Seguir o O MINHO

Alto Minho

Vale do Minho preside a federação nacional de associações de desenvolvimento local

Adriminho

em

Foto: Divulgação / ADRIMINHO

A Associação de Desenvolvimento Rural Integrado do Vale do Minho (Adriminho), no distrito de Viana do Castelo, vai presidir à federação Minha Terra no triénio 2020-2022, informou hoje aquela estrutura.

Em comunicado, a Adriminho, fundada em 1994 e composta pelos seis municípios do Vale do Minho – Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Valença e Vila Nova de Cerveira – adiantou que a eleição dos novos órgãos sociais da federação ocorreu em assembleia geral, na sexta-feira, no salão nobre da Câmara de Águeda.

Criada há 20 anos, a federação Minha Terra integra “associados de todas as regiões NUT II”.

De acordo informação publicada no sítio na Internet daquela federação, a Minha Terra é composta por “58 Associações de Desenvolvimento Local (ADL) que “representam, no seu conjunto, mais de 90% do território nacional e as suas capacidades de iniciativa e concretização dizem diretamente abrangem mais de quatro milhões de portugueses, habitantes em zonas rurais”.

“A representatividade das ADL federadas valoriza as especificidades de cada território e confere autenticidade à intervenção e aos projetos nele realizados, expressando o dinamismo das forças vivas da sociedade civil rural enquanto agentes do seu próprio desenvolvimento”, lê-se na publicação.

Já a Adriminho, com sede em Valença e cuja direção é liderada pelo presidente da Câmara de Melgaço e coordenada por Ana Paula Xavier, tem como “principais atividades o desenvolvimento de projetos e iniciativas que promovam o desenvolvimento local harmonioso e integrado do Vale do Minho, nas áreas do artesanato, da produção de produtos de qualidade e do turismo”, entre outras.

Em 25 anos de atividade, segundo dados da Adriminho, “mais de 400 projetos foram aprovados, que proporcionaram um investimento total superior a 30 milhões de euros, e a criação de cerca 200 postos de trabalho”.

Na tomada de posse dos órgãos eleitos, a nova presidente da Minha Terra, Ana Paula Xavier, citada naquela nota, salientou “os princípios do programa comunitário Leader, que regem a federação, os resultados alcançados pelas ADL, mas também os desafios e constrangimentos que têm surgido, defendendo a necessidade de desenhar, para o futuro período de programação, instrumentos de apoio ao desenvolvimento local que vão ao encontro das necessidades, potencialidades e expectativas das comunidades”.

Ana Paula Xavier preconizou ainda “as mais-valias de um instrumento mais simples e mais flexível”.

O Leader é um subprograma do Programa de Desenvolvimento Rural (ProDer) que tem como principais objetivos a promoção de iniciativas integradas, concebidas e postas em prática à escala local.

No Vale do Minho, “até ao final do atual período de programação comunitário, a Adriminho irá aplicar um valor superior a quatro milhões de euros provenientes dos programas FEADER, FSE e FEDER, montantes significativos que contribuem para a dinamização de economia local”.

Anúncio

Viana do Castelo

Juiz manda prender jovem que fez vários assaltos com arma branca em Viana

Crime

em

Foto: DR / Arquivo

A GNR anunciou hoje a detenção de um homem, de 28 anos, por tentativa de roubo e de extorsão, no concelho de Viana do Castelo, o qual ficou sujeito à medida de coação de prisão preventiva.

“Na sequência de várias denúncias, por ameaças, tentativa de roubo e [de] extorsão, todas com recurso a arma branca, os militares desencadearam um conjunto de diligências policiais que levaram à identificação e detenção do suspeito que se encontrava na posse de uma faca de cozinha, de um ‘X-ato’ e [de] um canivete”, explica a GNR, em comunicado.

O detido, com antecedentes criminais pelo mesmo tipo de crime, foi presente ao Tribunal Judicial da Comarca de Viana do Castelo para primeiro interrogatório judicial, o qual lhe aplicou a medida de coação mais gravosa: prisão preventiva.

A detenção ocorreu no domingo, acrescentando a GNR que o arguido “já havia sido detido há cerca de um mês pelo furto de vários objetos em ouro, na residência da própria mãe, num valor a rondar os 25 mil euros”.

Continuar a ler

Alto Minho

Homem cai a um poço e fica em estado grave em Ponte da Barca

Acidente

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um homem, de 61 anos, ficou com ferimentos graves depois de cair acidentalmente num poço, na freguesia de Lavradas, em Ponte da Barca, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Segundo explica José Freitas, comandante dos Bombeiros de Ponte da Barca, o homem procedia a trabalhos de reparação em cima do poço quando terá sofrido uma queda de cerca de cinco metros de altura, ficando com ferimentos graves.

“Inicialmente foi ativada uma ambulância e uma equipa de resgate mas só foi necessária a primeira viatura porque familiares conseguiram retirar o homem do poço antes da nossa chegada”, acrescenta o comandante.

O alerta foi dado cerca das 14:30.

No local esteve ainda a VMER do Alto Minho.

A vítima foi transportada para o hospital de Viana do Castelo.

Continuar a ler

Alto Minho

Viana do Castelo apela à compra no comércio local

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

A Câmara e a Associação Empresarial de Viana lançaram uma campanha com o “Compre em Viana, apoie o Comércio Local”.

“Em contexto de pandemia, a campanha visa transmitir e demonstrar a confiança e segurança na utilização dos equipamentos vianenses, no acesso aos alojamentos hoteleiros, restaurantes, cafés, pastelarias e estabelecimentos comerciais da cidade e do concelho”, refere a Câmara em comunicado.

A campanha tem por base, como esclarece o município, “as vantagens competitivas e diferenciadoras de Viana do Castelo, como as caraterísticas do território, a qualidade ambiental e do edificado, a extensão das praias, a segurança e os serviços de saúde, os desportos náuticos, os produtos endógenos, os espaços museológicos, a diversidade da oferta cultural, os amplos espaços de fruição e de lazer, a oferta hoteleira de elevada qualidade, a excelência da restauração e do comércio”.

A campanha de apoio ao comércio local está integrada na iniciativa “Havemos de ir a Viana”, de promoção da cidade e do concelho no pós-Estado de Emergência, lançada pelas duas entidades com o objetivo de promover a reativação do comércio, restauração e hotelaria vianenses.

A campanha junta-se ao selo “Comércio Seguro”, lançado no início deste mês e que já conta com a adesão de 1.200 estabelecimentos.

A iniciativa “Comércio Seguro” pretende reativar o comércio tradicional local através de um selo que garante que o negócio está a cumprir todas recomendações de prevenção da covid-19, emanadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Os kits, que incluem o selo, são atribuídos mediante a assinatura de uma declaração de compromisso e incluem um guia com as recomendações da DGS. O objetivo, explica o município, é ajudar a restabelecer o ambiente de confiança que deve existir entre consumidores e comércio tradicional e vice-versa.

Continuar a ler

Populares