Seguir o O MINHO

Vila Verde

Trovar D’Alma: Professores de Vila Verde juntos pela música tradicional e poesia

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

São um dos poucos grupos musicais do país compostos por professores no ativo. Juntam a música mais tradicional à poesia e acabam de lançar os dois primeiros videoclips.

Os ‘Trovar D’Alma’ têm seis anos de existência, 50% de reportório original e construíram um local de ensaios ecológico e moderno.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

À entrada da casa em madeira, que serve de local de ensaios, salta logo à vista a quantidade de instrumentos musicais pendurados nas paredes ou devidamente acondicionados em prateleiras. “Foram todos reconstruídos pelo grupo”, atira o líder do grupo Armando Machado, diretor do Agrupamento de Escolas de Moure e Ribeira do Neiva, em Vila Verde, como se adivinhasse a pergunta.

Adufes, maracas, pandeiros, gaita de foles, vários instrumentos de corda forram as paredes e estão ali ‘à mão de semear’ para uma qualquer eventualidade.

O ensaio começa por um dos temas mais conhecidos do grupo: ‘Por Igrejas e Capelas’ é um original de Zé Machado com arranjos do próprio grupo. Foi o primeiro videoclip lançado pela banda.

Dina Bicas, professora de Português-Francês e Carlos Esteves, de Expressões, são os vocalistas dos Trovar D’Alma. A única mulher é também a declamadora de serviço: “é uma das nossas particularidades. Vamos recitando algumas poesias de expressão portuguesa ao longo do espectáculo. Tivemos algum receio no início mas a aceitação tem sido muito boa”.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

‘Malhão do Souto’, também já disponível no youtube, ‘Rosa Tirana’ e ‘Flor de Chá’, um instrumental original do grupo dão sequência ao ensaio.

Armando Machado, em guitarra, é o líder do grupo, ele que esteve na fundação do grupo ‘Raízes’. Ao lado, também em guitarras estão José Martins, professor de Expressões e Arlindo Sousa da área das Ciências.

Paulo Antunes, de Geografia e Henrique Pereira, de Matemática ficam encarregues da percussão. As teclas são da responsabilidade de António Fonseca, docente de Matemática.

Presente em todos os ensaios e concertos está o responsável pela sonoplastia, Rui Vieira de Expressões.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

“A nossa preocupação está na divulgação da música tradicional, dos nossos instrumentos, dos poetas mais clássicos”, refere Armando Machado. Nesta altura, têm 13 músicas totalmente prontas e que irão ser divulgadas ao longo dos próximos meses pelas redes sociais: “desta forma, chegamos mais longe e mais pessoas”.

Garrett

A estreia oficial do grupo aconteceu no mês de Fevereiro de 2012, durante uma iniciativa muito conhecida em Vila Verde, o ‘Mês do Romance’.

Uma nova pausa na conversa para ensaiar mais um tema: ‘Pescador da Barca Bela’ de Almeida Garrett e música dos Trovar é o mais recente tema e as paragens para ajustar vários pormenores são recorrentes.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

“Agora vamos tocar seguido”, desafia Armando Machado. A concentração está ao máximo e o tema é tocado e cantado sem qualquer interrupção. “Mais uns ensaios e está pronto”, remata o líder. O reportório dos ‘Trovar D’Alma’ já vai nas 50 músicas e promete não ficar por aqui.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

“O nosso caminho é ter um espectáculo só com originais nossos”. Por isso, têm andado a escrever poemas e músicas. O mais recente exemplo é um tema dedicado a Santo António com letra de Dina Bicas e música de José Fernandes.

Poesia

“Uma das nossas características é incluir, nos concertos, poesia de expressão portuguesa porque nós somos um grupo de música e poesia e há pouca gente a juntar este dois tipos de arte”, refere a vocalista.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Camões e Garrett já tiveram direito a poemas musicados e Sá de Miranda pode ser o próximo. Dina Bicas não tem dúvidas que “as palavras ganham outro tipo sentido e o nosso público, que é especial, gosta bastante”. Os Trovar D’Alma já deram mais de 20 concertos na região do Minho mas querem chegar a mais pontos do país.

Outra das particularidades do grupo é não terem um disco: “optamos pelas redes sociais. Chegamos ao público que nos interessa e chegamos mais longe”, confirma Armando Machado que dá o exemplo de um contacto na Galiza: “ouviu os dois temas no youtube e estamos a alinhar parcerias para o futuro”.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Vila Verde

Motards regressam à Vila de Prado para uma das maiores concentrações do norte do país

Na Praia do Faial, em Prado

em

É uma das maiores concentrações motard do norte do país. No próximo fim-de-semana, 24 a 26 de maio, são esperados, na praia fluvial do Faial, na Vila de Prado, em Vila Verde cerca de três mil aficionados das motas, vindos de todo o país e da vizinha Espanha.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (2018)

Às portas de celebrar vinte anos, a concentração deste ano vai ter melhorias no espaço, nomeadamente, “ao nível de casas de banhos e de campismo”, revela a O MINHO, o presidente do Moto Clube de Prado, entidade organizadora, Rui Peixoto.

Se o dia forte é o sábado, 25 de maio, a verdade é que para sexta-feira já está programada alguma animação, como um show de strip e a atuação do Grupo Cicklone. Para além de espaço para campistas, a organização terá à disposição stands de comes e bebes, de tatuagens e de material ligado ao mundo das motas.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (2018)

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (2018)

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (2018)

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (2018)

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (2018)

No sábado, há animação durante todo o dia a começar com os Bomboémia. Doutor Assério, Paulo Baixinho e Companheiros D’Aventura ficam com a parte mais musical e lúdica.

Está ainda prevista uma demonstração de Freestyle com Humberto Ribeiro.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (2018)

“Não é muito fácil 19 anos depois continuar a organizar um evento desta dimensão mas quando começa a chegar a data surge a ‘pica’ toda’, refere Rui Peixoto que, no entanto, desabafa: “se não fosse o apoio de alguns patrocinadores e de alguns amigos, se calhar, a concentração já não existia”.

Recorde-se que a concentração tem entrada livre, é aberta a toda a gente “mesmo a quem não tem mota mas gosta do ambiente motard” e faz parte do calendário oficial da Federação Portuguesa de Motociclismo.

Continuar a ler

Vila Verde

CDS participa uso de carrinha de junta de Vila Verde para comício do PSD ao Ministério Público

CDS/Vila Verde

em

Foto: Imagens RTP

O CDS de Vila Verde participou ao Ministério Público e à Comissão Nacional de Eleições o caso da utilização de uma carrinha de uma junta de freguesia do concelho para transportar pessoas para um comício do PSD, em Esposende.

Segundo o líder do CDS de Vila Verde, Paulo Marques, em causa está uma carrinha da União de Freguesias de Marrancos e Arcozelo, que transportou apoiantes para a festa-comício da candidatura do PSD às europeias que teve lugar no domingo em Esposende e que contou com a presença de Rui Rio e Paulo Rangel.

Contactado pela Lusa, o presidente daquela União de Freguesias, Manuel Rodrigues (PSD), confirmou a utilização da carrinha a pedido de um particular, que pagou pelo “serviço” 150 euros.

“No fundo, foi um ‘donativo’ para a Junta, porque pagaram-nos 150 euros e nem sequer 40 euros gastámos”, referiu.

O autarca foi uma das nove pessoas que foram ao comício na carrinha, que foi conduzida pelo tesoureiro da Junta.

O CDS, na exposição que fez à Comissão Nacional de Eleições e ao Ministério Público, diz que se tratou de uma situação “absolutamente abusiva” e questiona se não estará em causa um crime, “agravado por se tratar de período de campanha eleitoral, prejudicando deliberadamente todas as outras forças partidárias nacionais”.

Por isso, solicita a “intervenção urgente” daquelas entidades, “a bem da legalidade, da liberdade e da veracidade”.

O presidente da Junta disse que cedeu a carrinha “de boa-fé”, a pensar “no bem” da freguesia, mas garantiu que “esta foi a primeira e última vez”.

“Sou novo nisto [primeiro mandato], nunca pensei que isto fosse dar esta polémica toda, mas agora admito que fui ingénuo. Não voltará a acontecer”, referiu.

A Lusa contactou também o diretor da campanha do PSD em Vila Verde, José Manuel Lopes, que disse que a candidatura “não tem rigorosamente nada a ver” com a questão.

“A campanha não teve qualquer intervenção no transporte. Por nós passou apenas a distribuição dos bilhetes, nada mais. Cada um tratou de se organizar para chegar até ao local da festa, acredito que entre 80 a 90% foram em viatura própria. Quanto a esse caso em concreto [carrinha da Junta], nada sabemos, porque nada passou por nós”, disse ainda.

Continuar a ler

Vila Verde

Europeias: Carrinha de junta de Vila Verde levou militantes ao comício do PSD à Quinta da Malafaia

Segundo fonte do PSD de Vila Verde, terra de José Manuel Fernandes “o serviço já foi pago, comprovado por documentos que dão conta desse mesmo pagamento”

em

A utilização de uma carrinha da junta de freguesia de Marrancos e Arcozelo, no concelho de Vila Verde, para transportar pessoas para um comício do PSD foi trazida para a praça pública pelo líder do CDS vilaverdense.

Paulo Marques, num post do Facebook, ilustrado por uma imagem retirada da RTP, escreve que “espero, a bem da imagem do concelho de Vila Verde, que esta carinha (sic) de uma junta de freguesia a caminho de uma ação de campanha do PSD, não passe de uma Fake News (sic) da RTP”.

O centrista acrescenta que “a ser verdade é tudo à-vontadinha, tudo nosso, portanto. Ao preço que anda a gasolina, é bom que não sejam os vila-verdenses a pagar a campanha ao PSD, só essa faltava”.

Europeias: Rui Rio voltou a sentar-se à bateria com casa cheia na Quinta da Malafaia, em Esposende

A imagem foi retirada de uma reportagem, exibida pelo jornal da tarde da RTP, sobre o comício social democrata que decorreu no domingo, na Quinta da Malafaia, em Esposende, inserido na campanha para as Europeias.

Fonte do PSD de Vila Verde referiu a O MINHO que “a carrinha foi contratada à Junta de Freguesia e o serviço já foi pago comprovado por documentos que dão conta desse mesmo pagamento”.

Recorde-se que José Manuel Fernandes, número três da lista encabeçada por Paulo Rangel, foi presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, até 2009. Nesse ano, o atual autarca António Vilela substituiu-o no lugar, formando um executivo que integra, também, Júlia Fernandes, mulher do eurodeputado.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Patrocinado

Reportagens da Semana

Populares