Seguir o O MINHO

Ave

Universidade do Minho “aposta forte” em Famalicão

Ensino superior

em

Foto: Divulgação / CM Famalicão

O reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, entregou, esta manhã, a bandeira da Universidade do Minho ao presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, num gesto carregado de simbolismo que marca a presença da Universidade em Famalicão. “Com este gesto não estamos propriamente a querer marcar território”, disse o reitor em tom de brincadeira, “mas estamos a demonstrar a nossa intenção e a nossa ambição de consolidar a Universidade do Minho neste território através de um projeto com futuro”.


Paulo Cunha visitou, esta terça-feira, o Centro de investigação da Universidade do Minho, criado há cerca de um ano no CIIES (Centro de Investigação e Inovação e Ensino Superior de Famalicão), em Vale S. Cosme. Acompanhado por Rui Vieira de Castro, Paulo Cunha inteirou-se sobre o trabalho desenvolvido nos dois laboratórios que já funcionam na estrutura e sobre os projetos para o futuro.

Neste momento, a Universidade do Minho já investiu em Famalicão mais de um milhão de euros em equipamentos para apetrecharem os laboratórios de Biotecnologia Alimentar e de MicroNano Fabricação. De acordo com o reitor, para além do equipamento, “a Universidade trará para o concelho a curto prazo cerca de 30 investigadores e, por arrastamento, estudantes de doutoramento e estudantes de mestrado e outros investigadores que farão aqui os seus estudos”.

“É um número significativo, que tenderá sempre a aumentar por efeito de alargamento da nossa atividade aqui”, afirmou Rui Vieira de Castro, que não escondeu a ambição de criar em Vila Nova de Famalicão “um verdadeiro polo da Universidade do Minho”.

“Nós criamos aqui estas duas unidades instaladas, mas a nossa perspetiva é bastante mais ambiciosa. Verdadeiramente o que nós esperamos é ir construindo a ideia de uma universidade multipolar, com uma presença mais vincada em Famalicão”.

O reitor referiu ainda o ambiente empresarial propicio existente no concelho, salientando que “este é um contexto extremamente favorável à universidade para que ela possa materializar algumas das suas dimensões de atividade. Famalicão é uma aposta forte”.

Satisfeito com as intenções da Universidade do Minho para o concelho, o presidente da Câmara Municipal disse que “Famalicão é hoje um concelho fortemente industrializado e é o epicentro de grandes empresas, reunindo um potencial enorme, para através de parcerias, como esta com a Universidade do Minho, afirmar-se no contexto nacional e internacional”.

O autarca salientou ainda a importância “do ambiente propicio à partilha de conhecimentos e à inovação”, tendo em conta a proximidade destas estruturas ao TECMEAT, Centro de Competências do Agroalimentar, que também está instalado no CIIES, assim como a um conjunto de empresas e entidades ligadas ao agroalimentar. “Temos aqui reunidas as condições essenciais para que o resultado seja o que ambicionamos”, referiu Paulo Cunha, dando conta da aposta do município no setor das Carnes.

Anúncio

Ave

Vizela dá cheque a famílias carenciadas para gastarem no comércio local

Covid-19

em

Foto: CM Vizela / Arquivo

A Câmara Municipal de Vizela vai atribuir às famílias carenciadas e numerosas um Cheque Família cujo valor varia entre os 20 e 40 euros para gastarem em compras no comércio local, adiantou hoje.

Esta medida visa apoiar as famílias carenciadas do concelho, mas também servir como estímulo adicional para a dinamização do comércio local e para o “desejado aumento do volume de negócios” nesta época de Natal, referiu, em comunicado.

Canalizando para esta iniciativa cerca de 40 mil euros, o município acredita que esta terá um impacto positivo na melhoria da qualidade de vida das famílias e das crianças, ao mesmo tempo que cria condições para promoção da economia local.

Vizela é um dos nove concelhos com mais de dois mil casos por 100 mil habitantes, segundo a taxa de incidência de casos acumulados nos últimos 14 dias hoje divulgados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O Cheque Família vai ser atribuído às famílias mais carenciadas e numerosas e com filhos em idade escolar, sublinhou.

O valor do cheque, entre os 20 e 40 euros, será definido de acordo com o escalão de atribuição de auxílios económicos, no âmbito da ação social escolar, explicou a câmara.

Os comerciantes que queiram aderir a esta iniciativa devem inscrever-se até dia 30 de novembro, através do email [email protected]

Os cheques poderão ser gastos nas lojas aderentes até 31 de janeiro de 2021.

Portugal contabiliza pelo menos 3.971 mortos associados à covid-19 em 264.802 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país está em estado de emergência desde 09 de novembro e até 08 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Durante a semana, o recolher obrigatório tem de ser respeitado entre as 23:00 e as 05:00, enquanto nos fins de semana e feriados a circulação está limitada entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e entre as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira.

Continuar a ler

Guimarães

Bombeiros das Caldas das Taipas com sete infetados

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / DR

Há sete bombeiros infetados na corporação de Caldas das Taipas, em Guimarães. Há ainda dez voluntários em isolamento.

A informação foi confirmada ao Guimarães Digital, do Grupo Santiago, pelo presidente da instituição, José das Neves Machado, assegurando que o plano de contingência foi de imediato implementado e o corpo de bombeiros segue em “normal funcionamento”.

Em declarações àquele órgão, o responsável felicita “os bombeiros pela forma como se têm comportado na prevenção, mas enfrentam outros riscos pois estão na linha da frente e transportam doentes todos os dias com covid-19 dos concelhos de Guimarães e Braga”.

“Embora bem equipados, é natural que tenham contraído o vírus”, conclui José das Neves Machado.

Continuar a ler

Ave

Dois menores apanhados a roubar estabelecimento em Famalicão

Crime

em

Foto: Ilustrativa / DR

A PSP deteve, na madrugada desta segunda-feira, dois menores, de 16 e 17 anos, por furto em estabelecimento comercial através de arrombamento, na Rua Dom Pedro V, em Famalicão.

A detenção ocorreu por volta das três da manhã. Os suspeitos tinham na sua posse uma gaveta de caixa registadora e noventa e sete isqueiros.

De seguida, a PSP contactou o dono do estabelecimento que compareceu no local e reconheceu os objetos furtados.

Os detidos são presentes hoje junto do Tribunal Judicial da Comarca de Famalicão.

Os suspeitos estão referenciados pela PSP por diversos crimes desta natureza.

Continuar a ler

Populares