Seguir o O MINHO

Futebol

Treinador de Barcelos queixa-se de advogado e agente por burla de 65 mil euros

Jorge Maciel apresentou queixa-crime no Tribunal de Famalicão

em

Foto: SL Benfica

Burlado por um advogado e por um agente de futebol. O treinador de futebol, Jorge Maciel, natural de Barcelos, que comandou a equipa dos sub-23 do Benfica, treinou no Japão, e é agora adjunto no Lille FC de França, apresentou queixa-crime no Tribunal de Famalicão contra o jurista Duarte Costa e o agente desportivo Rodolfo Filipe Vaz dizendo que estes se apropriaram dos 65 mil euros que lhe foram pagos, em 2014, pelo clube líbio All Itthiad Sports Cultural Club, de Tripoli, a título de indemnização por despedimento. E o clube líbio também terá sido enganado.

A queixa refere que, àquela verba, acrescem 1.105 euros de honorários e 621 euros para traduções e, ainda, 4 mil francos suíços (3240 euros), que lhe pediu de taxa de justiça da FIFA. Só que a queixa na FIFA nunca entrou, nem este organismo cobra taxas por ações semelhantes, as traduções não existiram e o advogado limitou-se a negociar com os líbios, à sua revelia.

Em 2013, Jorge Maciel, a residir na Maia quando regressa a Portugal, aceitou convite para ser adjunto do All Itthiad, cargo que assumiu durante alguns meses, tendo sido despedido sem causa.

No All Itthiad, Jorge Maciel “preparava os jogos, apoiava o técnico principal na comunicação com os atletas e nas listas de convocados e de reforços e servia de escudo face à comunicação social”.

Agiram sem procuração

Em Portugal contactou Duarte Costa que lhe pediu aquelas verbas e disse ter metido uma ação na FIFA, tendo mesmo, em dezembro, informado que o clube já teria sido citado para deduzir contestação. Em outubro de 2014 remeteu-lhe uma decisão favorável da FIFA, por e-mail, condenando o clube ao pagamento de 72 mil, vindo, depois, a anunciar que fizera um acordo com os líbios por 65 mil euros.

O acordo envolveu Rodolfo, embora nenhum dos dois tivesse a necessária procuração. Aí, o treinador contratou o advogado João Magalhães, e concluiu que nada entrara na FIFA, tendo este organismo mundial dado a primeira sentença obrigando o All Itthiad a pagar-lhe 42 mil euros. Até agora nada recebeu.

Agora, apresentou queixa-crime. O Ministério Público está a ouvir testemunhas.

Líbios pagaram 65 mil e mais 42 mil euros

Os líbios pagaram os 65 mil euros ao advogado e ao agente desportivo, e Jorge Maciel diz ter cópia do recibo de pagamento feito a Rodolfo Vaz. Mais tarde, e como Maciel recorreu à FIFA para ser ressarcido, e este organismo condenou o All Itthiad a pagar-lhe 42 mil, o clube de Trípoli não teve outro remédio senão o de lhe pagar aquele montante, para não incorrer em sanções. Pagou, assim, 107 mil euros e terá sido enganado pelos dois intermediários.

Os defensores de Jorge Maciel salientam que, apesar de ele ter recebido os 42 mil euros, ficou, na mesma, prejudicado: “Se tivesse havido uma negociação correta e atempada, teria recebido bastante mais”.

O MINHO contactou Duarte Costa, mas não teve resposta.

Populares