Seguir o O MINHO

Futebol

“Vai ser um campeonato difícil para toda a gente”

SC Braga venceu (3-1) Moreirense

em

Declarações após o jogo da primeira da I Liga de futebol entre SC Braga e Moreirense (3-1), deste domingo, disputado em Braga.

Ricardo Sá Pinto (treinador do SC Braga): “Os objetivos eram vencer, fazer gestão [da equipa] e jogar com qualidade, só não foi conseguido o não sofrer golos, de resto foi um pleno.

Estou muito satisfeito, foi um jogo muito conseguido, dominámos completamente o adversário, que teve uma ou outra situação, tiveram a oportunidade do golo do Nenê, mas muito pouco face ao nosso domínio. Foi uma vitória inteiramente justa.

O golo deles nasceu de uma desconcentração nossa, vínhamos de uma série difícil de jogos e é natural que tenha havido algum relaxamento.

Foi importante vencer e entrar a ganhar no campeonato, gerimos bem o resultado e os ritmos de jogo.

Confio nos dois, no João Novais [titular hoje] e no André Horta. O André fez um grande jogo na quinta-feira [na Dinamarca, na vitória por 4-2 sobre o Brondby, na primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga Europa] e o João fez um grande jogo hoje. Disse que ia tentar ser o mais justo possível com a equipa e tenho jogadores que merecem jogar. Claro que não poderei alterar sempre, mas jogar de três em três dias dá essa possibilidade.

Vai ser um campeonato competitivo e difícil para toda a gente como é notório pelos resultados desta jornada. No futebol não há segredos, todos têm bons jogadores, bons treinadores, todos estudam e preparam os jogos. Os que não jogam de três em três dias têm mais tempo para preparar melhor o jogo e a estratégia, de estarem melhor fisicamente. Nós temos uma exigência maior, mas estamos preparados e até gostamos, prefiro estar nas quatro competições”.

Foto: DR / Arquivo

Vítor Campelos (treinador do Moreirense): “Entrámos com um ‘onze’ com sete jogadores novos, por infelicidade o Filipe Soares saiu lesionado e entrou outro jogador novo [Luiz Henrique]. O Braga entrou forte, teve algum domínio, nós com outro critério nas transições podíamos ter criado perigo e depois, já para além do tempo, sofremos um golo que não devíamos ter sofrido.

Retificámos algumas coisas ao intervalo e entrámos muito bem na segunda parte, estávamos claramente por cima e foi quando tivemos uma infelicidade e sofremos o 2-0 um bocado contra a corrente do jogo.

Continuámos a jogar e a tentar ter bola e sofremos o terceiro golo, mas mostrámos que somos uma equipa que acredita e tem crença e marcámos um golo.

Estamos tristes pelo resultado, mas felizes por algumas situações boas que temos que potenciar.

Este é um Moreirense em crescendo, os jogadores que chegaram estão a conhecer-se e sentimos que estamos melhores de dia para dia. A imagem que demos aqui hoje foi muito diferente da que demos em Setúbal, agora temos que ser mais constantes do início ao fim do jogo”.

Anúncio

Futebol

SC Braga eliminado da Liga Europa

Afastado pelo Rangers

em

Foto: Divulgação / SC Braga

O SC Braga perdeu hoje com o Rangers, 1-0, e foi eliminado nos 16 avos de final da Liga Europa de futebol, num jogo em que foi incapaz de mostrar argumentos para se impor.

O único golo da partida surgiu aos 61 minutos, com Kent a concluir uma das várias oportunidades de que o Rangers dispôs, inclusivamente uma grande penalidade defendida por Matheus no final da primeira parte.

Os minhotos fizeram a pior exibição da ‘era’ Rúben Amorim, mostrando-se sem ideias para contrariar um adversário muito coeso e combativo, mas que, na primeira mão, foi inferior e dominado pelo Braga durante grande parte do jogo.

Nesse jogo em Glasgow, na passada quinta-feira, o SC Braga esteve a ganhar por 2-0 até meio da segunda parte, mas permitiu a reviravolta no marcador em apenas 15 minutos (derrota por 3-2).

O Rangers de Steven Gerard parece ter aprendido a lição e não deu espaço a jogadores fundamentais na construção do jogo ‘arsenalista’, como Fransérgio e Trincão.

Sem Wallace, lesionado, e Bruno Wilson (não inscrito), Rúben Amorim fez regressar à equipa Raul Silva, Esgaio, Palhinha, Fransérgio, Trincão e Paulinho, enquanto no Rangers a grande baixa foi o avançado colombiano Morelos, castigado.

O SC Braga iniciou o jogo pressionante, a defender muito longe da sua baliza e a tentar chegar ao golo. O risco era assumido e a equipa escocesa fez por explorá-lo: aos 09 minutos, Kent fugiu por entre os centrais bracarenses e isolou Kamberi que, com tudo para marcar, atirou contra Matheus.

Os homens da frente do Rangers podem não ser os mais virtuosos tecnicamente, mas são exímios na entrega e desgaste da defesa contrária e, quando a isso se alia algum nervosismo da defesa contrária, está feito o ‘caldo’ de lances perigosos.

Aos 20 minutos, uma má abordagem de Raul Silva permitiu a Hagi roubar-lhe a bola, o romeno passou depois por David Carmo e serviu Kent que fez a bola rasar o poste direito de Matheus.

O Braga respondeu aos 26 minutos: Trincão criou espaço na esquerda onde apareceu Sequeira a cruzar com conta, peso e medida para um cabeceamento de Paulinho, que obrigou McGregor a defesa para canto.

Pouco depois, novamente Sequeira a centrar, Paulinho fez o primeiro desvio e a bola ainda embateu em Fransérgio e quase traía MacGregor (30).

No último lance antes do intervalo, o tal lance do penálti defendido por Matheus: Raúl Silva cortou a bola com a mão após um canto e, na grande penalidade respetiva, o guardião brasileiro fez uma grande defesa, com a mão esquerda, ao remate forte de Hagi (45+1).

Rúben Amorim fez entrar João Novais após o intervalo para o lugar de Palhinha e, aos 53 minutos, lançou Galeno tirando Raúl Silva, mas sem quaisquer efeitos e foi mesmo o Rangers o primeiro a criar perigo, com Kent a atirar por cima (55).

Contudo, seis minutos depois, o avançado inglês não perdoou quando surgiu isolado na cara de Matheus e fez o único golo da partida.

Rúben Amorim apostou tudo ao tirar o central David Carmo e a meter o avançado Abel Ruiz (64), mas a equipa não conseguia ligar uma jogada com princípio, meio e fim.

Aos 71 minutos, Paulinho, de cabeça, após centro de João Novais, desperdiçou a melhor ocasião dos bracarenses que, até ao final, não mais ameaçaram com semelhante perigo a baliza escocesa.

Os ‘arsenalistas’, que precisavam de recuperar da derrota por 3-2 sofrida no jogo da primeira mão, não conseguiram inverter o rumo da eliminatória e falham o acesso aos oitavos de final da competição.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Municipal de Braga.

SC Braga – Rangers, 0-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

0-1, Ryan Kent, 61 minutos.

Equipas:

– SC Braga: Matheus, Bruno Viana, David Carmo (Abel Ruiz, 64), Raúl Silva (Galeno, 53), Esgaio, Palhinha (João Novais, 46), Fransérgio, Sequeira, Trincão, Ricardo Horta e Paulinho.

(Suplentes: Tiago Sá, Vítor Tormena, André Horta, João Novais, Galeno, Rui Fonte e Abel Ruiz).

Treinador: Rúben Amorim.

– Rangers: Allan McGregor, James Tavernier, Connor Goldson, George Edmundson, Borna Barisic, Steven Davis, Scott Arfield, Ryan Jack, Ianis Hagi (Joe Aribo, 72), Ryan Kent e Florian Kamberi (Sheyi Ojo, 78).

(Suplentes: Wes Foderingham, Nicola Katic, Glen Kamara, Joe Aribo, Andy Halliday, Sheyi Ojo e Greg Stewart).

Treinador: Steven Gerrard.

Árbitro: Andreas Ekberg (Suécia).

Ação disciplinar: cartão amarelo para David Carmo (47), Florian Kamberi (73), Esgaio (89) e Abel Ruiz (90+4).

Assistência: 18.113 espetadores.

(notícia atualizada às 19h22)

Continuar a ler

Futebol

Jogador do Gerês suspenso 18 meses pela AF Braga: “Não matei ninguém”

Disciplina

em

Foto: DR

Marco Gonçalves, futebolista do GD Gerês, foi suspenso durante 18 meses pela Associação de Futebol (AF) de Braga na sequência de comportamento agressivo para com um árbitro.

O jovem futebolista de 22 anos está acusado pela associação que tutela o futebol no distrito de ter partido a cana do nariz do árbitro que apitou o jogo entre o GD Gerês e o Serzedelo, a contar para a 13.ª jornada do Campeonato Distrital Seniores 1ª divisão – Série B, em janeiro último.

Apesar de o relatório da associação que determinou o castigo indicar que o juiz da partida foi agredido pelo jogador, o mesmo nega qualquer agressão ao árbitro, e diz apenas ter-se “encostado” num momento “mais acalorado” do jogo.

Em declarações a O MINHO, Marco mostra-se revoltado com o castigo: “Nada fiz a não ser encostar-me ao árbitro e apanho 18 meses de castigo”.

A situação ocorreu pouco depois dos 80 minutos de jogo, quando o lateral direito do Gerês, já com um amarelo no jogo, fez uma falta no meio campo, acabando por receber a segunda cartolina e ordem de expulsão por acumulação de cartões.

“Contestei o segundo amarelo e a única coisa que fiz foi encostar-me ao árbitro na altura dos protestos, não lhe bati, não dei cabeçada, não o esmurrei e muito menos lhe parti o nariz””, expõe.

Marco blinda-se no relatório da GNR, a que O MINHO teve acesso, e que registou essa ocorrência como “um encosto não significativo”.

O jogador já foi ouvido na sede da AF Braga para aplicação de castigo, mas alega não poder ter-se defendido. “Levei testemunhas mas não quiseram saber, já estava definido que me iriam castigar”, diz.

Embora tivesse sido apontado como um exemplo de disciplina, por ter registado apenas cinco cartões em onze anos de AF Braga, este foi um dos castigos mais pesados a que se assistiram nos últimos anos.

“Parti-lhe o nariz aos 83 minutos e ele nada disse, ficou em campo até final?”, questiona o jogador agora suspenso. “Admito que merecia um castigo por lhe ter tocado, mas nunca 18 meses”, contrapõe.

“É totalmente irrazoável que eu lhe tivesse partido o nariz sem que ele não tivesse esboçado qualquer reação e continuasse em jogo normalmente, estivesse com a GNR que o acompanhou para os balneários e em momento algum disse à GNR que eu lhe parti o nariz, é óbvio que isto é mentira”, argumenta.

O jovem, natural de Vieira do Minho, já apresentou recurso, na passada sexta-feira. “Tive de pagar 400 euros ao advogado para recorrer, embora seja um valor alto, faço-o porque não é verdade aquilo de que me acusam e vou levar isto até às últimas para provar que não parti nada ao árbitro”, aduz.

“Eu vou pela verdade… Se realmente lhe tivesse partido a cana, a multa de 18 meses seria justa e eu tinha de estar caladinho, mas não o fiz, por isso não me vou calar”, vinca, apelando ainda à AF Braga que tenha “consideração” pela carreira exemplar que teve ao longo da última década.

O MINHO tentou ouvir a AF Braga sobre esta matéria, mas tal não foi possível ao longo dos últimos dias.

Já o Núcleo de Árbitros de Futebol de Braga havia manifestado publicamente a solidariedade para com David Alves, árbitro da partida, de apenas 20 anos.

Em comunicado, o núcleo falou em “agressão bárbara” e inibidora relativamente à opção do árbitro prosseguir carreira e que “a justiça deve atuar” para bem do “respeito e fair-play“ no desporto.

Continuar a ler

Futebol

Guimarães: PSP ainda não identificou adeptos que insultaram Marega

I Liga

em

Foto: Vitória SC / Arquivo

O processo de identificação dos adeptos do Vitória SC, responsáveis pelos insultos racistas dirigidos a Marega, vai entrar numa fase mais pormenorizada com a investigação de fotogramas de cerca de dez elementos da claque, adiantou O Comércio de Guimarães.

Com esta ação a PSP vai tentar reconhecer os protagonistas dos insultos assim como apontar adeptos de cara tapada que de utilizaram engenhos pirotécnicos durante a partida.

Estes membros da claque do Vitória, que ocupavam as bancadas nascente e sul do Estádio D. Afonso Henriques, estão sujeitos a uma multa de 750 euros e da impossibilidade de aceder a recintos desportivos, durante um ano, caso sejam identificados e provados os seus atos.

Até ao momento nenhum adepto foi ainda identificado.

Continuar a ler

Populares