Seguir o O MINHO

Braga

UMinho integra Aliança de Universidade Europeias

Liderada pela Universidade de Lille (França), a Aliança integra, para além da UMinho, as universidades de Malmö (Suécia), Roma Tre (Itália), Babeş-Bolyai (Roménia), Mykolas Romeris (Lituânia) e Wroclaw (Polónia)

em

Foto: Divulgação / UMinho

A Universidade do Minho (UMinho) é uma das sete instituições envolvidas na criação de uma Aliança de Universidades Europeias, em resposta à nova call “European Universities”, do programa Erasmus+, anunciou hoje a academia minhota.

“O consórcio, intitulado InclusU, propõe-se desenvolver projetos de ensino, investigação e interação com a sociedade em torno das temáticas da inclusão e da promoção da cidadania ativa”, refere aquela universidade em comunicado enviado a O MINHO.

Liderada pela Universidade de Lille (França), a Aliança integra, para além da UMinho, as universidades de Malmö (Suécia), Roma Tre (Itália), Babeş-Bolyai (Roménia), Mykolas Romeris (Lituânia) e Wroclaw (Polónia).

“É inegável que a União Europeia está a atravessar um período de enormes desafios sociais, económicos, políticos e culturais. As universidades têm um papel essencial na resposta a estes desafios, cabendo-lhes envolver-se ativamente na construção de sociedades mais inclusivas, mais abertas e mais desenvolvidas”, afirma o reitor Rui Vieira de Castro, citado no texto.

Partilhando valores europeus, as sete instituições parceiras desenvolveram um projeto que integra múltiplas iniciativas que visam aumentar o seu impacto na sociedade e na economia, reforçar o Espaço Europeu do Ensino Superior (EEES) e contribuir decisivamente para a construção da União Europeia.

A Aliança foi apresentada no primeiro Meeting for Inclusive Universities in Europe, realizado em 20 de fevereiro, em Bruxelas, Bélgica, no qual participaram reitores, vice-reitores e diretores de serviços de relações internacionais das universidade do consórcio. Em representação da UMinho estiveram presentes o reitor Rui Vieira de Castro e a pró-reitora para a Internacionalização Carla Martins.

Populares