Seguir o O MINHO

Desporto

Unicef parceira da final da Taça de Desporto Escolar 2020 em Melgaço, anunciou ministro

Desporto escolar

em

Foto: DR / Arquivo

O ministro da Educação disse hoje na Lourinhã que “começar e acabar a tempo o ano letivo passou a ser a norma”, depois de pela primeira vez os professores contratados terem sido colocados em meados de agosto.

O governante anunciou ainda que, pela primeira vez, a Unicef vai associar-se à Taça do Desporto Escolar, cuja final se realiza em 2020 em Melgaço, no distrito de Viana do Castelo.

“A Taça do Desporto Escolar terá associada a Unicef, que tem também como missão desenvolver o desporto como uma das valências a que as crianças têm direito”, disse, adiantando que a chancela da Unicef tem como finalidades “apelar para que as crianças e jovens conheçam as instituições internacionais e para que entendam os direitos na infância, como apela as Nações Unidas”.

De visita a uma escola que aposta no desporto escolar, o governante lembrou que o desporto escolar vai ser reforçado em 200 horas semanais neste ano letivo.

Durante os últimos quatro anos da atual legislatura, esse reforço consubstanciou-se em mais 800 horas.

“Começar e acabar o ano letivo a tempo passou a ser a norma”, afirmou Tiago Brandão Rodrigues aos jornalistas, durante uma visita a uma escola na Lourinhã, no distrito de Lisboa.

A Escola Básica de Miragaia, pertencente ao Agrupamento de Escolas da Lourinhã, na zona mais interior do concelho, possui cerca de 400 alunos.

Neste arranque do ano letivo, Tiago Brandão Rodrigues disse que “está tudo a postos”, depois de “este ano, de forma absolutamente inédita”, os professores contratados terem sido colocados a 16 de agosto nas escolas.

“As escolas puderam conhecer o seu corpo docente completo a meio de agosto e nunca tal tinha acontecido e isso permite uma estabilidade, uma previsibilidade e uma preparação da primeira semana deste ano letivo”, explicou.

Em vez da colocação de professores, “agora são outras as preocupações relativamente à pedagogia, projetos a desenvolver para garantir sucesso escolar para incluir mais aqueles alunos que têm uma determinada deficiência ou necessidades educativas especiais”, frisou.

Hoje termina o prazo para as escolas públicas iniciarem o ano letivo.

 

Anúncio

Desporto

Português sagra-se vice-campeão mundial de Fórmula 2 de motonáutica

Em Abu Dhabi

em

Foto: Divulgação

O português Duarte Benavente sagrou-se hoje vice-campeão mundial de Fórmula 2 de motonáutica, após o último Grande Prémio da temporada, em Abu Dhabi, no qual também terminou na segunda posição.

Na capital dos Emirados Árabes Unidos, Benavente somou 15 pontos, para um total de 53 ao longo da época, abaixo dos 95 de Rashed Al Qemzi, atleta ‘da casa’ e vencedor do Grande Prémio de Portugal, em Baião.

“Parabéns Duarte Benavente. Orgulho nacional”, pode ler-se na página da Federação Portuguesa de Motonáutica, felicitando o atleta luso, antigo competidor em Fórmula 1 da modalidade.

Continuar a ler

Futebol

Bruno Fernandes é “intocável” no Sporting frente ao Moreirense

13.ª jornada da Liga

em

Foto: Divulgação

O treinador do Sporting assumiu hoje que Bruno Fernandes é “intocável” no conjunto de Alvalade, por ser um “fora de série”, e desvalorizou as críticas que o médio faz à equipa dentro e fora das quatro linhas.

Ao comentar a competitividade interna do plantel dos ‘leões’, em Alcochete, na conferência de imprensa de lançamento do jogo frente ao Moreirense, da 13.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, Jorge Silas saiu em defesa do ‘capitão’ de equipa e referiu mesmo que “queria mais jogadores assim”.

“Precisamos de mais jogadores participativos, que o futebol é mesmo assim. Eu, quando jogava, estava sempre a falar. O futebol é isto, não é não podermos ajudar o colega e criticar no bom sentido. Precisamos é de mais gente como o Bruno”, elogiou o técnico dos ‘verde e brancos’.

Ainda no plano individual, Silas garantiu que não sente necessidade de falar com Acuña por causa do seu temperamento, que lhe tem custado algumas ações disciplinares por parte dos árbitros, mas assumiu que o argentino tem de “gerir de forma superior as suas emoções”.

“Tem 29 anos e percebe perfeitamente que se prejudica a ele, à equipa [do Sporting] e à seleção [da Argentina]. Mas quando cumprir o castigo, voltará à equipa com normalidade”, garantiu o treinador ‘leonino’.

Sem poder contar com o lateral argentino, Silas assumiu que a titularidade nessa posição será de Borja, referindo que acredita num “bom jogo” do colombiano, e desvendou que Battaglia estará de regresso à convocatória, no domingo, após um longo período de recuperação de uma lesão.

Por outro lado, recusou-se a desvendar se será Renan Ribeiro ou Luís Maximiano a defender as redes dos ‘leões’ frente aos ‘cónegos’.

“Quando aqui cheguei, tinha a sensação que só podia jogar o Renan, agora tenho a sensação de que podem jogar os dois e isso é bom para nós”, justificou o técnico.

Sobre o adversário de domingo, Silas elegeu “a transição ofensiva” como o ponto mais forte de uma equipa que está a fazer um campeonato “dentro das expectativas”, graças a um “bom trabalho do treinador”, mas sublinhou que quer o Sporting a “jogar para ganhar”.

O técnico assumiu ainda que a sua equipa tem de ser “mais assertiva” no plano defensivo, uma vez que perdeu, devido a erros defensivos, alguns jogos que até dominou, como frente ao Tondela e ao Gil Vicente.

“Há erros que são maus e não os podemos cometer. Até podemos sofrer golos, mas desta forma não podem acontecer, porque não estão no guião”, lamentou Jorge Silas.

O Sporting, quarto classificado, com 20 pontos, recebe no domingo o Moreirense, 11.º, com 14, em encontro da 13.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, agendado para as 17:30.

Continuar a ler

Futebol

Vítor Oliveira rejeita deslumbramento do Gil Vicente frente ao Rio Ave

13.ª jornada da Liga

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O treinador Vítor Oliveira recusou hoje que o momento de forma do Gil Vicente tenha influência na visita ao Rio Ave, na segunda-feira, no encontro de encerramento da 13.ª jornada da I Liga de futebol.

“O jogo com o Moreirense tem sido bem recordado esta semana [derrota por 3-0 na segunda ronda]. Se voltarmos a entrar em ‘bicos de pés’, não foi por falta de aviso. A nossa equipa ainda tem pouca raiz e a qualquer momento pode soltar. No plano individual, não somos os melhores, mas coletivamente podemos ser muito mais fortes”, analisou o técnico, na conferência de antevisão ao duelo, no Estádio Cidade de Barcelos.

Em plena série de três vitórias consecutivas no campeonato, intercalada com a eliminação das duas taças nacionais, os minhotos escorregaram em Moreira de Cónegos logo após terem derrotado o FC Porto (2-1), na jornada inaugural, situação que Vítor Oliveira quer evitar na ressaca do triunfo caseiro sobre o Sporting (3-1).

“Há sempre o perigo de isso acontecer, mas só por burrice poderíamos cometer um erro semelhante. Esta onda de vitórias dá ânimo e confiança aos jogadores para exteriorizarem melhor as suas capacidades e, frente ao Sporting, tivemos uma resposta que foi muito satisfatória. Queremos manter estes resultados, que facilitam o nosso trabalho”, assumiu.

Vítor Oliveira elogiou o Rio Ave, uma “belíssima equipa, com processos bem trabalhados e um pouco aquém em termos pontuais”, que só será ultrapassada com um Gil Vicente “ao melhor nível” e a procurar “discutir o jogo”.

“Em casa, somos muito mais fortes, mas ganhar fora é agradável e nem sempre conseguimos isso. Queremos pontuar mais vezes fora e manter uma média pontual equilibrada, que nos permita andar no meio da tabela. Mas, se continuarmos assim, estamos no bom caminho”, vaticinou.

Os dois emblemas encontraram-se na foz do Ave para o campeonato por nove ocasiões, originando quatro triunfos vila-condenses, três vitórias minhotas e duas igualdades.

O Gil Vicente, oitavo colocado, com 16 pontos, visita o Rio Ave, na nona posição, com 15, na segunda-feira, às 20:15, no Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde.

Continuar a ler

Populares