Seguir o O MINHO

Barcelos

Têxtil de Barcelos pode resgatar do desemprego 200 ex-trabalhadores da Ricon

em

Empresa têxtil Valerius. Foto: valerius.pt

O grupo têxtil Valérius manifestou interesse na aquisição dos ativos da Ricon, disse o administrador de insolvência ao jornal “Eco”. A informação surge depois de a SIC Notícias ter avançado que a empresa de Barcelos demonstrou também interesse em contratar cerca de 200 trabalhadores daquela empresa, que encerrou no final de janeiro.

O administrador de insolvência e um responsável da Valérius confirmaram o pedido de uma reunião com os ex-trabalhadores.

“Os cenários estão todos em aberto, o que quisemos fazer ao reunir com os trabalhadores foi adiantar alguns desses passos e perceber se estes estariam disponíveis para o projeto”, disse fonte da Valérius.

Os responsáveis adiantaram ainda que a aquisição dos ativos poderá ser total ou parcial: “tudo depende do preço. É como digo: todos os cenários estão em aberto”, afirmou o administrador de insolvência, ao “Eco”.

Na carteira de encomendas do grupo Valérius estão marcas como H&M, Moschino, da Max Mara ou Coach.

Há duas semanas, o mesmo grupo anunciou a abertura de uma fábrica em Póvoa de Lanhoso, criando 100 postos de trabalho, nas instalações da antiga fábrica da Filobranca, que fechou há mais de uma década.

Segundo informação disponibilizada no site do grupo, o volume de negócios em 2017 ascendeu a 35 milhões de euros, sendo toda a produção para exportação.

Tem uma capacidade instalada de 25 mil peças por dia, adaptada a médias e grandes séries.

O Tribunal de Comércio de Vila Nova de Famalicão decretou o encerramento da Ricon Industrial SA, no final de janeiro, depois de a assembleia de credores ter aprovado o relatório do administrador da insolvência, que apontava para o fecho daquela empresa, lançando para o desemprego cerca de 600 trabalhadores.

Populares