Seguir o O MINHO

Braga

Tribunal volta a obrigar António Salvador a pagar mais meio milhão a ex-sócio de Braga

Guerra do ‘camião do fraque’

em

Domingos Correia e António Salvador. Fotos: DR / Arquivo

Guerra do camião do fraque. É a segunda sentença desfavorável a António Salvador no Tribunal de Famalicão. E a fatura a pagar ao seu ex-sócio, Domingos Correia, já vai em perto de 800 mil euros. Mas o conhecido empresário, dono da Britalar, de Braga, diz que vai recorrer.

Conforme O MINHO então noticiou, em abril, o Tribunal de Comércio de Famalicão condenou António Salvador a pagar 261 mil euros ao dono das Construções Ar-Lindo. Há dias, e numa segunda sentença, o mesmo Tribunal voltou a rejeitar o embargo apresentado pelo empresário da Britalar, à execução de 438 mil euros ( 500 mil com juros) que lhe foi movida por Domingos Correia, a título pessoal, por uma causa de uma dívida resultante da cessão da quota de 49,5 por cento na firma BritalarMoz, que ambos possuíam em Moçambique. Cessão acordada em 1,1 milhões.

Salvador, que se havia oposto às duas penhoras, apresentando cauções, argumentou que já tinha pago, em 2013, através de transferências bancárias. Tese a que o Tribunal não atribuiu “credibilidade”.

Documentos

Domingos Correia apresentara, na acção, um documento intitulado “Declaração Confissória de Dívida e Acordo de Pagamento”, de 2012, no qual a Britalar Ar-Lindo Moz, SA, assumia uma dívida de 500 mil dólares americanos (438 mil euros) que recebeu a título de empréstimos não remunerados, para necessidades de tesouraria.

Ao todo, Correia exige a Salvador, a quantia de 1,3 milhões de euros, resultante da cessão da posição que detinha na Britalar Ar-Lindo Moz, SA.

Uma terceira execução, de 300 mil euros, vai entrar no Tribunal, disse ao JN fonte da Ar-Lindo.

O caso remonta a 2011, quando os dois construtores constituíram uma parceria para o mercado moçambicano. Para tal, foi constituída a sociedade Using Better, Lda., tendo como sócias a Europa Ar-Lindo, SGPS, e a Britalar, SGPS. De seguida, e com dois sócios moçambicanos, formaram a sociedade Britalar AR-Lindo Moz, SA. Só que – concluiu o Tribunal – “desde cedo as relações entre ambos se deterioraram, o que levou a que, em setembro de 2012, se formalizasse a separação”.

O MINHO contactou António Salvador que não se quis pronunciar, embora fonte que lhe é próxima tenha adiantando que vai recorrer da decisão, para a “Relação do Porto”.

Fraque em julgamento

Foto: Facebook / Arquivo

Antes de recorrer a Tribunal, Domingos Correia pôs a circular na cidade, um «camião do fraque» com os dizeres “Caloteiro! Paga o que deves”. Que estacionou à porta do estádio, em dia de jogo do Sporting de Braga, e em frente à casa de Salvador. Uma alegada “intimidação e difamação” e “ofensa à família”, que motivou queixa de Salvador e que vai ser julgada em setembro no Tribunal de Braga.

Anúncio

Braga

Empresa de Braga apresenta ‘app’ que deteta precocemente o cancro cutâneo

Medical pre-Diagnostic System

em

Foto: Facebook de F3M

A MpDS – Medical pre-Diagnostic System é uma aplicação tecnológica desenvolvida em Braga que vai ajudar profissionais de saúde em todo o mundo a detetar e tratar de forma precoce problemas clínicos, como úlceras de pressão, ou até mesmo o cancro, anunciou a marca do grupo da Primavera Software, em comunicado enviado a O MINHO.

A app junta smartphones com lentes de magnificação e permite aos profissionais realizar, em tempo real, a monitorização, caracterização e avaliação de feridas. Um procedimento simples, que “pode ser realizado por médicos ou outros técnicos de saúde, capaz de tornar o diagnóstico mais rápido, evitando a necessidade de deslocações e consultas presenciais, que frequentemente atrasam os processos”, explica a empresa.

A aplicação é “particularmente benéfica para populações mais afastadas dos centros urbanos e com reduzido acesso aos serviços”, acrescenta. indicando que a mesma já foi testada com “resultados muito positivos por mais de 100 profissionais do setor da saúde”.

A solução demonstra “um enorme potencial de utilização” em diversas áreas, nomeadamente em Dermatologia, Oncologia, Cirurgia Plástica, Hematologia e Infeciologia.

Este lançamento vai ser o mote para uma sessão de esclarecimento, que acontece esta quarta- feira, 19 de fevereiro, a partir das 09:30, na UPTEC – Parque da Ciência e da Tecnologia da Universidade do Porto.

Do painel de oradores, destaque para Paulo Ramos, enfermeiro especialista em feridas e viabilidade tecidular, Maria José Teles, médica especialista em patologia clínica, Maria Vasconcelos e Luís Rosado, investigadores séniores na Fraunhofer Portugal AICOS, Pedro Salgado, responsável pela área da saúde na F3M e João Cunha, designer da aplicação.

Sobre a F3M

Composto por três empresas portuguesas – F3M, Megalentejo e Dot Pro – além da F3M Angola e da F3M Moçambique, a F3M é um dos maiores grupos de tecnologia, em Portugal. A sua atuação centra-se no desenvolvimento de software à medida para mercados específicos (economia social, óticas, têxtil, construção e desporto) e na integração de soluções de infraestrutura tecnológica, telecomunicações, além de serviços de consultoria.

Continuar a ler

Braga

Detido com matrícula falsa e sem seguro no centro de Braga

Na Praça da República

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um jovem de 24 anos foi detido, na tarde da passada sexta-feira, no centro da cidade de Braga, por conduzir uma viatura com matrículas falsas, anunciou hoje a PSP.

O condutor foi intercetado em pleno centro da cidade, na Praça da República, na posse de um veículo onde ambas as matrículas eram falsas.

Durante a operação de fiscalização, os agentes policiais perceberam ainda que a viatura não tinha seguro válido para circulação viária.

O detido foi notificado para comparecer no Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

Continuar a ler

Braga

Câmara de Vila Verde aprova tarifário “reduzido” para transportes públicos

Mobilidade

em

Foto: Ilustrativa / DR

A Câmara de Vila Verde aprovou hoje um tarifário reduzido para os transportes públicos, que estipula um limite máximo de 20 euros para os passes sociais com destino aos distritos de Braga e Viana do Castelo.

Em comunicado, a Câmara refere que a proposta hoje aprovada está enquadrada nos objetivos do Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART) de fomento dos transportes coletivos e de garantia de uma maior acessibilidade económica ao transporte público, “concorrendo, assim, para uma maior qualidade ambiental e para reduzir as despesas familiares neste capítulo”.

A proposta sublinha que o transporte individual “é responsável pela emissão de mais de um quarto dos gases com efeito de estufa, revelando-se importante promover uma mudança de paradigma, alterando os padrões de mobilidade das populações através de uma maior utilização dos transportes públicos”.

Com a mesma proposta, acrescenta o comunicado, a Câmara pretende aproveitar o PART “para levar a bom porto uma política pública de mobilidade tendente a reforçar a coesão territorial e social, no concelho de Vila Verde”.

No pressuposto de que “os hábitos de mobilidade devem ser criados e incrementados, em especial no público juvenil e universitário”, a Câmara propõe-se ainda alargar a gratuitidade do transporte escolar ao ensino universitário, para todos os alunos contemplados com bolsa de estudo.

Aos demais estudantes, o município comparticipará os custos de deslocação, de modo a que os encargos com os respetivos passes rodoviários tenham também um custo máximo de 20 euros.

“A mobilidade sustentável e a aposta numa política de forte apoio às famílias vilaverdenses emergem, assim, como dois importantes vetores de uma consistente estratégia de modernização e desenvolvimento sustentado do território concelhio”, refere ainda o comunicado.

Citado no comunicado, o presidente da Câmara, António Vilela (PSD), refere que “o estímulo à utilização de transportes públicos, com custos extremamente reduzidos para as famílias vilaverdenses, serve o duplo objetivo de preservação do equilíbrio ambiental e de consolidação de políticas ativas de apoio social, ao mesmo tempo que, a par da atribuição de bolsas de estudo, proporciona o acesso de um crescente número de jovens ao ensino superior.”

Continuar a ler

Populares