Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Um dos últimos moradores do prédio Coutinho sai para visitar a mulher no hospital mas pode voltar

Homem de 89 anos, que na última semana permaneceu no prédio na companhia de um dos filhos, que hoje também saiu para visitar a mãe

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Um dos últimos nove moradores do prédio Coutinho, em Viana do Castelo, saiu hoje para ir ao hospital visitar a mulher, que está gravemente doente, mas pode regressar ao edifício “a qualquer momento”, se assim o entender.

Trata-se de um homem de 89 anos, que na última semana permaneceu no prédio na companhia de um dos filhos, que hoje também saiu para visitar a mãe.

“O nosso advogado falou com o presidente da Câmara e teve a garantia que podemos sair e depois voltaremos a entrar. Lamento que não tivesse oportunidade para me despedir da minha mãe e não sei se ainda vou conseguir a tempo de o fazer”, referiu o filho.

O prédio Coutinho é num edifício de 13 andares cuja demolição está prevista desde 2000, ao abrigo do programa Polis, por ser considerado um “aborto urbanístico”.

No entanto, a batalha judicial iniciada pelos moradores vem impedindo a concretização do projeto, iniciado quando José Sócrates era ministro do Ambiente.

Para o local onde está instalado o edifício, está prevista a construção do novo mercado municipal da cidade.

A ação de despejo dos nove últimos moradores no prédio esteve prevista para as 09:00 de segunda-feira, na sequência de uma decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga, de abril, que declarou improcedente a providência cautelar movida em março de 2018.

No entanto, os moradores recusaram-se a sair e mantêm-se no prédio.

A VianaPolis já cortou a eletricidade, o gás e a água do prédio, estando também proibida a entrada de alimentos.

Quem sair do prédio, já não é autorizado a entrar, mas a VianaPolis abriu uma exceção para o caso de hoje, tendo em conta que em causa está um grave problema de saúde.

Anúncio

Viana do Castelo

Cinquenta toneladas de lenha mantêm fogueira em convívio de Natal em Viana

No largo das Neves, comum a três freguesias

em

Foto: Divulgação / Arquivo

Mais de 50 toneladas de lenha vão manter acesa, durante cinco dias, a fogueira de Natal num largo comum a três freguesias de Viana do Castelo, para promover o convívio natalício das populações do Vale do Neiva.

“Entre lenha e cepos conseguimos reunir 50 toneladas para a edição 2019 da fogueira de Natal. As árvores abatidas resultam de corte seletivo, árvores que estavam doentes ou que estavam a impedir o crescimento de outras”, disse hoje à agência Lusa, o porta-voz do grupo Lenhadores do Largo, que organiza o convívio, Joel Monteiro.

Joel Monteiro, do movimento cívico que organiza a fogueira de Natal no largo das Neves, comum às freguesias de Barroselas, Mujães e Vila de Punhe, adiantou que “na época própria serão plantadas mais de uma centena de árvores” na zona onde agora foi realizado o corte seletivo.

Além daquela plantação, o grupo Lenhadores do Largo “vai oferecer à comissão de baldios de Carvoeiro 120 pés de azevinho”.

Além da vertente “ambiental e de sustentabilidade”, a fogueira de Natal do Largo das Neves, iniciada há três anos por um grupo de cidadãos do Vale do Neiva, pretende promover o convívio próprio da época.

No dia 21 de dezembro, a partir das 16:00, “dia e noite” a fogueira de Natal “aquecerá as conversas entre conterrâneos, amigos, vizinhos”.

“Com o pretexto do calor e da luz do fogo conviverão, confraternizando e reencontrando velhos amigos”, adianta a organização.

A lenha, que começou a ser recolhida em outubro, encheu oito tratores e vai manter a fogueira do Largo das Neves a arder entre os dias 21 e 25 de dezembro.

“O fogo, que durante imensos séculos e milénios serviu para proteger, guiar e reunir as pessoas e definir famílias, comunidades e sociedades, será novamente um motivo para a reunião, diálogo, convívio e reflexão numa quadra festiva de encontros e reencontros”, sublinhou o grupo de Lenhadores do Largo.

O largo das Neves, tem um “pedaço” das freguesias de Barroselas, Mujães e Vila de Punhe. É naquele espaço que foi construída, no início do século XVII, a Mesa dos Três Abades, iniciativa dos párocos para assinalar o fim das discórdias em relação aos limites das três freguesias.

Ao longo dos anos, e numa altura em que eram os párocos quem mais ordenavam, a Mesa dos Três Abades assumiu-se como uma espécie de fórum popular, já que era ali que eram discutidos e tratados os assuntos de interesse da comunidade, do foro eclesiástico e do civil.

Além da fogueira, “haverá animação e petiscos, entre eles, chouriças feitas pelos próprios lenhadores”.

No recinto estará disponível o “novo mobiliário produzido pelo grupo com tábuas de madeira para proporcionar conforto a todos os que participarem no convívio”.

“Os Lenhadores do Largo procuram através desta iniciativa contribuir para a dinamização, promoção e envolvência das três comunidades que se encontram no Largo das Neves”, destaca o movimento cívico.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Estudante de Viana vence prémio nacional “Jovem Talento em Gastronomia”

Com o prato “Tradição com Arroz Bom Sucesso”

em

Foto: Divulgação

André Rodrigues, aluno finalista do curso de Gestão e Produção de Cozinha, na Escola de Hotelaria e Turismo de Viana do Castelo, venceu o concurso nacional “Jovem Talento em Gasronomia”, que decorreu entre 04 e 05 de dezembro, em Fátima.

O jovem estudante de Viana do Castelo passou por três etapas regionais, disputando a final da oitava edição destes prémios, que decorreu na Escola de Hotelaria de Fátima.

“Tradição com Arroz Bom Sucesso” foi o prato confecionado pelo jovem chef, com “Arroz de Miúdos, Robalo em Sous-vide, Emulsão de Gordura de Frango/Cristas de Galo e Crocante de Coentros”.

O júri foi composto por Andreia Moutinho, Constança Cordeiro, Fernando Cardoso, Fernão Gonçalves, Gabriel Campino, Gonçalo Costa, Jaime Montgomery, Louis Anjos, Luís Gaspar, Mateus Freire, Nicu Iastremschii, Nuno Castro, Paulo Carvalho, Pedro Braga, Samuel Mota, Sara Soares, Vítor Adão, William Melo e Wilson Pires.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana serviu bolo-rei gigante com 230 quilos

95 quilogramas de farinha, 60 quilogramas de frutos secos, 240 ovos, 35 quilogramas de fruta picada e 20 quilogramas de uva passa

em

Foto: AEVC

Um bolo-rei gigante, confecionado por 14 pastelarias do concelho, foi atração, este sábado, num largo de Viana do Castelo, em torno da estátua do novo santo português Bartolomeu dos Mártires.

Fonte da Associação Empresarial de Viana do Castelo (AEVC), que partilha com autarquia local a organização da iniciativa, adiantou que o bolo-rei, tem 50 metros de perímetro.

Foto: AEVC

A confeção do bolo-rei gigante, envolveu a participação de 30 pessoas, entre elas dez alunos da escola de hotelaria da cidade, e foram utilizados cerca de 230 quilogramas de ingredientes: “95 quilogramas de farinha, 60 quilogramas de frutos secos, 240 ovos, 35 quilogramas de fruta picada e 20 quilogramas de uva passa”.

Foto: AEVC

O bolo-rei gigante foi oferecido à população, acompanhado de um “pequeno copo” de vinho do Porto. O evento incluiu momentos musicais com a atuação dos alunos da escola de música ZEPAM-Zé Pedro Associação Musical.

Esta foi a terceira edição do bolo-rei gigante, integrada no programa municipal “Sentidos de Viana”.

Continuar a ler

Populares