Seguir o O MINHO

Alto Minho

Valença aprova orçamento de 19,9 milhões para 2022

Com abstenção do PSD

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara de Valença aprovou por maioria o Plano de Atividades e Orçamento (PAO) para 2022, no valor de 19,9 milhões de euros, que vai ser submetido à apreciação e votação da Assembleia municipal, na quinta-feira.

Em declarações hoje à agência Lusa, Manuel Lopes, um dos dois vereadores do PSD justificou a abstenção por considerar “não fazer sentido” votar contra o PAO para o próximo ano por ser “uma cópia” do de 2021, quando o PSD era poder.

“Se o atual executivo [de maioria socialista] tivesse optado por não aumentar os impostos aos valencianos teríamos votado a favor. No nosso mandato, a Câmara devolvia 5% do IRS aos valencianos. Agora, a maioria socialista, reduziu em 50%, devolvendo apenas 2,5% do IRS. Como começaram a entrar já nos bolsos dos valencianos, optamos pela abstenção”, afirmou o ex-presidente da segunda cidade do Alto Minho.

Além dos votos favoráveis dos quatro elementos do PS, o PAO para 2022 foi viabilizado pelos dois vereadores do movimento Fortalecer Valença.

Em comunicado enviado às redações, a autarquia adiantou que o documento, no valor total de 19,9 milhões de euros, representa “um acréscimo de quase 5% (930 mil euros) relativamente ao ano em curso.

Segundo o município, presidido por José Manuel Carpinteira, trata-se de “um orçamento de transição, num período em que a incerteza causada pelas novas variantes da pandemia covid-19, como a Ómicron, se mantém”.

No entanto, destaca a autarquia, o PAO “é focado numa estratégia de desenvolvimento que garanta um futuro risonho para Valença e para os valencianos”.

Nas “funções sociais, são estimados valores próximos dos 6,3 milhões de euros, um reforço no valor de 600 mil euros, face a 2021”.

A educação será “uma forte aposta na qual a autarquia prevê investir mais de 1,2 milhões de euros”.

As “funções económicas apresentam um montante de mais de 2,4 milhões de euros e a administração pública de mais de dois milhões de euros”.

Para a maioria socialista na autarquia, o “traço distintivo centra-se no reforço da dotação das transferências para as freguesias, no valor de 340 mil euros, numa opção de valorização do papel das Juntas e de otimização da eficácia e da qualidade do seu trabalho de proximidade junto das populações”.

O “documento previsional para 2022 assegura, por um lado, a conclusão de investimentos com financiamento comunitário garantido do Portugal 2020 e contempla, por outro, novos projetos e iniciativas que alavancarão o progresso de Valença”.

“Há rubricas para o lançamento de novos projetos a ser submetidos a candidaturas do Programa de Recuperação e Resiliência ou do Portugal 2030, tais como a ExpoValença – Centro de Exposições e Congressos, o parque verde da cidade, o cineteatro ou o alargamento do parque habitacional, ao abrigo do 1º Direito”.

A “melhoria das condições do centro de saúde, o alargamento das especialidades médicas, a instalação da residência académica, a avaliação jurídica da eventual reversão da parceria com a empresa Águas do Alto Minho (ADAM), a elaboração de uma agenda cultural de maior qualidade e regularidade, e políticas direcionadas para a juventude, como o Orçamento Participativo Jovem, são prioridades claras para 2022”.

Populares