Seguir o O MINHO

Guimarães

Trabalhadores da Amtrol-Alfa em Guimarães em greve por “maior aumento de salário”

Três dias de greve parcial

em

Foto: DR / Arquivo

Os trabalhadores da Amtrol-Alfa, em Guimarães, começaram hoje uma “jornada de luta” com três horas de greve por cada turno, reivindicando um “maior aumento do salário”, melhores condições de trabalho e melhores condições na cantina da empresa.

Em declarações à Lusa, o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Norte – SITE NORTE, João Cunha, explicou que esta “jornada de luta”, que vai durar até quarta-feira, pretende “demonstrar o descontentamentos dos trabalhadores e levar a administração da empresa a sentar-se à mesa de negociações”.

Segundo explicou, os trabalhadores da Amtrol-Alfa, em Guimarães, “estão em desacordo” com o aumento salarial de 10 ou 15 euros e exigem um aumento entre os 80 e os 90 euros.

“Em 2020, em plenário, foi aprovado um caderno reivindicativo com um aumento salarial entre 80 e 90 euros [por mês]. A administração nunca se quis sentar connosco para negociações e depois apenas informou os trabalhadores que o aumento seria no máximo de 15 euros. Esta posição levou os trabalhadores a tomarem a opção pela greve”, explicou.

João Cunha referiu que “a jornada que começa hoje é já a terceira deste ano e que nada mudou”.

“Os trabalhadores estão dispostos a negociar, a chegar a um meio termo, mas é preciso que a administração se sente com eles”, referiu.

A Amtrol-Alfa tem, segundo o SITE-Norte, cerca de 800 trabalhadores, dos quais “entre 400 e 500 são efetivos”.

O mesmo sindicato refere que o salário médio praticado naquela empresa de metalomecânica, considerada “a maior produtora europeia e a maior exportadora mundial de garrafas de gás”, é de 750 euros.

Para quarta-feira está marcada uma concentração em frente à empresa com a presença da líder da CGTP, Isabel Camarinha.

A Lusa tentou entrar em contacto com responsáveis da Amtrol-Alfa, mas foi informada de que a administração “não presta qualquer tipo de declarações”.

Populares