Seguir o O MINHO

Ave

Tribunal absolve condutor apanhado a falar ao telemóvel por ser chamada urgente

em

O Tribunal da Relação de Guimarães absolveu um homem que foi “apanhado” a falar ao telemóvel enquanto conduzia, por se tratar de uma chamada “urgente” relacionada com o estado de saúde da sua mãe, com 93 anos.

Segundo aquele tribunal, o arguido agiu num “estado de necessidade desculpante”.

Em 01 de julho de 2013, o condutor foi apanhado pela GNR a conduzir e a falar ao telemóvel, tendo-lhe sido aplicada uma coima, que pagou, e uma sanção acessória de inibição de conduzir por 90 dias.

Impugnou esta decisão junto do Tribunal de Viana do Castelo, que decidiu reduzir para 60 dias o período de inibição de conduzir.

Desta decisão, recorreu para a Relação de Guimarães, que lhe deu razão, absolvendo-o.

O tribunal deu como provado que, no dia dos factos, o arguido recebeu uma chamada urgente, relacionada com o estado de saúde da sua mãe.

O estado de saúde da mãe do arguido, à data com 93 anos, tinha-se agravado em finais de junho.

O arguido andava preocupado com a mãe e tinha atribuído um toque específico ao número de telemóvel da pessoa que cuidava dela, por forma a poder facilmente identificá-lo.

No dia dos factos, foi esse toque de chamada que o seu telemóvel emitiu, e o arguido, ao aperceber-se ainda que estava a ficar sem bateria e que num curto espaço de tempo ficaria incontactável, decidiu atender a chamada, apesar de estar a conduzir.

A mãe do arguido acabou por ser internada no dia seguinte, tendo vindo a falecer uma semana depois.

A Relação considera que, neste quadro, o arguido atuou perante uma situação de “perigo atual” para a vida da sua mãe.

“O pronto atendimento do telemóvel com vista a poder prestar ajuda imediata à sua mãe (providenciando certamente da forma mais expedita pela sua observação médica, pelo seu encaminhamento ao hospital, se fosse caso disso), mostra-se meio objetivamente apto a remover perigo”, sublinha o acórdão.

Para a Relação, o arguido praticou um facto contraordenacional “como meio para alcançar um fim que consiste na salvaguarda da saúde da sua mãe”.

“Em conclusão, o arguido não agiu em circunstâncias normais mas, antes, exposto a uma pressão motivadora extraordinária”, refere ainda a Relação, sublinhando que, naquelas circunstâncias, “não seria razoável exigir do arguido um comportamento diferente. Daí que o comportamento ilícito não mereça um juízo de censura”, refere ainda o acórdão.

Anúncio

Ave

Detido em Fafe por agredir e ameaçar esposa com arma de fogo

Meadela

em

Foto: Divulgação / GNR

Um homem de 62 anos foi detido por militares do Núcleo de Investigação e de Apoio a Vitimas Específicas de Guimarães pela prática do crime de violência doméstica, foi hoje anunciado.

Em comunicado enviado a O MINHO, o comando territorial de Braga dá conta da detenção do homem, na sequência de uma investigação que decorria.

O detido terá agredido e ameaçado a esposa, de 56 anos, motivando a intervenção dos militares, que deram cumprimento a uma busca domiciliária, em Revelhe, no concelho de Fafe.

A operação culminou na apreensão de uma caçadeira, uma espingarda de pressão de ar e 110 cartuchos.

O detido está, neste momento, a ser presente ao Tribunal Judicial de Guimarães, para aplicação de medidas de coação.

Continuar a ler

Guimarães

Detido por agredir homem de 80 anos em Guimarães

Moreira de Cónegos

em

Foto: DR / Arquivo

Um homem, com cerca de 40 anos, foi detido, esta sexta-feira, no seguimento de uma alegada agressão a um homem de 80, em Moreira de Cónegos, apurou O MINHO.

Tudo aconteceu num terreno adjacente à Rua da Doca, a poucos metros do rio Vizela, que divide os distritos de Braga e do Porto.

Ao que apuramos, os dois homens estiveram envolvidos numa situação de agressão resultando no transporte do octogenário para o Hospital de Guimarães e na detenção do alegado agressor.

A circunstancias em que ocorreu a agressão estão ainda por apurar.

Fonte dos Bombeiros de Vizela, que deu primeira assistência à vítima e procedeu ao transporte hospitalar, disse a O MINHO que os ferimentos da vítima foram considerados “ligeiros”. O alerta foi dado cerca das 15:00 horas.

Militares do posto da GNR em Lordelo deslocaram-se ao local, após contacto telefónico, e deteve o alegado responsável pela agressão.

O MINHO sabe que o agressor terá de se apresentar ao Tribunal de Guimarães, na próxima segunda-feira.

Continuar a ler

Guimarães

Cutelaria de Guimarães abre nova loja na baixa de Lisboa

Cutipol

em

Foto: DR / Arquivo

A empresa Cutipol, com sede em Caldas das Taipas, concelho de Guimarães, abriu na passada quarta-feira uma loja na baixa de Lisboa, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a cutelaria fundada por José Ribeiro, em abril de 1963, dá conta do novo espaço, localizado no prédio 105 da Rua do Alecrim, ao lado de outra loja que a marca já possuía desde 1998.

O espaço, com uma área de exposição de 140 metros quadrados, está localizado num edifício original datado do século XVIII que alberga o recém inaugurado Bairro Alto Hotel, projeto do arquiteto Eduardo Souto de Moura.

“O expositor propositadamente desenhado, revela-se nas suas linhas dinâmicas e imprevisíveis pondo à disposição do olhar a beleza e singularidade dos modelos da marca, formando um cânone no espaço”, explica a Cutipol.

“Destaca-se ainda a especial seleção de artigos de casa com um essencial foco na qualidade, trabalho manual e design. São peças com variadas origens, algumas de renome outras ainda não tão conhecidas que a Cutipol tem vindo a introduzir no mercado”, destaca.

Para além da nova loja, foi ainda lançado um novo site da marca na Internet, “para corresponder às atuais necessidades do seu público com o propósito de oferecer a melhor experiência de navegação possível, dando ênfase à otimização para dispositivos móveis, objetos que fazem cada vez mais parte do quotidiano das pessoas”.

Continuar a ler

Populares