Seguir o O MINHO

Futebol

“Tivemos três ou quatro oportunidades para dilatar o marcador”

Vítor Campelos, treinador do Moreirense

em

Foto: Twitter (Arquivo)

Declarações dos treinadores do Rio Ave e Moreirense, Carlos Carvalhal e Vítor Campelos, no final da partida oitava jornada da I Liga portuguesa de futebol, que terminou com um empate 1-1.

Vítor Campelos (Treinador Moreirense): “Foi um jogo com duas partes distintas. Na primeira, além do golo tivemos outras três ou quatro oportunidades flagrantes para dilatar o marcador.

Na segunda metade, o Rio Ave teve mais posse de bola, mas fomos organizados e com espírito de equipa. Acho que o resultado é justo

Sabíamos que o Rio Ave, além de boas individualidades, é uma equipa bem orientada, e que como jogou na sexta-feira teve mais um dia de descanso que nós, que jogámos no sábado. Isso teve alguma influência na segunda parte. Mas parabéns aos nossos jogadores por conseguiram um resultado que acaba por ser justo”.

Carlos Carvalhal (Treinador do Rio Ave): “Entrámos bem no jogo a criar algumas oportunidades para marcar, mas depois do golo do Moreirense, a equipa sentiu o golpe e foi o período que menos gostei.

Como não estávamos insatisfeitos mudámos ao intervalo, passamos a jogar com três defesas, e apesar de corrermos alguns riscos estivemos equilibrados. Impusemos um jogo de sentido único com várias oportunidades para marcar.

No entanto, só conseguimos fazer um golo, até porque o Moreirense defendeu-se bem. Tivemos mais futebol e mais remates, e por isso acho que merecíamos mais que o empate

Sempre disse que este Rio Ave vinha para animar o campeonato, com jogos vivos e um futebol que os adeptos gostem. Mas as coisas não caem do céu. A equipa está preparada para criar dificuldades aos adversários e o rendimento tem subido. Não vamos mudar a nossa identidade”.

Anúncio

Futebol

FC Porto empata com Belenenses SAD e fica mais longe do líder Benfica

13.ª jornada da Liga portuguesa de futebol

em

Imagem via VSports

O FC Porto empatou hoje 1-1 na visita ao Belenenses SAD, em jogo da 13.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, aumentando para quatro pontos o atraso para o líder Benfica.

O médio André Santos inaugurou o marcador aos 14 minutos para os anfitriões, mas o defesa brasileiro Alex Telles igualou aos 32, de grande penalidade, minimizando os danos para os ‘dragões’, que empataram dois dos últimos três jogos disputados fora de casa na prova.

O FC Porto manteve-se no segundo lugar, agora com 32 pontos, mas ficou mais longe do Benfica, campeão nacional e líder isolado do campeonato, com 36, enquanto o Belenenses permaneceu na 12.ª posição, com 15.

Ficha de Jogo

Jogo realizado no Estádio Nacional, em Oeiras.

Belenenses SAD – FC Porto, 1-1.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

1-0, André Santos, 14 minutos.

1-1, Alex Telles, 32 (grande penalidade).

Equipas:

– Belenenses SAD: Koffi, Tiago Esgaio, Nuno Coelho, Tomás Ribeiro, Chima Akas, Show, André Sousa, André Santos (Hakim, 74), Silvestre Varela, Licá (Marco Matias, 87) e Cassierra (Kikas, 69).

(Suplentes: André Moreira, Hakim, Sphephelo Sithole, Benny, Marco Matias, Robinho e Kikas).

Treinador: Pedro Ribeiro.

– FC Porto: Marchesín, Manafá (Nakajima, 63), Pepe, Marcano, Alex Telles, Danilo Pereira, Loum (Sérgio Oliveira, 64), Otávio, Corona, Marega (Soares, 82) e Zé Luís.

(Suplentes: Diogo Costa, Mbemba, Sérgio Oliveira, Uribe, Nakajima, Luís Díaz e Soares).

Treinador: Sérgio Conceição.

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Silvestre Varela (53), Koffi (64), Chima Akas (65), Tomás Ribeiro (71), Nuno Coelho (90+2), Soares (90+4), Tiago Esgaio (90+4), Pepe (90+5) e André Sousa (90+5).

Assistência: cerca de 6.000 espetadores.

Continuar a ler

Futebol

“No fim o que conta é quem marca golos”

Declarações pós-jogo do Sporting-Moreirensa da 13.ª jornada da Liga

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações após o jogo Sporting-Moreirense (1-0), da 13.ª jornada da I Liga de futebol, disputado hoje no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

– Vítor Campelos (Treinador do Moreirense): “Os resultados no final são sempre justos e o Sporting marcou e nós não. Sabíamos que ia ser um jogo extremamente difícil, que teríamos de ser rigorosos e ter coragem para ter a bola, mas em alguns momentos errámos alguns passes fáceis. Mesmo assim, podíamos ter marcado em algumas transições. Há um penálti a nosso favor sobre o Fábio Abreu e depois da expulsão o Sporting ficou mais por cima. Parabéns ao Sporting, porque no fim o que conta é quem marca golos.

Entramos em todos os jogos para ganhar e este era mais um jogo que queríamos ganhar. Em determinada altura, se tivéssemos tido mais paciência com bola, podíamos ter criado maior perigo e mais oportunidades.

Temos de pensar jogo a jogo. É certo que ainda não ganhámos fora, mas agora temos de pensar já no Belenenses e em ficar com os três pontos”.

– Jorge Silas (Treinador do Sporting): “Foi um jogo que controlámos inteiramente, muito bem conseguido, com muitas ocasiões de golo e muitos remates para um só golo. Já na primeira parte podíamos ter ficado em vantagem e foi um dos nossos melhores jogos, a nossa sexta vitória consecutiva em casa perante um bom adversário. Foi uma vitória justa.

Devíamos ter controlado mais o jogo com bola e não nos devíamos ter deixado levar pela ansiedade, mas classificaria esta exibição com nota sete ou oito.

Neste momento, só estamos preocupados com os jogadores que temos e não com o mercado”.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga faz queixa da GNR por carga sobre os seus adeptos

Alega ainda que a polícia obrigou um fotojornalista a apagar as “provas incriminatórias”

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O SC Braga vai apresentar uma queixa formal ao Ministério da Administração Interna e às instâncias desportivas contra a atuação do dispositivo de segurança da GNR no final do jogo de futebol com o Desportivo das Aves.

Em nota publicada hoje no sítio oficial na Internet, os minhotos referem que estão a recolher elementos de prova que sustentem uma queixa contra a atuação da GNR no final do jogo de sábado, da 13.ª jornada da I Liga, que, “já no exterior do estádio, carregou indiscriminadamente sobre os adeptos que faziam o seu trajeto até aos autocarros”.

“Os excessos da autoridade foram presenciados por elementos do clube no local, que fizeram também o acompanhamento dos adeptos que necessitaram de receber tratamento hospitalar. Esta violência desproporcionada é um atentado ao desporto e à condição do adepto em Portugal e deve ser denunciada e combatida de todas as formas”, pode ler-se.

Segundo a mesma nota, essa violência “é tanto mais grave quando as autoridades, percebendo a presença de um fotojornalista no local, usaram de todos os meios intimidatórios para apagar registos e provas da conduta praticada sobre os adeptos”.

O Braga solicita ainda que “qualquer contributo para a ação que o clube vai desencadear seja remetido através do oficial de ligação aos adeptos, Rogério Gonçalves”.

O Desportivo das Aves, que ocupa o último lugar da I Liga, venceu o jogo por 1-0, conquistando apenas o segundo triunfo no campeonato e impedindo os minhotos de subirem ao quarto lugar provisório.

Continuar a ler

Populares