Seguir o O MINHO

Valença

Três novas empresas investem cerca de 20 milhões e criam 150 empregos em Valença

Duas de capital espanhol e uma portuguesa

em

Foto: DR/Arquivo

Três novas empresas das áreas de logística e metalurgia vão instalar-se em Valença, num investimento que oscilará entre os 15 e os 20 milhões de euros, criando cerca de 150 novos postos de trabalho, disse hoje fonte autárquica.

Contactada pela agência Lusa, aquela fonte apontou para setembro o início da instalação das três novas unidades.

As três novas unidades, duas de capital espanhol e uma portuguesa, vão ficar situadas no parque empresarial de Valença, onde já adquiriram, à Interminho, sociedade gestora de parques empresariais, cerca de 75 mil metros quadrados de terrenos.

“A crescente dinâmica de instalação de novas unidades industriais no Parque Empresarial de Valença, em Gandra, está a ser acompanhada pela beneficiação das acessibilidades”, explicou, hoje, o município, em nota enviada à imprensa.

No documento, a autarquia da segunda cidade do distrito de Viana do Castelo, acrescentou estar a “intervir nas vias de circulação e acesso ao parque empresarial, em Gandra, de modo a reforçar a fluidez dos fluxos de trânsito, bem como permitir a sua futura ampliação”.

“Em concurso está já primeira fase da via de ligação do parque empresarial à Estrada Nacional (EN) 13, com um valor base de 330 mil euros. Com esta obra nascerá o principal acesso rodoviário ao parque empresarial com uma nova via entre a estrada de Cerdal e o parque empresarial”.

A empreitada da primeira fase contempla a criação de uma rotunda na Estrada Municipal (EM) 511-2, localmente conhecida por estrada de Cerdal.

Numa segunda fase, sublinhou a autarquia, “esta via terá continuidade até à EN 13, numa intervenção que colocará uma via rápida de acesso desde o Parque ao nó de acessos à autoestrada A3 e às vias do Atlântico, em Espanha”.

Anúncio

Alto Minho

Centro de rastreio começa a funcionar hoje em Valença

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Valença

O centro de rastreios de covid-19 de Valença começou a funcionar hoje nos espaços envolventes à Antiga Alfândega.

Em nota de imprensa, a autarquia esclarece que o centro tem capacidade para realizar até 30 testes por dia e os procedimentos a serem seguidos.

Os testes serão apenas realizados mediante a apresentação da prescrição do médica do Serviço Nacional de Saúde (médico de família do Centro de Saúde local), sendo gratuito para o utente, ou através de requisição médica de instituição de saúde privada, que, nestes casos, terá custos para o utente, ou seja, não tem qualquer comparticipação do SNS.

Os doentes são agendados mediante a receção de um SMS com a hora para comparecerem no centro e deslocam-se seguindo as indicações dos técnicos de saúde. Os resultados do teste, após análise, são enviados diretamente ao doente, ao médico e às autoridades de saúde pública.

O centro de rastreios funciona às terças e quintas-feiras, das 9h às 13h e das 14h às 16h.

Trata-se de uma iniciativa da ULSAM – Unidade Local de Saúde do Alto Minho e da Câmara Municipal de Valença.
O presidente da Câmara de Valença, Manuel Rodrigues Lopes, considera que “este centro pretende dar uma resposta de proximidade a Valença e ao Vale do Minho na realização de testes diagnósticos, tão importantes nesta altura para estancar a proliferação desta pandemia”.

Continuar a ler

Caminha

Padre “motard” enche igrejas nas primeiras missas em Valença

Depois de 10 anos em Caminha

em

Foto: Facebook de Padre Ricardo

Após 10 anos em Caminha, Ricardo Esteves, conhecido como o “padre motard”, estreou-se este fim de semana nas freguesias de Valença que será responsável, e encheu os locais.

O padre celebrou a primeira missa em Boivão, quando até chegou a cometer uma pequena gafe ao trocar o nome de Valença por Caminha, sem incomodar em nada a assistência.

O padre Ricardo Esteves foi pároco nas freguesias de S. Martinho de Lanhelas, Sta. Eulália de Vilar de Mouros e S. Pedro de Seixas durante quatro anos, e apesar de uma petição com cerca de 1900 assinaturas a pedir a permanência, o reverendo foi transferido para as freguesias de Divino Salvador de Gandra, Sta Marinha de Taião, S. Félix de Sanfins, S. Tiago de Boivão e S. Cristóvão de Gondomil, no arciprestado de Valença.

O pároco, famoso por gostar de andar de mota, ir ao ginásio e sair à noite, mostrou-se ansioso por iniciar os novos projetos e disse que traz as antigas paróquias no coração.

Durante a missa de Boivão, o pároco garantiu que “não estou aqui para alterar nada, estou aqui para dar um pouco melhor de mim e para vos ajudar no que for necessário”.

O padre Ricardo Esteves foi substituído pelo padre Manuel Joaquim Rodrigues Pinto em Caminha.

Continuar a ler

Alto Minho

Feira dos Santos de Cerdal leva 400 feirantes a Valença: “Vendem de tudo”

A última grande feira romaria do calendário anual do Noroeste Peninsular

em

Foto: DR / Arquivo

A Feira dos Santos de Cerdal, em Valença, considerada a última grande feira romaria do calendário anual do Noroeste Peninsular, vai voltar a realizar-se nos dias 01 e 02 de novembro, informou hoje a Câmara local.

A feira secular de Valença, “que aparece documentada em 1758 como ponto de confluência de portugueses e galegos, atrai todos os anos “milhares de visitantes das duas regiões vizinhas”.

Cerca de 400 expositores “vendem de tudo, desde vestuário, louças, calçado, gado, produtos do campo, maquinarias agrícolas, sendo que a feira dispõe ainda das tradicionais tasquinhas, parques de diversões entre outras iniciativas.

No dia 01 de novembro realiza-se a feira dos Santos e no dia 02 a feira das Trocas, que como o nome indica permite trocar os produtos adquiridos na véspera que por alguma razão não serviram.

Manda a tradição que nas noites de 31 de outubro e 01 de novembro, a feira dos Santos seja o destino para provar os vinhos novos e saborear os petiscos locais. Nas tasquinhas animam-se as noites, ao som das concertinas e as cantigas de desgarrada.

Continuar a ler

Populares