Redes Sociais

Aqui Perto

Um morto e um ferido em acidente na EN 14

Esta manhã de segunda-feira.

 a

Foto: DR / Arquivo

Uma pessoa morreu e outra ficou ferida esta segunda-feira de manhã, na Estrada Nacional 14, na Maia, na sequência de uma colisão entre duas viaturas.

Segundo disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto, o alerta foi dado às 7.02 horas. A via estava pelas nove horas “parcialmente obstruída” e, no local, encontravam-se 15 operacionais, apoiados por cinco viaturas.

“O ferido foi transportado para o Hospital de S. João”, no Porto, acrescentou.

Contactada pela Lusa, fonte dos Bombeiros Voluntários da Maia afirmou que o acidente ocorreu no sentido Castêlo-Maia, junto ao nó de entrada para a autoestrada A41.

Aqui Perto

Trás-os-Montes: Escola cria gabinete para dar apoio aos alunos após morte de duas colegas

Publicado

 a

Foto: "Notícias de Vila Real"

O agrupamento de escolas Miguel Torga, em Sabrosa, preparou um gabinete de crise, com psicólogos e assistentes sociais, para acompanhar os colegas das meninas que morreram em Fermentões.

Adelino Tomás, diretor do agrupamento de escolas, disse à agência Lusa que mal soube da notícia, no domingo, foi logo “preparado um gabinete de crise” para acompanhar os alunos, em particular os das turmas das meninas, que frequentavam o 4.º e o 7.º anos de escolaridade.

O responsável explicou que ao dispor das crianças e jovens estão, desde as 09:00, psicólogos e assistentes sociais, inclusive da associação Bagos d’Ouro, que se voluntariaram para ajudar.

A tragédia aconteceu numa casa da aldeia de Fermentões, no concelho de Sabrosa, distrito de Vila Real, onde foram encontradas mortas as meninas, os pais e um tio, sendo apontada como causa mais provável a inalação de monóxido de carbono.

Adelino Tomás falou numa “notícia trágica” que afetou toda a escola e indicou que esta manhã foi feito um “emocionado minuto de silêncio” pelas meninas.

As crianças estavam a ser acompanhadas pela Bagos d’Ouro, uma associação Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) de iniciativa exclusivamente privada, criada em 2010, com a missão de promover a educação de crianças e jovens carenciados do Douro como forma de inclusão social no território.

O casal estava a realizar obras na pequena casa que possuem em Fermentões para terem melhores condições. A família residia, durante a semana, numa quinta do Douro, onde os pais eram caseiros e só ao fim de semana iam a Fermentões.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Aqui Perto

PJ investiga morte de pais, filhas e tio que deixou aldeia de Trás-os-Montes consternada

O presidente da Câmara de Sabrosa, Domingos Carvas, disse que a situação “é dramática”.

Publicado

 a

Foto: Facebook de Jorge Miguel

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar as circunstâncias da morte de cinco pessoas, três adultos e duas crianças, em Fermentões, concelho de Sabrosa, distrito de vila Real, uma situação considerada “dramática” e que deixou toda a aldeia consternada.

A casa foi isolada pela GNR e os inspetores da PJ de Vila Real já estão a recolher os indícios.

Na rua juntam-se alguns familiares e vizinhos, mas, para já, pouca informação há sobre o que aconteceu no interior da habitação.

As vítimas são um casal, duas filhas e mais um irmão de um dos adultos, com idades compreendidas entre os 08 e os 54. O casal trabalhava numa quinta do Douro.

José Barros, comandante dos bombeiros de Sabrosa, afirmou aos jornalistas, nas proximidades da habitação, que foi um familiar que deu o alerta esta tarde, no entanto a rigidez dos corpos aponta que a morte tenha ocorrido várias horas antes. O familiar terá estranhado o facto de as vítimas não terem aparecido durante todo o dia.

“Pelo sítio onde estão e da forma como estão, devem ter morrido na madrugada de ontem para hoje”, referiu.

As vítimas foram encontradas em dois quartos e na sala/cozinha.

A casa estava em obras e possui fracas condições.

O comandante fez questão de sublinhar que “não há certezas quanto às causas das mortes”, a qual será determinada pela autópsia aos corpos.

No local aponta-se como causas inalação de monóxido de carbono ou a ingestão de cogumelos.

José Barros referiu que “não há nada que possa determinar as causas da morte”.

Fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) confirmou à agência Lusa que a morte das cinco pessoas se deve a uma intoxicação por inalação de monóxido de carbono.

Na aldeia do concelho de Sabrosa, distrito de Vila Real, o ambiente é de consternação.

O presidente da Câmara de Sabrosa, Domingos Carvas, disse que a situação “é dramática”.

“A situação fez tudo, não houve manobras, não houve salvamento, não houve nada. É uma situação muito difícil. É uma desgraça para a família, para a povoação, para o município”, referiu.

Domingos Carvas espera, no entanto, que a situação “sirva de alerta”, quer tenha tido a ver com a ingestão de cogumelos ou a inalação de monóxido de caborno.

Num espaço da Junta de Freguesia está a ser prestado apoio psicológico, por parte do INEM e da câmara, a familiares e amigos das vítimas.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Aqui Perto

Três adultos e duas crianças morrem por intoxicação em Trás-os-Montes

Publicado

 a

Foto: O MINHO / Arquivo

Cinco pessoas morreram hoje, devido a uma intoxicação no concelho de Sabrosa, distrito de Vila Real, adiantou à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Vila Real.

A intoxicação ocorreu na rua do Comércio, na aldeia de Fermentões, no concelho de Sabrosa, de acordo com o CDOS de Vila Real.

Ao que O MINHO apurou, morreram duas crianças e três adultos.

“Das vítimas mortais, duas são meninas, com nove e 14 anos, e três são adultos, dois deles homens com idades entre os 50 e os 60 anos”, acrescentou o jornal “Correio da Manhã”.

Estão confirmadas cinco vítimas mortais, mas ainda não se conhecem as causas. Existe uma versão que aponta intoxicação por monóxido de carbono e outro de intoxicação por ingestão de cogumelos venenosos.

O alerta foi dado às 16:39 e estão no local 14 operacionais e cinco veículos, de acordo com a informação da Proteção Civil.

Notícia atualizada às 18h16.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares