Treinador do Porto encara Braga como candidato ao título

I Liga
Foto: DR / Arquivo

O treinador Sérgio Conceição afirmou hoje que o FC Porto tem que “encarar” o embate com SC Braga como um encontro “contra um candidato ao título”, sexta-feira, na oitava jornada da I Liga de futebol.

O técnico dos ‘dragões’ não subestima a equipa comandada por Artur Jorge, que está três pontos acima, e está ciente das dificuldades que vai encontrar, mas, ainda assim, garantiu que não coloca outro cenário do que a vitória portista.

“Temos de melhorar os aspetos nos quais não temos estado bem e encarar o jogo contra um candidato ao título. Não o digo agora, já digo há alguns anos que o SC Braga é um candidato”, disse, frisando: “Queremos conquistar os três pontos”.

O técnico deu uma explicação rápida sobre o adversário e sua forma de atuar.

“O SC Braga joga num 4-4-2 clássico e sem bola defende dessa forma. Com bola, coloca os alas muito por dentro, próximos dos avançados, que são combativos. Têm laterais interessantes como o Fabiano e o Sequeira, que cruza muito bem. O Al Musrati é a âncora da equipa e o André Horta aparece em zonas diferentes das dele. É um 4-4-2 clássico como aquele que utilizei quando cheguei ao FC Porto, com dinâmicas muito interessantes. Sem bola é uma equipa humilde. Mesmo os alas, jogadores com características ofensivas, como o Ricardo [Horta] e o Iuri [Medeiros], são muito rigorosos sem bola. E os miúdos dão uma lufada de ar fresco. Têm um bom grupo e um treinador com muita vontade”, disse.

Para o jogo com os minhotos, Sérgio Conceição admitiu que ainda não sabe se vai poder contar com Pepe, Otávio e Uribe, médio que se lesionou enquanto esteve ao serviço da seleção da Colômbia.

“O Uribe veio lesionado, tem um pequeno problema no pulso. Vamos ter de o avaliar. O Pepe tem tido uma evolução melhor do que a do Otávio”, afirmou.

O técnico portista foi ainda questionado sobre a contestação dos adeptos à equipa, depois do empate (1-1) no reduto do Estoril Praia, na última jornada, que deixou a equipa a cinco pontos do líder do campeonato, o Benfica.

“Contestação é contestação. Depois, há porque não se ganha há quatro anos, há porque se perde uma vez em dois anos… Depende da forma como olhamos para isso. No fim do jogo com o Estoril, saí tranquilamente, não vi nada, saí de vidros abertos. E sem problema nenhum. E estou de acordo com o presidente. Se num clube como este, depois de um empate, que não é bom, se não estão meia dúzia de adeptos a assobiar e a dizer mal do clube, da própria vida… É normal. Eu saí tranquilamente. Sem contestação, deixa de haver um clube exigente. Mas há contestação e contestação”, referiu.

Sérgio Conceição falou ainda de Taremi quando questionado sobre o estado de espírito do avançado iraniano, não poupando nos elogios ao jogador.

“Lembro-me de jogarmos contra o Rio Ave há uns anos quando o Taremi estava lá. Quando analisámos o Rio Ave, tive a sensação de que o Taremi estava muito acima dos outros em termos de inteligência. E na vida, ele também é assim. Tem um caráter fantástico, é um grande profissional e um ser humano fabuloso. Não altera o seu estado de espírito por isto ou por aquilo. Para ele, que está farto de ser massacrado, o que importa é falar de futebol”, finalizou.

O FC Porto, terceiro classificado, com 16 pontos, recebe o SC Braga, em segundo, com 19, na sexta-feira, às 21:15 horas, em encontro da oitava jornada da I Liga portuguesa de futebol, que será arbitrado por Artur Soares Dias, da associação do Porto.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Encontros Literários do Alto Minho regressam em outubro com 11 escritores

Próximo Artigo

PSD de Ponte da Barca aponta Cimeira Ibérica como "oportunidade de ouro" para o futuro

Artigos Relacionados
x