 39 anos, a 13 de junho de 1984. Deixou apenas dois álbuns editados pouco antes de morrer: “Anjo da guarda” (1983) e “Dar e receber” (1984).

No filme, Sérgio Praia interpreta todas as canções, que foram gravadas num álbum, a ser editado na sexta-feira.

Em julho, a banda sonora foi apresentada ao vivo no festival Alive, em Oeiras, em julho. Em palco, Sérgio Praia esteve acompanhado por Armando Teixeira (sintetizador) e pelos músicos Vasco Duarte (guitarra), David Santos (baixo) e Duarte Cabaça (bateria).

O músico e produtor Armando Teixeira, que assina a direção musical do filme, teve acesso às cassetes que António Variações deixou com dezenas de canções, excertos, ensaios, experimentações; as mesmas cassetes que foram recuperadas para o projeto Humanos, em 2004, e das quais é agora retirado um tema inédito, intitulado “Quero dar nas vistas”.

Anúncio

Braga

Trotinetes vão duplicar em Braga

Até final do ano

em

Foto: Divulgação / CM Braga

A fase de estudo da utilização de trotinetes elétricas partilhadas na cidade de Braga já está próximo do final e os resultados são bastante animadores, ao que apurou O MINHO junto de fonte da empresa responsável pela sua implementação.

O primeiro feedback que tem chegado aos responsáveis e à Câmara de Braga é de bastante procura e a autarquia parece motivada para avançar para a implementação a título definitivo desta medida, o que levará a empresa responsável – CIRC – a aumentar o número de pontos de partilha de trotinetes disponíveis na cidade de 25 para 50.

O facto de já ter iniciado o ano universitário também não será alheio a esta vontade mútua entre empresa e poder local, estando prevista a implementação de mais pontos de partilha na cidade, a curto prazo.

Fonte da empresa disse a O MINHO que o facto de ter sido o grupo escolhido pela autarquia para implementar este modelo de negócio passa muito pelos descontos oferecidos pela empresa caso os utilizadores estacionem as trotinetes nos locais devidos, algo que nem sempre acontece.

Atualmente, a cidade conta já com 25 pontos de partilha de trotinetes, devendo aumentar “até final do ano”.

A CIRC, de acordo com a empresa, é uma das marcas de trotinetes elétricas líder em Portugal, estando já presente em Lisboa, Cascais, Almada, Faro, Portimão, Coimbra, Figueira da Foz, Matosinhos, Vila Nova de Gaia, Maia, Gondomar e agora Braga.

Continuar a ler

Braga

Universidade do Minho inaugura loja oficial em Braga

No Largo do Paço

em

Foto: Divulgação

A nova loja oficial da Universidade do Minho (UMinho) vai ser oficialmente inaugurada esta quinta-feira, dia 19 de setembro, a partir das 11:00, anunciou a instituição em comunicado.

O novo espaço estará localizado no complexo do Largo do Paço, em Braga, pretendendo “assumir centralidade na dinâmica da Nova Galeria, situada na ala nascente”.

Em nota à imprensa, a UMinho revela que a loja “disponibilizará dezenas de produtos que obedecem a uma linha patrimonial e institucional pensada para o novo merchandising” da universidade.

A sessão irá contar com a presença do reitor, Rui Vieira de Castro e da vice-reitora para a Cultura e Sociedade, Manuela Martins.

Anexo à loja oficial, dispõe-se um espaço que contemplará produtos de artesanato maioritariamente da região Norte do país, numa mostra qualificada das artes manuais tradicionais, acrescenta a universidade.

“A qualidade e autenticidade dos produtos exibidos é e será garantida através de parcerias, entre as quais se destaca a já estabelecida com a Adere Certifica, que trará a esta estrutura peças de bordados de Viana do Castelo, de Guimarães, de Castelo Branco, Vila Verde, mas também cestaria de Penedono e bijutaria de bilros de Vila do Conde”.

Continuar a ler

Braga

Vila Verde serve 25 caldos diferentes confecionados em potes de ferro

Em Sabariz

em

Foto: Divulgação

A freguesia de Sabariz, em Vila Verde, vai servir, no sábado, 25 caldos diferentes, confecionados à moda antiga, em potes de ferro sobre fogueiras a lenha, recriando assim uma tradição secular, anunciou esta terça-feira a organização.

No total, deverão ser servidos mais de 1.500 litros de caldo, feitos em potes cuja capacidade varia entre os 20 e os 100 litros.

Couves, repolho, nabos, nabiças e os mais variados feijões, sem esquecer as carnes campestres, fazem parte do leque de ingredientes para a confeção dos diferentes caldos, que incluem ainda a farinha e também a batata esmagada à colher, tal como se fazia no tempo em que não havia varinhas mágicas.

Haverá ainda espaço para os caldos verde, da pedra e de feijão verde, à lavrador, à camponesa e, até, de bacalhau.

Trata-se da Festa do Caldo do Pote, uma iniciativa da Junta de Freguesia e da Associação Popular de Sabariz e integrada na Rota das Colheitas, promovida pelo município de Vila Verde

Cerca de duas dezenas de homens e mulheres vão dedicar-se a confecionar os diversos caldos, junto a diferentes fogueiras espalhadas por um terraço ao ar livre.

À entrada do recinto, os visitantes podem adquirir uma malga alusiva ao evento, pela qual podem aceder livremente a todos os caldos. Recebem ainda a broa de pão.

Além dos caldos, serão ainda confecionadas pataniscas de bacalhau.

A organização espera de duas mil pessoas.

O presidente da Junta de Freguesia de Sabariz , Fernando Simões da Silva, sublinha que o sabor do caldo feito no pote, com o lume a lenha, “é único”.

O autarca garante que é um sabor apreciado por gente dos diferentes estratos sociais, das mais diversas origens e de todas as idades, com especial referência para os jovens.

“Nesta festa, graças aos caldos que aqui comeram e viram a fazer, já registámos muitos casos de crianças e jovens que ficaram a gostar das sopas que tanto teimam em recusar em casa. E, também, casos de adultos que passaram a gostar de determinados legumes e caldos, como os nabos e as nabiças”, revela Fernando Silva.

Continuar a ler

Populares