Seguir o O MINHO

Alto Minho

Vaivém elétrico sem condutor pode vir a ligar eurocidade Valença e Tui em 2023

Mobilidade

em

Foto: CM Valença / Divulgação

A ligação entre os centros históricos da eurocidade de Valença, no Alto Minho, e Tui, na Galiza, pode passar a ser assegurada, em 2023, por um vaivém elétrico, sem condutor, disse hoje o presidente da Câmara portuguesa.

Contactado pela agência Lusa, a propósito de uma nota enviada às redações, o socialista José Manuel Carpinteira disse que o projeto Shuttle (vaivém) pode vir a integrar a “Agenda Urbana da Eurocidade Tui-Valença, que está praticamente fechada, que prevê um investimento de mais de um milhão de euros e que será submetida a fundos comunitários”.

“Se tudo correr bem a eurocidade Valença e Tui e o veiculo elétrico tiver utilidade prática, será a primeira, na fronteira entre Portugal e Espanha, a ter este meio de transporte a ligar os centros históricos”, referiu.

Em causa está o projeto Shuttle (vaivém), desenvolvido e construído pelo Centre Technologique de l’Automobile de Galice (CTAG) para utilização Vulnerable Road User (VRU) e Remote Driving (RD), em estrada reais, de um veículo autónomo e conectado no âmbito do projeto 5GMOBIX.

“A proximidade e a mobilidade sustentável entre Valença e Tui é uma prioridade. Tem de ser mais eficiente do que nos dias que correm e este veículo pode fazer a diferença. Apesar dos contactos que eu e o meu colega de Tui estabelecemos com o CTAG estarem ainda numa fase muito preliminar, se tudo correr bem estamos interessados em apostar neste modelo de transporte de vanguarda tecnológica”, afirmou José Manuel Carpinteira.

Segundo o autarca, até agora as experiências com o veículo têm decorrido na ponte centenária sobre o rio Minho, mas em breve vão ser alargadas aos dois centros históricos”.

“Nas viagens através da ponte centenária sobre o rio Minho. Tem funcionado bem e com segurança, mesmo com a mudança de redes de Internet. Em breve, a experiência vai ser alargada aos dois centros históricos, e se a ligação for eficaz será um veículo que nos interesse para fazer garantir a mobilidade entre os dois municípios”, realçou.

Nestes testes do projeto europeu 5GMOBIX está a ser analisado o impacto na condução e funções autónomas das novas implantações de rede 5G em ambientes fronteiriços.

Em setembro, a eurocidade vai receber o evento final do projeto financiado pela União Europeia (UE), momento em que serão apresentadas as conclusões das experiências que têm vindo a ser realizadas desde setembro de 2021.

Aquele evento contará com a presença de representantes técnicos e especialistas neste tipo de tecnologia de vários países (França, Alemanha, Finlândia, Holanda, Bélgica, Grécia, Turquia, China, Coreia, Portugal e Espanha).

“Nesta fase, o veículo ainda tem um custo elevado. Cerca de 200 mil euros, mas pode ser comprado ou alugado. Tem bateria para garantir uma autonomia de nove horas, capacidade para transportar entre 12 e 15 pessoas e, que é comandado por sensores ligados à Internet”, explicou José Manuel Carpinteira.

Desta forma, ambas as cidades estão na vanguarda tecnológica em termos de CCAM (Cooperative and Connected Autonomous Mobility).

Em outubro de 2021 foi realizada uma demonstração deste projeto, com os delegados da UE, na centenária ponte internacional.

Na quarta-feira, os presidentes das Câmaras de Valença, José Manuel Carpinteira e de Tui, Enrique Cabaleiro, fizeram uma viagem naquele veículo autónomo.

“Os responsáveis do CTAG estão interessados em apresentar uma proposta aos municípios de Valença e Tui para que possam ter, no futuro, este serviço de shuttle (vaivém) autónomo e sustentável a realizar, regularmente, ligações turísticas entre os dois centros históricos e, nós, também estamos motivados nesse sentido.

O “principal objetivo do 5G-MOBIX é lançar as bases para a implantação de serviços e aplicativos 5G CCAM e dar um forte impulso em ambos os países (Portugal e Espanha) para o desenvolvimento de oportunidades em torno do 5G no setor do Intelligent Transport Systems (ITS).

São “parceiros deste projeto, entre outros, a NOS, Telefónica, Nokia, Siemens, Infraestruturas de Portugal, Direção Geral de Tráfego, entre outros.

EM FOCO

Populares