Seguir o O MINHO

Futebol

Treinador do Vitória SC lembra Sporting que “campeonato é uma maratona”

I Liga

em

O treinador do Vitória SC, João Henriques, disse hoje que o Sporting está a “ganhar a prova de 100 metros”, mas a I Liga de futebol “é uma maratona” e mostrou ambição de bater os ‘leões’.


“Não estamos só preocupados com travar o Sporting, mas com o crescimento do Vitória, temos vindo a crescer e com pontos. Essa é nossa preocupação, sermos uma equipa mais consistente durante os 90 minutos, se o formos será mais difícil ao Sporting continuar a fazer o seu percurso”, disse na antevisão da receção ao Sporting, no sábado.

O técnico deixou elogios ao homólogo do Sporting, Rúben Amorim, e à equipa ‘leonina’, que lidera isolada o campeonato.

“Não tenho dúvidas nenhumas do trabalho do treinador, já é algo que está bem identificado, dois clubes diferentes, dinâmicas e ideias muito próprias. Não há dúvidas sobre as individualidades no Sporting, com os reforços que vieram. É uma equipa forte, não sei se o Sporting mais forte dos últimos anos, vamos ver no fim. É um coletivo que está a funcionar, vamos ver é que consistência tem numa maratona como é o campeonato. Na prova de 100 metros está a ganhar, está à frente”, disse.

O treinador frisou que “ainda é muito cedo, os campeões nacionais nas últimas épocas tiveram atrasos significativos” e depois recuperaram.

Questionado sobre se o facto de Rúben Amorim não abdicar do esquema tático que implementou (3x4x3) em nenhuma circunstância poder tornar mais previsível o jogo ‘leonino’ e, por isso, mais fácil de contrariar, João Henriques notou que, apesar de todas as equipas até agora o saberem, nenhuma o conseguiu “e só o FC Porto conseguiu empatar”.

“Hoje, há um conhecimento muito grande de todas as equipas, o Sporting tem sempre a mesma estrutura, o 3x4x3, mas há dinâmicas e ‘nuances’ que são importantes e que são exploradas durante o jogo, todos os treinadores fazem isso, e depois há as individualidades, que têm características diferentes. É diferente jogar o João Mário ou o Matheus Nunes, o Jovane ou o Sporar”, disse.

O treinador afirmou ainda querer a equipa vitoriana a reforçar a sua “solidez” durante os 90 minutos.

“Faz parte da mudança de ideias da nova equipa técnica, há uma assimilação das ideias e um espaço de tempo que temos que perceber que, por muita vontade dos jogadores, na aprendizagem há uma evolução e ligeiros retrocessos, é o que tem acontecido durante o jogo”, disse.

O treinador vincou a ideia de que o Vitória SC terá de ser uma equipa que, “em qualquer campo e contra qualquer adversário, disputa os três pontos, é uma premissa de que não abdicará nunca”.

João Henriques frisou que o Vitória tem “um plano B” e que quer que a sua equipa seja uma espécie de “camaleão”: ir “olhando para o jogo e para o adversário e, sem deixar de ser um camaleão, poder ter várias cores”.

Ricardo Quaresma fez a sua formação no Sporting, clube onde também começou como profissional e se sagrou campeão nacional em 2001/02, e para João Henriques este será, apesar da grande experiência do internacional português, “um jogo especial”.

“É um jogo especial, é o clube onde ele iniciou a sua carreira profissional e fez a sua formação, mas tirando isso, com 37 anos e a sua experiência, é mais um jogo na carreira dele. Ele está comprometido com o projeto e tem sido muito importante na integração dos jovens para eles crescerem. Desde que aqui cheguei, tem sido um exemplo a liderar, jogar, ajudar”, disse.

Vitória SC, sexto classificado, com 10 pontos, e Sporting, primeiro, com 16, defrontam-se a partir das 20:30 de sábado, no Estádio D. Afonso Henriques, num jogo que será arbitrado por Hugo Miguel, da associação de Lisboa.

Anúncio

Futebol

Gil Vicente rescinde com Tim Hall e Renan Oliveira

Mercado de transferências

Foto: DR

O defesa Tim Hall e o avançado Renan Oliveira rescindiram os contratos que os ligavam ao Gil Vicente, informou hoje o clube da I Liga portuguesa de futebol, no sítio oficial.

“O Gil Vicente informa que chegou a acordo com os jogadores Tim Hall e Renan Oliveira para a rescisão do vínculo contratual entre as partes. Aos jogadores desejamos as maiores felicidades”, lê-se na nota publicada.

O emblema de Barcelos esclareceu ainda que a rescisão com o ponta de lança brasileiro, emprestado no início da época pelos ucranianos do Vorskla Poltava e agora devolvido, foi amigável, numa mensagem divulgada através da rede social Facebook.

Contratado por empréstimo no início desta época, ao Vorskla Poltava, da I Liga ucraniana, Renan Oliveira, de 23 anos, cumpriu 399 minutos em 12 jogos oficiais pelos minhotos, tendo marcado um golo no triunfo por 3-0 sobre a União de Leiria, em jogo relativo à quarta eliminatória da Taça de Portugal, realizado em dezembro.

Quanto a Tim Hall, internacional luxemburguês de 23 anos, os ‘galos’ não esclareceram a modalidade de rescisão de contrato.

Oriundo do Karpaty Lviv, emblema que disputou a I Liga ucraniana em 2019/20, o defesa-central assinou com o Gil Vicente um contrato válido por duas épocas, até junho de 2022, e participou em dois jogos oficiais, em dezembro, frente ao Benfica, para a 10.ª jornada da I Liga (derrota por 2-0), e à União de Leiria, para a Taça de Portugal.

A equipa treinada por Ricardo Soares contabiliza agora três saídas na janela de transferências em curso, após ter devolvido o guarda-redes Daniel Fuzato à Roma, clube italiano que o emprestara no início da presente época.

Continuar a ler

Futebol

Gil Vicente ‘empresta’ Isaiah ao Varzim

Mercado de transferências

O Varzim, da II Liga portuguesa de futebol, anunciou, hoje, a contratação do médio ofensivo Ahmed Isaiah, que chega ao clube poveiro por empréstimo do Gil Vicente, do principal escalão nacional.

O jogador nigeriano, de 25 anos, vai ficar na Póvoa de Varzim até ao final da temporada, cedido pelos barcelenses, e já integra os trabalhos da formação nortenha.

Ahmed Isaiah, que esta época tinha cumprido apenas quatro minutos distribuídos por três jogos no Gil Vicente, está no futebol português há sete temporadas, contando, também, com passagens por Ribeirão, AD Oliveirense e Vilaverdense.

Na passagem pelo clube de Vila Verde, o médio nigeriano foi orientado pelo técnico António Barbosa, treinador que desde esta semana assumiu o comando do Varzim, com a missão de retirar o conjunto poveiro do último lugar da II Liga.

Continuar a ler

Futebol

João Pedro Sousa admite que não esperava estar em último lugar na I Liga

I Liga

Foto: DR

O treinador do Famalicão admitiu hoje, a dois dias do jogo com o Santa Clara, da 14.ª jornada da I Liga de futebol, que não lhe “passava pela cabeça estar em último” lugar do campeonato nesta fase.

João Pedro Sousa assumiu a responsabilidade do mau momento pelo qual o clube atravessa, mas garantiu estar convencido que a equipa vai dar a volta.

“No início da época passada sabíamos que a temporada ia ser muito complicada. No entanto, estou cá eu para assumir que não contava com tantas dificuldades. Não me passava pela cabeça estar em último, a responsabilidade é minha, mas estou completamente convencido que vamos dar a volta”, disse o técnico, em conferência de imprensa de antevisão da partida com a equipa açoriana.

Sobre o jogo, João Pedro Sousa disse estar à espera de dificuldades, explicando a necessidade de “abordar a partida com muita competência”.

“É um campo sempre muito difícil, não só pelas características do campo, mas essencialmente pela qualidade do Santa Clara, que tem conseguido conciliar as exibições com os resultados. Temos que o abordar com muita competência”, frisou.

O treinador disse ainda que os ‘reforços de inverno’ “estão aptos para competir” e explicou a necessidade de o Famalicão ter que contratar nesta fase do campeonato.

“É uma situação normal. O início de época, ao nível de contratações, não nos correu bem porque atrasámo-nos um pouco em algumas contratações. O mercado foi um pouco estranho e tudo isso condicionou. Tivemos que fazer alguns reajustes, não só para dotar o grupo de mais qualidade, mas também pelo número de jogadores, porque com a questão da pandemia rapidamente temos um jogador vários dias fora. Por isso, o número do plantel também tem que ser adequado”, salientou.

O técnico vincou ainda que o Famalicão desta época é “muito diferente” da época passada, garantindo que “está muito melhor”.

“O clube está muito diferente, para melhor. Infelizmente, a classificação não é a mesma e por responsabilidade minha. Posso prometer aos adeptos que vamos acabar o ano na posição que devemos ocupar. Temos uma confiança enorme de que vamos ultrapassar esta fase”, finalizou.

O Famalicão, 18.º e último classificado, com 11 pontos, joga no domingo, nos Açores, com o Santa Clara, que ocupa o sétimo lugar, com 15, numa partida da 14.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Continuar a ler

Populares