Seguir o O MINHO

Futebol

Treinador do Boavista quer conquistar primeiro triunfo em Famalicão

Vasco Seabra

em

Foto: DR

O treinador Vasco Seabra manifestou hoje uma “confiança muito grande” nos futebolistas do Boavista, que procuram conquistar no domingo o primeiro triunfo na I Liga, no terreno do Famalicão, em encontro da quinta jornada.


“Queríamos já ter vencido, mas, independentemente disso, não sentimos absolutamente nada sobre o quer que seja. Mais do que o tempo ou o deixar de ter tempo, centramo-nos nos caminhos e comportamentos que controlamos para chegar às vitórias. Essas são as nossas únicas convicções”, salientou o técnico, em conferência de imprensa.

Os dois empates e as duas derrotas amealhadas representam o pior arranque dos ‘axadrezados’ desde o regresso à elite em 2014/15 e estão aquém das metas traçadas para esta época, embora Vasco Seabra garanta que os resultados vão aparecer.

“Nós temos sempre a responsabilidade de jogar para vencer e a pressão é diária, mesmo que estejamos com vitórias ou com outros resultados para trás. Há um foco muito grande no jogo, no trabalho com a equipa e nas coisas que temos de melhorar defensiva e ofensivamente para sermos mais competentes e competitivos”, apontou.

Exemplo dessa evolução passa por “finalizar parte das oportunidades criadas”, já que o Boavista mostra alguma ansiedade natural de querer vencer”, e “procurar sofrer menos”, em função de um dos piores registos defensivos da prova, com 10 tentos encaixados.

“A ideologia de um jogo positivo e de um futebol atrativo é uma falsa questão. Se nos dissessem que jogar de outra forma garantia que iríamos ganhar mais vezes, jogaríamos sempre assim. A nossa convicção é de que, com a nossa forma de jogar, estamos mais compactos, capazes e consistentes para vencer de forma continuada”, defendeu.

Vasco Seabra regressa a Vila Nova de Famalicão, onde trabalhou em 2017/18, e espera um oponente “difícil, com qualidade individual e coletiva, que mudou ligeiramente a forma de jogar face à época passada e apresenta maior variabilidade”.

“Propomo-nos a estar competitivos e a trabalhar cada dia mais do que no anterior para estarmos mais fortes a cada jogo. É essa a imagem que queremos dar e o facto que queremos consumar”, finalizou o técnico, que assistiu à recuperação do avançado Yusupha Njie, ao invés do defesa Adil Rami e do médio Angel Gomes.

Já o guarda-redes Rafael Bracali, que falhou o desaire caseiro frente ao Vitória de Guimarães (1-0) por ter estado em contacto com uma pessoa infetada com covid-19, recebeu autorização da Direção-Geral da Saúde (DGS) para reintegrar os treinos.

O Boavista, 17.º e penúltimo colocado, com dois pontos, visita o Famalicão, oitavo, com cinco, no domingo, às 17:30, no Estádio Municipal de Famalicão, em duelo da quinta jornada da I Liga, com arbitragem de Tiago Martins, da associação de Lisboa.

Anúncio

Futebol

“Os jogadores estão de parabéns, tentaram fazer o que eu queria”

César Peixoto

em

Imagem TVI

Declarações após o jogo Sporting– Moreirense (2-1) da oitava jornada da I Liga portuguesa de futebol:

– César Peixoto (treinador do Moreirense): “Tivemos a equipa fechada devido à covid-19 e, quando cheguei, passados três dias, fiquei eu fechado 10 dias. Tentámos inovar, criar formas de chegar aos atletas. Quando se chega de novo a um clube, a comunicação ficou mais difícil.

Hoje, o Sporting jogou bem, empurrou-nos com alguma naturalidade. Acabámos por fazer um golo. O Sporting respondeu rapidamente a esse golo. Foi um jogo bem disputado. Criámos muitas dificuldades ao Sporting. Na segunda parte, faltou-nos capacidade para ter bola. Esta semana tivemos três jogos e eu tentei fazer alguma gestão.

Os jogadores estão de parabéns, tentaram fazer o que eu queria. Honrámos os pergaminhos do clube.

Vamos esperar um Moreirense a jogar com bola e a discutir o jogo. A nossa ideia é ter mais bola, é ser protagonista. Hoje, aqui e ali, conseguimos. Jogámos com três centrais em alguns momentos, na frente procurámos também para criar mais pressão no ataque para não recuar as linhas e criar dúvidas ao Sporting.

O Sporting foi superior, é natural, mas no detalhe faltou-nos capacidade para levar daqui um ponto. Dou os parabéns ao Sporting porque a vitória também lhes assenta bem.

Tive em equipas da II Liga e quem as conheceu sabe que são equipas muito bem organizadas, que procuram ter bola e que olham o jogo para procurar os três pontos. Acredito que jogando bem estamos mais próximos de vencer.

Temos de pensar jogo a jogo. Estou satisfeito com os jogadores que tenho. Pedro Nuno é um jogador que nos traz qualidade e que é importante para esta equipa e que nos faz falta. Nesta fase (devido às lesões) estamos a passar por algumas dificuldades, mas quando os jogadores voltarem a equipa será mais forte”.

– Rúben Amorim (treinador do Sporting): “Quero enviar um abraço à família de Vítor Oliveira.

Hoje, tentámos sempre arranjar soluções para o golo sofrido. Na primeira parte, tivemos várias oportunidades em frente à baliza, mas o último toque faltou. Marcámos o golo do empate e acreditava que o segundo golo iria surgir logo a seguir, mas não foi isso que aconteceu.

Não é muito importante (dizer que o Sporting é candidato ao título). Queremos ganhar todos os jogos e se isso acontecer seremos campeões. Vamos ter calma até porque a equipa é um pouco inexperiente.

Pode ser uma vantagem (não participar em provas europeias), queremos aproveitar todos os minutos para trabalhar com a equipa porque isso é muito importante. Os nossos jogos são sempre difíceis.

O Pedro Gonçalves é um jogador que está num excelente momento de forma. Para a semana, volta a um clube que bem conhece e se trabalhar bem ao longo da semana pode ser que repita.

Hoje, aqui ou ali, não quisemos meter logo a bola fora. O Nuno Mendes tem direito a um dia pior, o Feddal também, os miúdos também. Estamos a falar de um jogo onde a equipa adversária fez um único remate e fez um golo.

Fomos justos vencedores e o resultado peca por escasso. Seguimos na frente e agora é preparar o jogo com o Famalicão.

Não podemos pedir que a equipa seja muito irreverente e ser muito alegre a jogar e que depois não tenha outro lado da moeda. Faz parte do crescimento passar maus momentos. Não vi a equipa intranquila. Vi as dores de crescimento e vamos perceber isso daqui para frente.

Falta tudo a esta equipa ainda. Estamos muito bem, falta melhorar alguns aspetos. Temos muito para crescer. As vitórias não nos tiram essa realidade. Há dias em que estamos mais inspirados ou não. O jogo teve um sentido, não foi dividido”.

Continuar a ler

Futebol

Moreirense perde em Alvalade

I Liga

em

Foto: SCP / Twitter

O Moreirense perdeu hoje na casa do Sporting, por 2-1, graças a um ‘bis’ de Pedro Gonçalves, em encontro da oitava jornada onde os leões reforçaram a liderança.

Em Alvalade, um autogolo de Luís Neto, logo aos três minutos, deu vantagem aos forasteiros, mas o melhor marcador do campeonato, agora com nove tentos, selou a reviravolta, aos oito, a meias com Fábio Pacheco, e aos 75.

Na classificação, os de Moreira de Cónegos seguem em 11.º com oito pontos. Já os comandados de Rúben Amorim, que só perderam dois pontos, na receção ao FC Porto (2-2), totalizam 22, contra 16 dos ‘dragões’, vencedores no reduto do Santa Clara por 1-0, e 15 de SC Braga e Benfica, que têm menos um jogo.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Sporting – Moreirense, 2-1.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

0-1, Luís Neto, 03 minutos (na própria baliza).

1-1, Pedro Gonçalves, 08.

2-1, Pedro Gonçalves, 75.

Equipas:

– Sporting: Adán, Luís Neto, Coates, Feddal, Porro, Palhinha, João Mário (Matheus Nunes, 78), Nuno Mendes (Jovane Cabral, 62), Nuno Santos, Pedro Gonçalves (Antunes, 84) e Sporar (Tiago Tomás, 78).

(Suplentes: Maximiano, Tabata, Matheus Nunes, Tiago Tomás, Gonçalo Inácio, Antunes, Daniel Bragança, Eduardo Quaresma e Jovane Cabral).

Treinador: Rúben Amorim.

– Moreirense: Pasinato, D’Alberto, Rosic, Steven Vitória, Afonso Figueiredo (Matheus Silva, 61), Fábio Pacheco, Alex Soares (Ibrahima, 84), Gonçalo Franco (Derik Lacerda, 62), Felipe Pires, André Luís (Jefferson Galego, 72) e Walterson (David Tavares, 71).

(Suplentes: Miguel, Ferraresi, David Tavares, Ibrahima, Matheus Silva, Reynaldo César, Jefferson Galego e Derik Lacerda).

Treinador: César Peixoto.

Árbitro: Vítor Ferreira (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Derik Lacerda (74), Nuno Santos (78) e Jefferson Galego (82).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia da covid-19.

Continuar a ler

Futebol

Prémio de melhor treinador passa a chamar-se Prémio Vítor Oliveira, anunciou a Liga

Liga Portugal

em

Foto: Gil Vicente / Facebook

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) vai ‘batizar’ de Prémio Vítor Oliveira a distinção de melhor técnico dos campeonatos profissionais feita mensal e anualmente, anunciou hoje Pedro Proença.

“Prémio Vítor Oliveira – Treinador do Mês. É esta a nova designação dada pela Liga Portugal a todas as distinções feitas mensalmente a técnicos, como também na anual, entregue na gala do Kick-off”, escreveu o presidente da Liga de Clubes na sua conta oficial na rede social Facebook.

Pedro Proença justifica a decisão como sendo uma “forma de a Liga Portugal imortalizar e homenagear um dos mais carismáticos treinadores do futebol português, modalidade à qual dedicou toda uma vida”.

Antes, a Liga de clubes já tinha lamentado “profundamente” a morte de Vítor Oliveira, que “ficará para sempre na história do futebol profissional”, e decretado um minuto de silêncio nos jogos a realizar este fim de semana, em homenagem ao ex-treinador.

“Esta é uma notícia que não queremos receber. Não quando se trata de alguém que não está doente, que está na plenitude da sua vida e que adora, respira futebol. Ainda há dias, o nosso amigo Vítor esteve na Liga, a dar uma aula da pós-graduação, tão bom foi ouvi-lo. Dizem dele que era o campeão das subidas, e foram 11. Não era, era um campeão dos treinos, da liderança e do futebol. Que semana dura e estranha esta, que nos leva os mais queridos. O futebol e a sociedade continuam a ficar mais pobres”, frisou o presidente da LPFP, citado em comunicado do organismo.

Vítor Oliveira, que morreu hoje em Matosinhos, aos 67 anos, ficou conhecido como ‘rei das subidas’, ao conseguir 11 promoções ao principal escalão, em 18 presenças, ao serviço de Paços de Ferreira (1991 e 2019), Académica (1997), União de Leiria (1998), Belenenses (1999), Leixões (2007)), Arouca (2013), Moreirense (2014), União da Madeira (2015), Desportivo de Chaves (2016) e Portimonense (2017).

Em mais de 30 anos, entre 1978 e 2020, comandou Famalicão, Portimonense, Maia, Paços de Ferreira, Gil Vicente, Vitória de Guimarães, Académica, União de Leiria, Sporting de Braga, Belenenses, Rio Ave, Moreirense, Leixões, Trofense, Desportivo das Aves, Arouca, União da Madeira, Desportivo de Chaves e Paços de Ferreira.

Como futebolista, vestiu as camisolas de Leixões, Paredes, Famalicão, Sporting de Espinho, Sporting de Braga e Portimonense.

Continuar a ler

Populares