Seguir o O MINHO

Alto Minho

Valença requalifica passadiços da ecopista do rio Minho

“3.ª melhor via verde da Europa”

em

Foto: Divulgação / CM Valença

A Câmara de Valença está a requalificar as estruturas de madeira da marginal da Senhora da Cabeça, na Ecopista do Rio Minho, em Cristelo Côvo, anunciou hoje a autarquia.

O conjunto de intervenções, em curso, pretendem “resolver alguns problemas estruturais e de desgaste desta via já com 16 anos”. Tábuas soltas e partidas, bem como alguns buracos e vigas suporte apodrecidas “já não davam as condições ideais e de segurança a esta via”, disse a mesma fonte, em comunicado enviado a O MINHO.

Renovar a 3.ª Melhor Via Verde da Europa

A Marginal da Senhora da Cabeça é um dos troços da Ecopista do Rio Minho, considerada a 3.ª melhor Via Verde da Europa, com maior número de utilizadores.

A proximidade ao rio, os cais da pesca tradicional e a envolvente paisagística do traçado tornam esta via “verdadeiramente cativadora e embaixadora da região”, refere a mesma nota.

De acordo com a autarquia, a obra está a “implicar o reforço das estruturas de suporte dos balançados de madeira, bem como os madeiramentos dos passadiços, em toda a extensão da marginal”. “Com a intervenção pretende-se proporcionar mais segurança e conforto a todos os utentes desta via”.

As estruturas do Cais da Fonte vão, também, sofrer melhoramentos com a renovação dos pisos dos pontões, desgastados pelo tempo e uso.

“Pretende-se assim proporcionar melhores condições de trabalho e segurança à comunidade de pescadores”, acrescenta.

A Marginal da Senhora da Cabeça tem uma extensão de 1146,5 metros e consta de duas vias, uma com 3,5 metros e outra com 2 metros, paralelas.

A aproximação destas duas vias à vegetação ripícola, contigua ao rio Minho, é feita por um balançado em madeira, desde o Pavilhão Náutico até ao final da via.

Anúncio

Alto Minho

Arcos de Valdevez exige testes a todos os utentes e funcionários de lares do distrito de Viana

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Câmara de Arcos de Valdevez exigiu hoje a realização de testes a todos os utentes e funcionários de lares no distrito de Viana do Castelo para evitar a propagação generalizada nas instituições.

“Apelamos ao Governo para que o rastreio que está a ser feito no Sul do país seja rapidamente implementado no Norte. É aqui que há um maior número de casos confirmados de covid-19, é aqui que está situado o maior número de lares, de utentes e de funcionários. Estamos a falar num universo de milhares de pessoas”, afirmou hoje à Lusa João Manuel Esteves.

O autarca social-democrata disse que a realização de testes à covid-19 é “urgente” para evitar “um foco muito complicado que poderá tomar grandes dimensões”.

João Manuel Esteves apontou o lar de idosos do Centro Paroquial e Social de Santa Maria de Grade como o “mais grave” entre as sete instituições do seu concelho.

Naquela instituição, com 39 utentes e 20 funcionários, há quatro casos confirmados da doença causada pelo novo coronavírus, sendo que uma utente morreu, na segunda-feira, no hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo.

Hoje, mais três pessoas foram transportadas ao hospital com sintomas de infeção pelo novo coronavírus.

O autarca social-democrata disse estar “muito preocupado” com a demora dos resultados aos testes já realizados, que “tinham de ser mais expeditos”

E defendeu ainda à criação de uma “bolsa de profissionais ou voluntários especializados nesta área”.

“Se estes idosos, alguns com elevado nível de dependência, tiverem de sair dos lares onde é preciso saber quem vai tomar conta deles, se há pessoas com competências para tratar deles”, especificou, adiantando que no concelho “estão confirmados, no dia de hoje, um total de 14 casos de covid-19”.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 803 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 40 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 160 mortes, mais 20 do que na véspera (+14,3%), e 7.443 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 1.035 em relação a segunda-feira (+16,1%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Continuar a ler

Alto Minho

Autoridades procuram jovem que “escorregou e caiu” no rio Minho, em Melgaço

Buscas

em

Foto: Ilustrativa / DR

Um jovem de 26 anos “escorregou e caiu” hoje ao rio Minho, quando “passeava”, na freguesia de Remoães, em Melgaço, estando a ser procurado por meios dos bombeiros e da capitania de Caminha, disse a proteção civil.

De acordo com o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo o acidente ocorreu cerca das 18:17, sendo que “o alerta foi dado por uma pessoa que acompanhava o jovem no passeio junto ao rio internacional”.

A mesma fonte adiantou que “a pessoa que acompanhava o jovem informou que o mesmo terá escorregado, acabando por cair nas águas do rio Minho”.

Ao local compareceram 16 operacionais e seis viaturas dos Bombeiros Voluntários de Melgaço e Monção e meios da capitania de Caminha.

Continuar a ler

Alto Minho

Bombeiras de Arcos de Valdevez terminam 14 dias de isolamento e regressam à “linha da frente”

Covid-19

em

Foto: Facebook de Bombeiros de Arcos de Valdevez

Carla Pires e Vera Dourado, operacionais dos Bombeiros de Arcos de Valdevez, saíram esta terça-feira da situação de isolamento profilático em que se encontravam, por recomendação das autoridades de saúde e da corporação de bombeiros.

As bombeiras tinham contactado e transportado um suspeito de estar infetado com a doença Covid-19, suspeita essa que se veio a confirmar positiva após testes de despistagem do utente.

Como medida de precaução, as duas bombeiros foram colocadas em isolamento no quartel, ao longo dos últimos 14 dias, estando agora novamente aptas para regressar “à linha da frente de combate e proteção” à população, como dá conta aquela associação, através das redes sociais.

Continuar a ler

Populares