Seguir o O MINHO

Braga

Utilizadores de parque canino em Braga defendem-se de acusações de moradores

em

Foto: Divulgação

Os utilizadores do Parque Canino de Lameiras já reagiram ao comunicado de alguns moradores da região na sequência do encerramento do local na última semana. Os utentes dizem que as acusações de que utilizam o local “sem regras” é mentira, e que está a ser criada uma “histeria coletiva”.

“Isso é mentira. A partir do momento que houve um horário estipulado, os utilizadores só poderiam utilizar das 08:00 às 20:00, foi até comprado um cadeado com código, em que cerca de 10 utilizadores teriam esse código, e o último a sair, fechava”, disse Liliana Neves, frequentadora do parque, em contato a O MINHO.

“Em questão da limpeza, do pó, de cumprir horários e de não responder insultos provenientes da janela, estamos de consciência tranquila”, disse.

Foto: Divulgação

A utilizadora diz também que a Câmara não ajudou na instalação de um tapamento total da vedação do local, que limiataria o campo de visão dos cães e, consequentemente, o barulho.

“Os cães observam outros cães do lado de fora, ou alguma pessoa a correr, e podem colocar-se a ladrar. Pedimos a vedação para a Câmara”, diz Liliana.

O movimento Braga para Todos, que ajudou a preparar a manifestação no último sábado, alega que o parque foi desmantelado na sequência de queixas de três moradores, um deles funcionário da Câmara, segundo confirma João Tinoco, presidente da Junta de União de Freguesias de Nogueiró e Tenões.

Sobre a questão do novo parque, situado junto ao Instituto de Nanotecnologia, os utilizadores são peremptórios:

“É um nanoparque. E o principal problema é a falta de segurança para os nossoos animais e para os automobilistas que por lá vão a passar, uma vez que o parque está muito próximo da estrada. Um perigo”, diz Ana Sofia, outra utilizadora.

Depois de quase ano e meio de funcionamento, o equipamento único na cidade com condições de espaço, água e segurança para os animais e iniciativa da Junta de Freguesia de Nogueiró-Tenões, começou a ser desmantelado pela Câmara de Braga, sem qualquer fundamentação legal, alegam os utilizadores.

Havia pareceres técnicos de cinco entidades, Ministério Público, DGVA, Delegação de Saúde, GNR e uma empresa certificada de medição de ruído, que não encontrou nenhum nível no parque que igualasse, sequer, o máximo permitido pela lei. Os cinco pareceres foram todos favoráveis à continuidade do parque, e alguns deles promoveram a replicação deste equipamento em outras freguesias do concelho.

Anúncio

Braga

845 já recuperaram da covid em Braga e não morre ninguém do vírus há cinco dias

Covid-19

em

Arco-íris sobre Braga. Foto: Redes sociais

Mais duas pessoas estão infetadas com covid-19 no concelho de Braga subindo para 1.354 os casos confirmados. O número de óbitos mantém-se nos 63 desde a passada sexta-feira.

Depois de na segunda-feira não se ter registado nenhum caso novo de infeção por covid-19 em Braga, hoje, os serviços sanitários registaram mais dois, sendo, agora, 1.354 as pessoas portadoras do vírus.

O número de óbitos mantém-se estável, sendo 63 as pessoas falecidas com o coronavírus no concelho.

Fonte do setor local da saúde disse a O MINHO que o número de cidadãos curados é, agora, de 845.

A mesma fonte precisou que estão agora sob vigilância ativa da autoridade local de saúde 67 pessoas, o que significa que são contactadas com frequência pelos técnicos para se saber o seu estado sanitário, já que estiveram em contacto com alguém que contraiu o coronavírus.

Continuar a ler

Braga

Delegado de saúde de Braga alerta para onda de calor: “Pode matar”

Saúde pública

em

Foto: Ilustrativa / DR

Face ao alerta amarelo e às temperaturas elevadas esperadas até final do fim de semana, o delegado de saúde dos agrupamentos de saúde Cávado I (Braga) João Manuel Cruz elaborou alguma informação, á qual O MINHO se associa, de forma a divulgar os riscos a evitar durante este período.

QUAIS OS RISCOS DO CALOR ?

A exposição a calor intenso é uma agressão para o organismo, podendo conduzir a desidratação, ou agravamento de doenças crónicas, a um esgotamento ou a um golpe de calor.

Deve ter em atenção certos sintomas associados a um esgotamento por calor, tais como cãibras musculares, cansaço, fraqueza, desmaio, náuseas e vómitos, respiração rápida e superficial, grande transpiração, palidez, pele fria e húmida, pulso fraco e rápido e dor de cabeça.

O RISCO MAIS GRAVE

O golpe de calor é a situação mais grave e pode provocar danos irreversíveis à saúde e até levar à morte. Os principais sintomas são febre alta, dores de cabeça, tonturas, pulso rápido e forte, náuseas, confusão, perda de consciência, contracções musculares e pele vermelha, quente e seca, sem suor.

São mais vulneráveis ao calor:
• Crianças nos primeiros anos de vida
• Idosos
• Portadores de doenças crónicas (cardiovasculares, respiratórias, renais, diabetes e alcoolismo)
• Obesos
• Acamados
• Pessoas com problemas de saúde mental
• Pessoas que tomam medicamentos, tais como, anti-hipertensores, antiarrítmicos, diuréticos, antidepressivos, neurolépticos, entre outros.

Proteja-se do Sol e do calor

• Evite a exposição directa ao Sol, em especial, entre as 11 e as 16 horas
• Na praia, mesmo debaixo do chapéu de sol não está protegido. A água do mar também reflecte os raios solares podendo provocar queimaduras solares
• Sempre que se expuser ao Sol ou andar ao ar livre, use protector solar (índice>30)
• Use chapéu e óculos escuros (especialmente para pessoas de pele clara). Proteja a cabeça das crianças com chapéu de abas
• Use roupa solta, de preferência de algodão e aplique sempre protector solar
• Nos dias de grande calor, os bebés e os idosos não deverão ir à praia
• Diminua os esforços físicos e repouse frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados

Beba e faça uma alimentação equilibrada

• Aumente a ingestão de água ou de sumos de fruta naturais, sem adição de açúcar, mesmo sem ter sede
• Evite bebidas alcoólicas e com elevados teores de açúcar
• Faça refeições leves, pouco condimentadas e mais frequentes

Os recém-nascidos, as crianças, as pessoas idosas e as pessoas doentes podem não sentir sede. Ofereça- lhes água!

Refresque-se

• Permaneça 2 a 3 horas por dia num ambiente fresco. Se isso não for possível em sua casa, visite centros comerciais, museus, cinemas ou outros locais com ar condicionado.
• No período de maior calor tomar um banho de água tépida. Evite, no entanto, mudanças bruscas de temperatura.

Em casa

• Evite que o calor entre. Corra as persianas ou portadas e mantenha o ar a circular
• Abra as janelas durante a noite
• Use menos roupa na cama, sobretudo, dos bebés e doentes acamados.

Em viagem

• Se o carro não tiver ar condicionado não feche completamente as janelas
• Leve água ou sumos de fruta naturais sem adição de açúcar
• Sempre que possível viaje de noite
• Evite a permanência em viaturas expostas ao Sol, em especial, de crianças, doentes ou idosos

PROCURE E DÊ AJUDA

• Não hesite em pedir ajuda a um familiar ou vizinho no caso de se sentir mal com o calor
• Informe-se periodicamente sobre o estado de saúde das pessoas isoladas, idosas ou com dependência que vivam perto de si e ajude-as a protegerem-se do calor

No caso de

• Sofrer doença crónica ou estiver a fazer uma dieta com pouco sal ou restrição de líquidos
• Estar a tomar medicamentos
• Ter sintomas pouco habituais

Consulte o seu médico ou contacte a SAÚDE 24 (808 24 24 24).

Uma vítima de um golpe de calor corre risco de morte. São indispensáveis cuidados médicos de emergência. LIGUE 112.

Continuar a ler

Braga

Condutor que atropelou ciclista em Braga continua em fuga e arrisca pena de prisão até 2 anos

Crime

em

Imagem via Google Maps

O condutor que atropelou um ciclista num dos túneis da Avenida Imaculada Conceição, na cidade de Braga, ainda não se entregou às autoridades, apurou O MINHO junto de fonte da PSP.

O MINHO sabe que a PSP está a tentar apurar a identidade do homem mas a ausência de testemunhas não permite uma maior agilização do processo. O carro seguiria em excesso de velocidade no túnel da intersecção com a Avenida João XXI quando terá abalroado um ciclista de 65 anos, projetando a vítima. Recorde-se que o ciclista circulava legitimamente naquela infraestrutura.

O acidente ocorreu por volta das 10:30 da manhã de domingo, com a vítima a ser assistida no local pelos Bombeiros Voluntários de Braga e transportada de urgência para o Hospital de Braga, onde deu entrada com ferimentos graves.

Já o condutor do veículo automóvel colocou-se em fuga não prestando assistência, incorrendo em crime de omissão de auxílio após acidente criado pelo próprio, punível com pena de prisão até dois anos ou multa até 240 dias.

Continuar a ler

Populares