Seguir o O MINHO

Alto Minho

Valença já tem novo presidente da Câmara

Manuel Lopes substitui Jorge Mendes, eleito deputado

em

Foto: Divulgação / CM Valença

Manuel Lopes assumiu a presidência da Câmara de Valença, substituindo no cargo Jorge Mendes, que foi eleito deputado do PSD pelo Alto Minho nas eleições legislativas de outubro, informou hoje a autarquia.

Manuel Lopes, número dois da lista que concorreu às eleições autárquicas de 2017, desempenhou até agora as funções de vice-presidente da autarquia.

Contactada hoje pela agência Lusa, fonte do município adiantou que Manuel Lopes assumiu a liderança da autarquia, na quinta-feira, presidindo pela primeira vez à sessão ordinária da autarquia, tendo decidido, face àquela alteração, reestruturar os pelouros municipais.

A mesma fonte acrescentou que “o executivo municipal mantém o mesmo número de vereadores a tempo inteiro (4) e um a meio tempo”.

Jorge Mendes. Foto: Facebook

Além da presidência do município, Manuel Lopes “assumiu, também, a vice-presidência da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, cargo até agora desempenhado pelo anterior presidente, Jorge Mendes.

Manuel Lopes ficou ainda com os pelouros das Freguesias, Obras Públicas, Proteção Civil, Trânsito e Vias Municipais, Gabinete de Comunicação, Relações Públicas e Imagem, Autoridade Veterinária.

Manuel Lopes escolheu Elisabete Domingues para a vice-presidência do município, acumulando as áreas da Ação Social, Gestão do Pessoal, Biblioteca Municipal, Educação, Refeitório Municipal, Transportes Escolares, Tesouraria e Património.

O vereador José Monte ficou com as pastas das Coletividades, Cultura, Desporto, Juventude, Parques de Estacionamento Públicos, Transportes, Turismo, eurocidade e projetos transfronteiriços.

Já o vereador Mário Oliveira, até agora sem pelouros atribuídos, viu serem-lhe entregues as áreas das Obras particulares, Iluminação Pública, Limpeza e Ambiente, Mercados e Feira, cemitério municipal, infraestruturas de águas e saneamento, Viaturas Municipais (manutenção), Conferência de Faturas e Contraordenações.

Liliana Cerqueira entra neste novo executivo, a meio tempo, assumindo o pelouro da Saúde.

O anterior presidente social-democrata da Câmara de Valença, Jorge Mendes, 54 anos, economista, suspendeu o mandato autárquico em agosto, e renunciou ao cargo no final de outubro, antes da tomada de posse como deputado pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo a que concorreu como cabeça de lista.

O executivo municipal de Valença é composto por sete elementos: cinco do PSD e dois do PS.

Nas legislativas de 06 de outubro, o PS foi o partido mais votado, com 34,78% dos votos, tendo recuperado o terceiro deputado pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo à Assembleia da República que havia perdido em 2015 para a coligação PSD/CDS-PP. O PSD ficou em segundo lugar, com 33,8% dos votos e o mesmo número de deputados que os socialistas (três).

Além de Jorge Mendes, foram eleitos nas últimas eleições legislativas, Emília Cerqueira, deputada desde 2015, natural de Arcos de Valdevez, e Eduardo Teixeira, líder da concelhia de Viana do Castelo, que regressou ao parlamento após um interregno de quatro anos.

Eduardo Teixeira foi o nome apontado pelo partido para o terceiro lugar da lista pelo Alto Minho, depois do veto dos órgãos nacionais a Carlos Morais Vieira. Líder da distrital social-democrata desde janeiro de 2014, Carlos Morais Vieira foi reeleito para o último mandato em março de 2018.

Anúncio

Alto Minho

Arguido por enterrar material com amianto no solo em Monção

Crime ambiental

em

Imagem ilustrativa / DR

A GNR identificou e constituiu arguido um homem de 52 anos por crime ambiental em Monção, por ter “depositado no solo” material com “amianto”, informou esta terça-feira aquela força policial.

Em comunicado enviado à imprensa, o Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, adiantou que a operação policial, desencadeada “após uma denúncia”, ocorreu na segunda-feira.

No decurso da investigação “por depósito de amianto no solo, os militares efetuaram diligências que permitiram apurar o local do aterro e identificar o individuo, sendo que este terá recorrido a uma retroescavadora para depositar o material poluente”.

“Foram recolhidas amostras para análise, tendo sido retirados os resíduos e encaminhados para local de tratamento adequado onde serão incinerados, evitando o risco de contaminação do solo”, refere a nota da GNR.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana com programa “único no país” para monitorizar qualidade do ar dentro das escolas

Ambiente

em

Foto: Divulgação / LUCIOS Engenharia e Construção (portefólio)

Viana do Castelo é o “primeiro município do país” a desenvolver um programa de monitorização da qualidade do ar interior dos 53 edifícios do parque escolar do concelho, num investimento de 18 mil euros, anunciou hoje a câmara.

“Viana do Castelo é o primeiro município do país com uma estratégia para a monitorização das radiações ionizantes, sob a forma de programa, que está a ser concretizado e com resposta clara para este assunto”, afirmou hoje o vereador do Ambiente e Biodiversidade, Ciência, Inovação e Conhecimento, Ricardo Carvalhido.

O responsável, que falava durante a sessão de encerramento do projeto RnMonitor “Radão em Portugal: situação atual e perspetivas futuras” explicou que aquele programa “começou a ser implementado esta semana para avaliar a qualidade biotérmica e radiológica” do ar nas 53 escolas do concelho, sendo que, “no próximo mês, será iniciada a avaliação à qualidade microbiológica”.

“Vamos avaliar o ar de cerca de um terço das salas de aulas das nossas escolas. Dentro de dois meses, esperamos ter o primeiro perfil da qualidade do ar das nossas escolas. Nos edifícios que apresentarem dados fora dos valores considerados normais, será implementado um estudo mais pormenorizado com uma duração de, no mínimo, três meses”, especificou.

Ricardo Carvalhido adiantou que “a monitorização do gás radão e dos parâmetros de humidade, temperatura e dióxido de carbono estão a ser aferidos por sensores instalados nas 53 escolas do concelho, equipamentos que comunicam através de uma rede partilhada entre a câmara e pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), sendo possível receber, em tempo real, os dados de cada estabelecimento”.

“Estes dados estão a ser monitorizados na plataforma da Rede Municipal de Monitorização de Parâmetros Ambientais e de Proteção Civil, para, posteriormente, serem validados e analisados pelos parceiros do programa”, indicou.

O programa de monitorização da qualidade do ar interior de edifícios municipais tem como parceiros o IPVC e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), que participarão “na elaboração de um manual de boas práticas para a qualidade do ar interior de cada edifício escolar”.

Aquele documento incluirá medidas que “poderão passar pela determinação de uma frequência e duração de arejamento, ou, em casos excecionais, a instalação de mecanismos de ventilação forçada do espaço”.

O vereador da câmara da capital do Alto Minho explicou que o programa teve início no parque escolar por ser “reconhecido, por um lado, que o conforto biotérmico dos alunos nas salas de aula, (aferido pelos dados de temperatura e humidade relativa) é um fator determinante no sucesso educativo e também porque a presença de agentes radiológicos (como é exemplo o gás radão, principalmente na região Norte e Centro de Portugal) e biológicos (como vírus, fungos e bactérias) podem comprometer de forma séria, a saúde dos alunos e dos profissionais de educação”.

A implementação daquele programa municipal resulta “da transferência de competências em matéria de educação, da administração central para a administração local”.

Ricardo Carvalhido adiantou que, em abril, no decurso do programa municipal, a autarquia lançará, no âmbito do Dia Nacional do Ar, a iniciativa “O Radão por Casa”.

O responsável explicou tratar-se de “um programa doméstico que disponibilizará aos munícipes uma sonda que lhes permitirá conhecer, durante uma semana, os valores de radão e os parâmetros de conforto bioclimático da sua habituação”.

Posteriormente, “os munícipes receberão uma avaliação diagnóstica com orientações para a mitigação dos parâmetros nos casos em que estes ultrapassem o valor legal de referência”.

“No caso dos moradores do centro histórico, estará disponível a sonda que permitirá o acesso em tempo real aos valores medidos, através da plataforma da rede municipal de monitorização de parâmetros ambientais e proteção civil”, referiu.

O projeto de investigação intitulado “RnMonitor: Infraestrutura de Monitorização Online e Estratégias de Mitigação Ativa do Gás Radão no Ar Interior em Edifícios Públicos da Região Norte de Portugal” foi realizado entre 2016 e 2019.

A investigação foi conduzida pelos docentes António Curado e Sérgio Lopes do IPVC e incidiu sobre 30 edifícios públicos selecionados pelas câmaras de Viana do Castelo e Barcelos.

Continuar a ler

Alto Minho

Mulher encontrada morta na cozinha em Melgaço

Em Fiães

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Uma mulher, com cerca de 80 anos, perdeu a vida durante esta madrugada, em Fiães, concelho de Melgaço, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Ao que apurámos, a mulher terá caído ao início da noite na cozinha da sua habitação, no lugar do Convento de Fiães, onde residia com o marido.

O homem, com sintomas avançados da doença de Alzheimer, não terá dado conta, com o alerta a ser dado apenas pela manhã desta terça-feira, cerca das 08:30.

Fonte dos bombeiros indicou que foi alertada para uma situação de queda na habitação.

À chegada da ambulância com dois operacionais, a vítima já se encontrava sem  vida. “Terá morrido há várias horas”, disse a mesma fonte.

Pelas 12:41, fonte do CDOS de Viana indicou que ainda não foi solicitada a remoção do cadáver.

Continuar a ler

Populares