Seguir o O MINHO

Alto Minho

Trabalhadoras fazem vigília em defesa de centro para crianças em risco de Caminha

em

Foto: DR

As 15 trabalhadoras do Centro de Acolhimento Temporário (CAT) para crianças e jovens em risco de Seixas, em Caminha, vão realizar, na terça-feira, uma vigília para exigir a continuidade daquela estrutura, disse esta segunda-feira uma das funcionárias.


Em declarações à agência Lusa, Cândida Facão explicou que “a vigília vai ter início cerca das 19:30, junto ao remo, partindo em direção ao terreiro de Caminha, onde permanecerá cerca de uma hora a uma hora e meia”.

O encerramento daquele equipamento, conhecido como CAT Benjamim, foi anunciado no início de março pela Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Viana do Castelo, responsável pela gestão daquela estrutura.

Na altura, em declarações à agência Lusa, o presidente da APPACDM de Viana do Castelo, Luiz Costa, explicou que o CAT Benjamim “é a única resposta da instituição que não é vocacionada para a área da deficiência e que acumulou, desde 2008 um défice crónico, com dívidas superiores a 400 mil euros”.

Luiz Costa revelou que “as 11 crianças e jovens em risco, atualmente a residir naquele centro vão ser encaminhadas para a resposta mais próxima” e que “algumas das 15 trabalhadoras serão recolocadas noutras respostas que a instituição tem no Alto Minho, sendo que “com outros será negociado o despedimento”, sem especificar o número de trabalhadores naquela situação.

Hoje, Cândida Falcão afirmou “não se poder decidir encerrar uma resposta social só porque é deficitária”.

Confrontada com a solução de emprego avançada, hoje, pelo presidente da Câmara de Caminha no novo Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) a criar, até final do ano, numa antiga escola de Vila Praia de Âncora, Cândida Falcão disse que “uma resposta social não invalida a outra”.

“O novo CAO que foi anunciado para Vila Praia de Âncora é uma mais-valia para Caminha que não dispõe de nenhuma resposta na área da deficiência, mas o CAT também deve continuar a funcionar”, afirmou a funcionária de 55 anos.

Cândida Falcão, trabalhadora do CAT Benjamim desde 2002, garantiu que aquela estrutura “faz falta” a Caminha e que as 15 funcionárias “não vão baixar os braços”.

Segundo o autarca socialista Miguel Alves, a criação do CAO, em Vila Praia de Âncora, com capacidade para 30 utentes, resulta de um “entendimento” estabelecido entre o município e a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Viana do Castelo.

O acordo “firmado” entre as partes surge na sequência do anúncio do fecho do CAT.

“O acordo está firmado. Estamos todos envolvidos neste novo projeto”, frisou Miguel Alves, adiantando que, em Caminha, “existem 24 cidadãos com deficiência que estão em instituições fora do concelho”.

Adiantou que a nova estrutura “vai ainda permitir absorver todas, ou grande parte” das 15 trabalhadoras do CAT Benjamim, com encerramento previsto para final de julho.

“Estas trabalhadoras iriam entrar numa situação de desemprego se não fosse possível encontrar esta solução”, reforçou, revelando que até à abertura do novo CAO, as funcionárias “terão de ser incorporadas, provisoriamente, noutros equipamentos da APPACDM, no distrito de Viana do Castelo”.

Revelou que as 11 crianças e jovens em risco, atualmente, no CAT Benjamim serão “encaminhadas” para outras estruturas.

“A Segurança Social tem os próximos três meses para encontrar outras casas de acolhimento. O que nos foi transmitido é que, no distrito de Viana do Castelo, existem vagas, três vezes superiores ao número de crianças e jovens que se encontram no CAT Benjamim”.

Anúncio

Alto Minho

BMW que vale um milhão de euros roubado de garagem em Ponte de Lima

Clássico

em

BMW 328i

Um clássico BMW modelo 328 do ano de 1939 foi dado como roubado de uma coleção particular situada em Ponte de Lima, no passado dia 07 de julho.

De acordo com o Jornal dos Clássicos e com o Automóvel Clube de Portugal, a viatura desportiva terá desaparecido do espaço, tendo sido avistado pela última vez em Sampaio, no concelho de Ermesinde.

O carro tem a matrícula DH-10-34 e o número de chassis 85173.

De acordo com o departamento de Clássicos do ACP, o departamento histórico da BMW em Munique já foi alertado para o desaparecimento da viatura, uma vez que existem apenas cerca de 400 exemplares deste modelo.

Numa breve pesquisa em sites de leilões deste tipo de automóveis, é possível ver diferentes preços, variando entre os 500 mil e o milhão de euros.

 O modelo, que atingia os 135 quilómetros horários, foi fabricado entre os anos de 1936 e 1940, tendo sido produzidas 434 unidades. Tem motor de seis cilindros com 80 cavalos de potência.

Qualquer informação sobre o paradeiro do automóvel pode ser remetida ao cuidado do ACP.

Continuar a ler

Alto Minho

Incêndio em armazém de tratamento de resíduos em Ponte de Lima

Incêndio industrial

em

Foto: Facebook dos Bombeiros de Arcos de Valdevez

Um incêndio deflagrou nesta tarde de sábado nas instalações da empresa Gintegral, em Vitorino das Donas, concelho de Ponte de Lima.

As chamas consumiram o recheio de um armazém de tratamento de resíduos desde cerca das 17:00 horas. O armazém, sem cobertura, é rodeado por paredes de betão, ardendo os fardos de resíduos que se encontram no interior, disse a O MINHO Carlos Lima, comandante dos Bombeiros de Ponte de Lima.

“O incêndio está confinado aquele espaço mas a matéria prima é bastante inflamável e estamos a proceder ao ataque para que não passe para a área florestal envolvente”, acrescentou o chefe de comando, cerca das 18:30 horas deste sábado.

Carlos Lima confirma ainda que as chamas atingiram uma pequena porção de zona florestal mas que essa situação já está resolvida, após ajuda de um meio aéreo.

Explica ainda que no local estiveram ambulâncias da corporação para prestar assistência a bombeiros que se encontravam desidratados face às elevadas temperaturas sentidas no local.

“Os bombeiros saem, recuperam e voltam depressa para o combate”, disse o comandante.

No local estiveram os Bombeiros de Ponte de Lima, Caminha, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca e Viana do Castelo, num total de 51 operacionais.

O incêndio foi dado como extinto já perto da noite deste sábado.

(notícia atualizada às 21h47)

Continuar a ler

Alto Minho

Menino de 5 anos gravemente queimado num piquenique em Arcos de Valdevez

Numa praia fluvial

em

Foto: Facebook de Bombeiros de Arcos de Valdevez

Uma criança de cinco anos sofreu queimaduras graves na sequência de um acidente com gás, ao início da tarde deste sábado, numa praia fluvial em Arcos de Valdevez, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

O menino estava com a família na praia fluvial de São Jorge, durante um piquenique, quando uma mangueira que ligava uma botija de gás a um grelhador terá escapado, provocando um incêndio

A criança acabou por ser atingida pelas chamas em cerca de 60% do corpo causando grande apreensão por haver suspeitas de que o fogo tenha atingido as vias respiratórias, disse a O MINHO Filipe Guimarães, comandante dos Bombeiros de Arcos de Valdevez.

Para o local foram acionados os Bombeiros de Arcos de Valdevez com três viaturas e nove operacionais, assim como a ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Arcos de Valdevez e a Viatura de Emergência Médica (VMER) de Viana do Castelo, estas últimas do INEM.

A criança foi estabilizada e entubada no local pela equipa médica da VMER, sendo posteriormente transportada para o Hospital de São João, no Porto, com ferimentos considerados “graves”.

A GNR de Arcos de Valdevez registou a ocorrência.

Continuar a ler

Populares