Seguir o O MINHO

Aqui Perto

Um morto e um ferido em acidente na EN 14

Esta manhã de segunda-feira.

em

Foto: DR / Arquivo

Uma pessoa morreu e outra ficou ferida esta segunda-feira de manhã, na Estrada Nacional 14, na Maia, na sequência de uma colisão entre duas viaturas.

Segundo disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto, o alerta foi dado às 7.02 horas. A via estava pelas nove horas “parcialmente obstruída” e, no local, encontravam-se 15 operacionais, apoiados por cinco viaturas.

“O ferido foi transportado para o Hospital de S. João”, no Porto, acrescentou.

Contactada pela Lusa, fonte dos Bombeiros Voluntários da Maia afirmou que o acidente ocorreu no sentido Castêlo-Maia, junto ao nó de entrada para a autoestrada A41.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Aqui Perto

Incêndio na Póvoa de Varzim deixa 12 pessoas desalojadas

Três pessoas ficaram feridas. A EN 13, que liga Viana ao Porto, irá permanecer cortada naquela zona.

em

Foto: Facebook de João Edgar Teixeira

O incêndio que deflagrou esta manhã num edifício da Póvoa de Varzim, no distrito do Porto, causou três feridos ligeiros, confirmou o comandante dos Bombeiros Voluntários locais, e vai deixar doze pessoas desalojadas.

Segundo Francisco Nova, três pessoas foram transportadas para o Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde, devido inalação de fumos e hipotermia.

O comandante explicou que as chamas deflagram no piso superior do edifício, onde funcionava uma pensão, e acabaram por afetar um restaurante no piso térreo e, também, a cobertura do edifício contíguo.

Devido ao nível de destruição, doze pessoas que habitavam na pensão, que estava alugada à Segurança Social, vão ficar desalojadas, estando o serviço de Ação Social da Câmara Municipal a tentar encontrar soluções, disse à Lusa fonte da autarquia.

O incêndio ocorreu na rua Paulo Barreto, que faz parte da Estrada Nacional 13, que liga o Porto a Viana do Castelo, e que permanecerá cortada no local durante as próximas horas, para que se possam efetuar os trabalhos de rescaldo.

Estiveram envolvidos nas operações, desde o alerta para o fogo às 07:19, 30 operacionais, com o apoio 12 veículos.

Continuar a ler

Aqui Perto

Autarca atribui ao mediatismo crianças pequenas a fumar em aldeia de Trás-os-Montes

em

Foto: Facebook de Joaquim Silva Gomes (2018)

A Festa dos Reis na aldeia de Vale de Salgueiro, em Mirandela, ganhou visibilidade pela polémica imagem de crianças a fumar cigarros que o presidente da junta garante ser uma tradição, mas em idades mais avançadas.

Situação causou espanto nos Estados Unidos. Notícia: FOX

Carlos Cadavez reiterou, em declarações à Lusa, que os mais velhos desta localidade do distrito de Bragança atestam que se trata de um ritual antigo e que Reis sem cigarros não é festa, mas reconheceu que tem sofrido alterações.

“Começaram a aparecer as televisões e as pessoas põem o cigarro na boca dos filhos com quatro ou cinco anos, só para aparecer. Antigamente só os rapazes e raparigas a partir dos 10, onze anos”, afirmou.

Os Reis, como disse à Lusa, são a festa mais importante desta aldeia, supera inclusive a do verão, e ocorre religiosamente sempre nos dias 05 e 06 de janeiro.

Se a data calhar durante a semana, é como que “feriado” para a população rural da localidade.

Ao certo ninguém sabe como é que o cigarro foi introduzido nesta festa. Segundo o presidente da junta, “o que se fala é que teria a ver com a emancipação” dos jovens.

“Há aqui na aldeia um senhor com 101 anos que diz que já no tempo dele fumavam rapazes e raparigas”, afiançou.

O autarca tem 45 anos e garantiu que também ele fumou desde novo nesta festa, assim como a restante juventude da época.

“Não sou fumador e entre o pessoal da nossa juventude poucos são os que fumam”, assegurou.

O presidente da junta tem três filhas e adiantou que só a mais velha, com 11 anos, vai fumar este fim de semana, assim como a maioria das cerca de 20 crianças e jovens desta aldeia com aproximadamente 200 habitantes.

Segundo disse, é tradição, mas não é obrigatório e o próprio defende que os mais pequenos não devem fumar, assim como há pais que não deixam os filhos pegar nos cigarros, independentemente da idade.

A prática, como admitiu, já trouxe problemas com um deputado municipal a levantar a questão na Assembleia Municipal de Mirandela e o presidente da junta antevê que “amanhã ou passado o cerco irá apertar-se”.

Este fim de semana a tradição repete-se numa festa em que é o “Rei” que paga as despesas, no caso, um jovem da aldeia.

A conta rondará os “2.000 a 2.500 euros” segundo o presidente da junta e não têm faltado mordomos, apesar dos custos que incluem gaiteiro, música, comida, tremoços e vinho.

A celebração dos Reis arranca, no sábado, em Vale de Salgueiro, com uma arruada a cargo do gaiteiro, no final da tarde.

Depois de uma merenda, o animador volta a sair já acompanhado pelo “Rei” e vão de casa em casa a distribuir tremoços e vinho.

O autarca acredita que antigamente estes seriam os produtos com menos custo para oferecer, daí se manterem de ano para ano com o “Rei” a começar a preparação no dia de Natal. É ele que coze os tremoços, para serem curados até á festa.

No domingo, às seis da manhã o gaiteiro faz a alvorada pela povoação e o “Rei” com uma carapuça enfeitada com ouro emprestado pelas pessoas da aldeia, volta a andar de casa em casa a desejar bom ano.

A população contribuiu com o que entender para ajudar nas despesas da festa.

A missa é um dos momentos altos, durante a qual o “Rei” escolhe o sucessor que, depois da procissão de Santo Estêvão, oferece aos populares uns aperitivos.

Um almoço e uma tarde com a dança de origem celta da Murinheira, ao som da gaita-de-foles, encerram as festividades.

Apesar do despovoamento, esta aldeia já teve mais dificuldade em arranjar mordomo do que agora, segundo o presidente da junta.

Como contou, antigamente chegaram a ter de ser os mais velhos a aceitar a coroa e houve anos em que a festa não se realizou por falta de interessados.

“Agora, ainda há muita juventude e a coroa fica logo encomendada”, garantiu o autarca.

Continuar a ler

Aqui Perto

Recluso encontrado morto em Santa Cruz do Bispo

em

Um recluso foi encontrado morto ao princípio da manhã deste domingo, no Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo, em Matosinhos, distrito do Porto.

O homem foi encontrado sem vida cerca das 07:30 da manhã, com a abertura das celas, a fim de ser fornecido o pequeno almoço, segundo apurou O MINHO.

A Polícia Judiciária esteve no local a fazer averiguações, depois da GNR ter dado alerta ao Piquete da Diretoria do Norte da PJ, na sequência do óbito ter sido declarado no próprio local pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) baseada no Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, apoiada pelos Bombeiros Voluntários de Matosinhos-Leça.

Continuar a ler

Populares