Seguir o O MINHO

Braga

TUB vão gerir estacionamento pago à superfície em Braga

Substituindo a Polícia Municipal na fiscalização dos parquímetros

em

Foto: DR/Arquivo

Os Transportes Urbanos de Braga (TUB) vão assumir a gestão do estacionamento pago à superfície na cidade, substituindo a Polícia Municipal na fiscalização dos parquímetros, anunciou hoje o presidente da câmara.

Em conferência de imprensa, no final da reunião do executivo, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, explicou que os estatutos daquela empresa municipal vão ser alterados para englobarem a nova função que “pode ser boa fonte” de receita para os TUB.

“Decidimos delegar a gestão do estacionamento pago à superfície nos TUB, que têm tido uma gestão exemplar e sem financiamento do estado central. Esta pode também ser boa fonte de receita para a empresa municipal”, disse o autarca.

Desta forma, explicou, “os TUB vão substituir a Polícia Municipal na fiscalização do pagamento do estacionamento”.

O estacionamento à superfície tem sido alvo de uma disputa entre a autarquia e a agora ex-concessionária, a ESSE S.A, depois do executivo ter aprovado, em 2013, resgatar a concessão em 2018, quando o contrato fazia cinco anos, sendo que o prazo inicial do acordo, assinado em 2011, previa a exploração dos parquímetros por aquela empresa até 2028.

O contrato assinado pela ESSE S.A e a autarquia em 2011 previa o adiantamento à CMB de 4,1 milhões de euros por conta do que a empresa iria arrecadar com os parquímetros.

“O anterior executivo decidiu abdicar de um instrumento fundamental na gestão da política de mobilidade do concelho”, começou por referir o autarca, que lembrou que a decisão do resgate do estacionamento, assim como a alteração ao número de ruas com parquímetros, foi das primeiras decisões do executivo eleito em 2013 (e reeleito em 2017).

“De 2013 até 2018 a Câmara Municipal de Braga não recebeu um euro adicional da gestão do estacionamento, porque as cobranças serviram para amortizar o adiantamento dado à autarquia no início do contrato”, explicou o autarca.

A autarquia assumiu, assim, a gestão do estacionamento pago à superfície em janeiro de 2019, apesar de correr no Tribunal Administrativo de Braga uma ação contra aquele resgate interposta pela ESSE, na qual a empresa pede uma indemnização que pode ir até aos 71,9 milhões de euros.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Trabalhadores de call center em greve entoam cânticos em Braga

Durante esta terça-feira

em

Foto: Joaquim Gomes/O MINHO

Dezenas de trabalhadores de call center em greve durante esta terça-feira, entoam cânticos de protesto, junto ao edifício da Estação Ferroviária de Braga, onde funciona a empresa Concentrix, protestando contra as condições de trabalho.

A greve, que foi convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores de Call Center, está “contra a transferência arbitrária de trabalhadores entre linhas”, denunciando o caso atual de 25 trabalhadores deslocados de linhas “como se de peças num tabuleiro se tratassem”.

Foto: Joaquim Gomes/O MINHO

Foto: Joaquim Gomes/O MINHO

Foto: Joaquim Gomes/O MINHO

Foto: Joaquim Gomes/O MINHO

Foto: Joaquim Gomes/O MINHO

Foto: Joaquim Gomes/O MINHO

Com a palavra de ordem “não somos números, somos gente, só queremos respeito”, estes trabalhadores estão concentrados desde manhã cedo à porta da Estação da CP de Braga, onde se irão manter até ao princípio da noite desta terça-feira, prometendo que “nós não deixaremos ninguém para trás”.

Sobre as razões do descontentamento referido, Nuno Geraldes apontou “vários fatores”: “Há trabalhadores com salários em atraso, com prémios em atraso, as regras internas do edifício não são cumpridas, por exemplo, não deixam os sindicalistas entrar para fazer a sua função, ligam aos fins de semana a mudar escalas, há perseguições e abusos de vários tipos”, enumerou.

Segundo explicou, o que levou os trabalhadores a optarem pela greve “foi a transferência arbitrária de 25 trabalhadores e a forma” como foi feita.

“Digamos que esta transferência foi a gota de água num local já de si cheio de problemas e irregularidades, tendo a greve sido aprovada por unanimidade em duas assembleias feitas com os trabalhadores”, apontou.

Os trabalhadores vão estar concentrados em frente ao edifício do ‘call center’ da Concetrix, na Rua da Estação, até às 13:00.

Continuar a ler

Braga

Grupo espanca homem com deficiência mental em Vieira do Minho

Vítima já teve alta

em

Foto: O Minho/Arquivo

Um homem de 41 anos, que sofre de uma deficiência mental acentuada, foi espancado no último domingo durante a Feira do Fumeiro que decorreu em Vieira do Minho. A vítima teve que ser encaminhada ao hospital, mas já teve alta médica e não quer formalizar queixa.

A vítima terá ajudado uma criança que estava a chorar no chão. Quando o pai da menina se apercebeu do que estava a acontecer, empurrou-o com violência.

O homem foi atirado ao chão, e outros três familiares do pai, aproximaram-se e continuaram a agressão até ficar inanimado.

A Cruz Vermelha de Rio Caldo, Terras de Bouro, esteve no local.

Continuar a ler

Braga

INL junta em Braga parceiros de Portugal e Espanha para levar a biotecnologia às empresas

Encontro irá apresentar para estabelecer sinergias entre o setor da biotecnologia com outros setores

em

Foto: DR

Os seis parceiros portugueses e espanhóis do projeto CT-BIO – o projeto que pretende criar um cluster transfronteiriço de biotecnologia no Norte de Portugal e na Galiza – estão, hoje, no INL para mostrar às empresas como a biotecnologia pode ser uma ferramenta crucial no desenvolvimento dos seus negócios.

O evento “Pequeno-Almoço de Trabalho BIO” terá lugar no INL, pelas 10:00 e contará com a presença de especialistas do INL; da Universidade do Minho; da Associação Portuguesa de BioIndústrias; do Cluster Tecnológico Empresarial de las Ciencias de la Vida (BIOGA); do Consórcio da Zona Franca de Vigo e da Universidade de Santiago de Compostela.

Este encontro está aberto a todas as empresas e agentes interessados no tema da biotecnologia e servirá para dar a conhecer aos participantes o plano diretor da criação do cluster transfronteiriço de biotecnologia entre a Galiza e o Norte de Portugal.

No mesmo evento será também apresentado o plano de hibridação do projeto CT-BIO. Este plano consiste no estabelecimento de sinergias entre o setor da biotecnologia com outros setores, nomeadamente, o da Saúde, o Agroalimentar e Pescas e o Ambiental.

Neste sentido, serão apresentados alguns case studies de empresas destes setores que já incorporaram a biotecnologia nos seus negócios.

Continuar a ler

Populares