Seguir o O MINHO

Alto Minho

Três funcionárias da secretaria da Câmara de Melgaço infetadas

Testados 73 funcionários

em

Foto: CM Melgaço

Três das sete funcionárias da secretaria da Câmara de Melgaço testaram positivo ao novo coronavírus, estando as restantes em teletrabalho, e o balcão de atendimento aos munícipes reabriu hoje, disse o presidente da autarquia.


Em declarações à agência Lusa, o autarca Manoel Batista adiantou que, no total, foram realizados 73 testes de despiste a funcionários da autarquia.

Segundo o autarca, do total de testes efetuados na sequência de duas funcionárias da secretária geral da área financeira terem acusado positivo, foram conhecidos os resultados de 71, sendo que se constatou que uma terceira pessoa daquele serviço contraiu o SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19.

Faltam ainda os resultados de dois testes realizados na quinta-feira.

“O serviço mantém-se ativo, com quatro das sete funcionárias em teletrabalho, em casa. Na quinta-feira, o balcão único de atendimento esteve encerrado, por precaução, mas hoje já foi reaberto”, especificou.

Manoel Batista adiantou que o espaço onde funciona a secretaria geral da autarquia “já foi alvo de uma higienização profunda e de desinfeção por aerossóis”.

“As instalações estão prontas para, a partir da próxima semana, começar a receber os funcionários que estiverem em condições de poder regressar ao trabalho”, referiu.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 44,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.428 pessoas dos 132.616 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Anúncio

Viana do Castelo

Viana volta a oferecer pinheiros de Natal à população de forma gratuita

Natal

em

Foto: ilustrativa / DR

Em Viana, há tradições que ainda são o que eram. Por isso, a Câmara local volta a oferecer pinheiros bravos de forma gratuita à população, para serem utilizados como pinheiros de Natal, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a autarquia capital do Alto Minho explica que estes pinheiros, provenientes de monda, “estarão disponíveis para entrega aos munícipes a partir da próxima quarta-feira, numa loja exterior situada no Mercado Municipal”.

“Com a quadra natalícia prestes a chegar, o Município, através do setor do Horto Municipal e em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, volta a oferecer os tradicionais Pinheirinhos de Natal'”, escreve a autarquia.

Os pinheiros estão disponíveis ao público numa loja no exterior do Mercado Municipal, das 09:00 às 12:00 e das 13:00 às 17:00, de segunda a sexta-feira.

“Estes pinheiros foram retirados em áreas de floresta onde existe a regeneração natural do pinheiro bravo em densidades excessivas. O corte destes pinheiros corresponde a uma monda que corrige essa densidade excessiva, concedendo assim melhores condições de desenvolvimento às restantes árvores que ficam em crescimento”, esclarece o município

Refere a mesma nota que esta medida visa “evitar que as pessoas cortem ou destruam árvores onde não é aconselhável, oferecendo aos cidadãos um dos mais simbólicos elementos de Natal: o pinheiro”.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana investe 668 mil euros no alargamento da rede de saneamento em Castelo do Neiva

Obras públicas

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O executivo municipal inaugurou hoje o alargamento da rede de saneamento em Castelo do Neiva, empreitada que vai beneficiar um total de 258 fogos, foi hoje anunciado.

A primeira fase da obra de ampliação da rede de drenagem de águas residuais representou um investimento de 500 mil euros e alargou a rede a mais 218 fogos, tendo a segunda fase abrangido mais 40 fogos, numa obra de 168.500 euros.

Em comunicado, a autarquia capital do Alto Minho recorda que, em março passado, a empreitada de ampliação da rede de drenagem de águas residuais da margem sul do concelho de Viana do Castelo, que engloba as freguesias de Mujães, Vila de Punhe, Barroselas e Castelo do Neiva, obteve o visto do Tribunal de Contas.

“A obra, orçada em 615.713 euros aacrescidos de IVA, integra as intervenções previstas para a rede de águas residuais candidatada a fundos comunitários do programa POSEUR, no âmbito da constituição da empresa pública Águas do Alto Minho”, refere a autarquia.

“No início do presente ano, a Câmara Municipal aprovou um investimento de 2,693 milhões de euros para garantir obras de ampliação da rede de drenagem de águas residuais em oito freguesias do concelho. As intervenções estão a decorrer nas freguesias de Cardielos, Serreleis, Torre e Vila Mou, na margem direita do rio Lima, e Mujães, Barroselas, Vila de Punhe, e Castelo de Neiva, na margem sul”, diz a mesma nota.

A Águas do Alto Minho é detida em 51% pela Águas de Portugal (AdP) e em 49% por sete municípios do distrito de Viana do Castelo (Arcos de Valdevez, Caminha, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira), que compõem a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Centenário do maestro José Pedro assinalado no Sá de Miranda, em Viana

Cultura

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O Teatro Municipal Sá de Miranda foi hoje palco das comemorações do centenário do nascimento do Maestro José Pedro e do 45º aniversário da Escola de Música. Para assinalar a efeméride, a Câmara Municipal de Viana do Castelo lançou o livro “Maestro José Pedro – Vida e Obra”, da autoria de Fernando Baganha.

Esta homenagem a José Pedro Martins Coelho teve como objetivo destacar o trabalho do músico, professor, maestro e ensaiador que nasceu na Rua da Bandeira, em Viana do Castelo, a 18 de julho de 1920. Aos oito anos já tocava flautim na Banda de Música do Orfanato e Oficinas de S. José de Viana do Castelo, onde aprendeu música. Com 17 anos foi indicado para dirigir pela primeira vez aquela Banda, num concurso que decorreu em Lisboa em maio de 1938, em que tomaram parte todas as Bandas dos Colégios do País, tendo ficado em primeiro lugar.

Pelos anos de 1940, foi convidado a colaborar como executante em quase todas as Bandas de Música do Alto Minho, bem como em várias Orquestras Ligeiras e Sacras de Viana do Castelo. Com 29 anos de idade, José Pedro assumiu a direção artística da Banda de Música do Orfanato e Oficinas de S. José, cargo que executou durante seis anos, levando a que esta filarmónica atingisse elevado nível artístico.

Durante cerca de cinco anos, entre 1950 e 1955, foi professor de Canto Coral na Escola Industrial e Comercial de Viana do Castelo, onde além das aulas ministradas organizou, com a colaboração de outros professores e alunos, um Orfeão misto composto por mais de cem vozes, tendo efetuado diversos espetáculos.

Mas é o ano de 1975 que marca decisivamente a vida artística do Maestro José Pedro pois, por incumbência da então Comissão Administrativa da Câmara Municipal, fundou a Escola de Música de Viana do Castelo com o fim de formar músicos para a Banda de Música da cidade.

Em 1981, já a Escola de Música se dominava oficialmente Centro de Cultura Juvenil, quando o Maestro José Pedro, com o apoio da direção e da Câmara Municipal,, consegue finalmente realizar o seu sonho, que era formar a Banda de Música de Viana do Castelo, constituída por alunos do Centro de Cultura Juvenil e alguns componentes da Banda de Música de Lanhelas, de que foi regente entre os anos de 1974 a 1989.

Compôs várias músicas para Orquestras, Folclore e Bandas. As suas marchas e rapsódias de motivos populares são tocadas pelas filarmónicas do país. Faleceu a 10 de outubro de 2000, mas, ainda hoje, o Maestro José Pedro é recordado como referência central e incontornável da história da escola de música.

Continuar a ler

Populares