Seguir o O MINHO

Braga

Tribunal distribui processo de gangue que assaltou banco em Braga

Santander paga 100 mil euros a cada um dos lesados de assalto a cofres

em

Foto: O MINHO / Arquivo

O Tribunal de Braga procede, esta segunda-feira, à distribuição do processo que envolve um gangue de Braga suspeito de ter assaltado o banco Santander, em Braga, e várias vivendas na região do Minho.

O advogado João Ferreira Araújo, de Braga, que defende um dos arguidos, disse a O MINHO que o ato de distribuição significa na prática a entrega do caso a um dos coletivos de juízes da Vara Mista e a consequente marcação do julgamento, o que pode acontecer já em fevereiro.

Entretanto, e conforme O MINHO noticiou, os lesados do assalto ao Santander tiveram uma boa prenda de Natal! O banco indemnizou a maioria dos 43 donos de cofres que foram assaltados, numa dependência em Braga, em junho de 2018.

Alguns, que reclamam valores superiores a 100 mil, não aceitaram e prosseguem como assistentes no processo.

Fonte oficial do gabinete de comunicação do Santander adiantou que já houve acordo com cerca de 30 clientes, 75 por cento dos lesados, para o pagamento de até 100 mil euros a cada um. A entidade bancária aceita como boa a lista que lhe foi entregue pelos clientes que tinham bens, dinheiro, jóias, ou relógios valiosos, em cofres na dependência da Avenida Central.

“Alguns já receberam o dinheiro e os restantes vão tê-lo dentro de dias”, garantiu, acrescentando que continuam as negociações para que seja assinado um acordo idêntico com os outros.

Dez arguidos

No fim de junho, o Ministério Público de Guimarães acusou dez arguidos, um deles agente da PSP, membros de um gangue que fez uma dezena de assaltos a residências em Braga e no Minho e ao banco Santander.

Furtando dinheiro e bens que o Ministério Público avalia em 4,7 milhões de euros.

Entre os lesados estão, também, o empresário Domingos Névoa, o cantor limiano Delfim Júnior, e o médico e antigo atleta do SC Braga, Romeu Maia.

Populares