Seguir o O MINHO

Valença

Valença aceita duas competências e admite mais mas com “garantias financeiras”

em

Foto: DR/Arquivo

O concelho de Valença aceitou a transferência de duas competências da administração central em 2019, admitindo reavaliar o processo quando estiverem garantidas condições financeiras, informou hoje fonte autárquica.

De acordo com aquela fonte, a proposta de aceitação das competências nas áreas da gestão de praias marítimas, fluviais e lacustres, integradas no domínio público hídrico do Estado e da exploração das modalidades de jogos de fortuna ou azar e afins foi aprovada, por unanimidade, no dia 17, em reunião camarária.

O município, de maioria PSD, liderado Jorge Mendes, justificou a decisão por se tratar de duas competências “estratégias” para o concelho e que “não representam grandes custos” para os cofres da autarquia.

Já a rejeição de sete diplomas da lei-quadro da transferência de competências foi explicada com “falta de informação” por parte do Governo de como irá funcionar a descentralização”, sendo que o município irá “aguardar avanços nesta matéria”, admitindo vir a “reavaliar” o processo quando isso acontecer.

O município aprovou ainda a transferência, para a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, de duas competências nas áreas dos projetos financiados por fundos europeus e dos programas de captação de investimento e promoção turística, tal como apontada uma proposta “consensualizada entre os dez municípios que a integram”.

Na última sexta-feira, em assembleia municipal, aquelas propostas foram aprovadas por maioria, com os votos contra da bancada da CDU.

O Governo aprovou 21 diplomas setoriais no âmbito da lei-quadro da transferência de competências para autarquias e entidades intermunicipais – num processo gradual de descentralização entre 2019 e 2021 -, faltando ainda aprovar o decreto de novas atribuições das freguesias.

Os primeiros 11 diplomas setoriais já publicados abrangem a transferência de competências, para as autarquias, nas praias, jogos de fortuna ou azar, vias de comunicação, atendimento ao cidadão, habitação, património, estacionamento público, bombeiros voluntários e justiça, e para as entidades intermunicipais, na promoção turística e fundos europeus e captação de investimento.

As entidades intermunicipais podem ainda assumir novas atribuições no apoio a bombeiros voluntários e justiça, enquanto as freguesias também podem receber responsabilidades no atendimento ao cidadão.

O Presidente da República promulgou, entretanto, outros quatro decretos, nos domínios da proteção e saúde animal e segurança dos alimentos, educação, saúde e cultura, que aguardam publicação oficial.

As autarquias e entidades intermunicipais que não quiserem assumir em 2019 as competências dos decretos setoriais publicados terão de o comunicar à Direção-Geral das Autarquias Locais (DGAL), entre 31 de janeiro e 02 de fevereiro – consoante a data da publicação -, após decisão dos respetivos órgãos deliberativos.

Anúncio

Caminha

Padre “motard” enche igrejas nas primeiras missas em Valença

Depois de 10 anos em Caminha

em

Foto: Facebook de Padre Ricardo

Após 10 anos em Caminha, Ricardo Esteves, conhecido como o “padre motard”, estreou-se este fim de semana nas freguesias de Valença que será responsável, e encheu os locais.

O padre celebrou a primeira missa em Boivão, quando até chegou a cometer uma pequena gafe ao trocar o nome de Valença por Caminha, sem incomodar em nada a assistência.

O padre Ricardo Esteves foi pároco nas freguesias de S. Martinho de Lanhelas, Sta. Eulália de Vilar de Mouros e S. Pedro de Seixas durante quatro anos, e apesar de uma petição com cerca de 1900 assinaturas a pedir a permanência, o reverendo foi transferido para as freguesias de Divino Salvador de Gandra, Sta Marinha de Taião, S. Félix de Sanfins, S. Tiago de Boivão e S. Cristóvão de Gondomil, no arciprestado de Valença.

O pároco, famoso por gostar de andar de mota, ir ao ginásio e sair à noite, mostrou-se ansioso por iniciar os novos projetos e disse que traz as antigas paróquias no coração.

Durante a missa de Boivão, o pároco garantiu que “não estou aqui para alterar nada, estou aqui para dar um pouco melhor de mim e para vos ajudar no que for necessário”.

O padre Ricardo Esteves foi substituído pelo padre Manuel Joaquim Rodrigues Pinto em Caminha.

Continuar a ler

Alto Minho

Feira dos Santos de Cerdal leva 400 feirantes a Valença: “Vendem de tudo”

A última grande feira romaria do calendário anual do Noroeste Peninsular

em

Foto: DR / Arquivo

A Feira dos Santos de Cerdal, em Valença, considerada a última grande feira romaria do calendário anual do Noroeste Peninsular, vai voltar a realizar-se nos dias 01 e 02 de novembro, informou hoje a Câmara local.

A feira secular de Valença, “que aparece documentada em 1758 como ponto de confluência de portugueses e galegos, atrai todos os anos “milhares de visitantes das duas regiões vizinhas”.

Cerca de 400 expositores “vendem de tudo, desde vestuário, louças, calçado, gado, produtos do campo, maquinarias agrícolas, sendo que a feira dispõe ainda das tradicionais tasquinhas, parques de diversões entre outras iniciativas.

No dia 01 de novembro realiza-se a feira dos Santos e no dia 02 a feira das Trocas, que como o nome indica permite trocar os produtos adquiridos na véspera que por alguma razão não serviram.

Manda a tradição que nas noites de 31 de outubro e 01 de novembro, a feira dos Santos seja o destino para provar os vinhos novos e saborear os petiscos locais. Nas tasquinhas animam-se as noites, ao som das concertinas e as cantigas de desgarrada.

Continuar a ler

Valença

Banda Sinfónica do Exército atua sexta-feira em Tui

No âmbito da eurocidade Tui e Valença

em

Foto: DR/Arquivo

A Banda Sinfónica do Exército Português atua na sexta-feira, pelas 21:30, no teatro municipal de Tui, em Espanha, num concerto de homenagem ao maestro Sousa Morais.

O espetáculo, com entrada gratuita, “realiza-se pela primeira vez, no âmbito da eurocidade Tui e Valença num concerto com a principal banda do Exército português, evocativa de tantas memórias das bandas militares e músicos que, ao longo de séculos, fizeram o seu percurso, também, na Praça-Forte de Valença”.

A atuação da Banda Sinfónica do Exército “abre um ciclo de concertos, em Valença e Tui, de homenagem ao maestro Sousa Morais, um dos principais compositores portugueses de sempre, com mais de 300 obras”.

“O percurso do maestro Sousa Morais começou em 1872, no Batalhão de Caçadores N.º 7, aquartelado na Praça-Forte de Valença, tendo percorrido Portugal sempre ligado à música, como músico, maestro, professor e compositor”, especifica o município minhoto.

Continuar a ler

Populares