Seguir o O MINHO

Futebol

“Temos contribuído para o ‘ranking’ de Portugal”

Declarações

em

Declarações no final do encontro Sporting Clube (SC) de Braga-Besiktas (3-1), da quarta jornada do Grupo K da Liga Europa de futebol:

– Ricardo Sá Pinto (treinador do SC Braga): “Enquanto matematicamente for possível para as três equipas (Braga, Wolverhampton e Slovan Bratislvava), temos de respeitar, pois no futebol tudo é possível.

Estamos bem posicionados, com trabalho e competência dos jogadores, e muito orgulhosos, mas falta o ‘match point’ para nos podermos qualificar para a fase seguinte. Mas, nos dois jogos que nos faltam, não podemos jogar para esse ponto, porque podemos correr riscos, mas manter a postura que tivemos até aqui.

Às vezes o ‘match point’ é o mais difícil, é verdade. Tenho muitos anos de futebol, é um alerta, mas de confiança porque temos uma margem confortável. Precisamos de um ponto, era pior se precisássemos de seis.

Sá Pinto supera recorde de Jesus, com oitavo jogo sem perder na Europa

A equipa tem jogado sempre um bom futebol, tem dominado maioritariamente os adversários, tem justificado outros resultados, mas não tem tido felicidade em muitos jogos. Hoje, voltámos a sofrer um golo de forma inesperada. Tem sido a nossa história, temos de ser mais exigentes, mais rigorosos e mais concentrados, mas tudo se melhora com trabalho.

Mas, reagimos rapidamente a essa adversidade e pusemo-nos na frente do resultado ainda antes da expulsão [do jogador do Besiktas]. Os jogadores fizeram um jogo extraordinário, estou satisfeito. Também gosto muito de ganhar, temos feito tudo para isso, mas nem sempre é possível, importa saber porquê e nós sabemos.

Temos contribuído para o ‘ranking’ de Portugal, na luta direta com a Rússia. Hoje, mais uma vez, os pontos foram importantes, foi um dia bonito.

(Convocatória da seleção) Não devo comentar por respeito, tenho grande simpatia e amizade pelo selecionador Fernando Santos, que foi meu treinador e é o nosso selecionador. Ele é capaz de perceber quem são os melhores jogadores para representar Portugal. Se me perguntar se gostava de ter jogadores do Braga lá, logicamente que sim, mas temos de respeitar as escolhas”.

Imparáveis na Liga Europa: Braga ‘arruma’ Besiktas e está “com pé e meio” nos 16 avos

– Recep Ucar (treinador adjunto do Besiktas): “Foi um jogo complicado. Nós analisámos bem o Braga e conhecíamos bem a sua equipa. Começámos bem o jogo até ao primeiro golo, depois reagimos e empatámos, mas depois veio o 2-1 e a expulsão, que acho que foi injusta.

Depois, o Braga é uma equipa bem organizada e foi bastante difícil contrariá-la. Aguentámos e tivemos duas chances para empatar, mas o Braga fez o 3-1 e o jogo acabou”.

Anúncio

Futebol

SC Braga vence, ‘segura’ terceiro lugar e já não perde há nove jogos na Liga

I Liga

em

Foto: SC Braga

O SC Braga venceu hoje de forma ‘suada’, mas justa, o Vitória de Setúbal por 3-1, em jogo da 22.ª jornada da I Liga de futebol, em que o seu treinador mudou quase toda a equipa.

Rúben Amorim fez oito alterações em relação à equipa que começou a partida com o Rangers, na quinta-feira, mantendo apenas o guarda-redes Matheus e os defesas Sequeira e Bruno Viana, a pensar na segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa, já na quarta-feira, em Braga.

A equipa pagou a ‘fatura’ de tantas mudanças com uma primeira parte muito pouco conseguida, mas subiu o nível da exibição na segunda e Ricardo Horta inaugurou o marcador aos 63 minutos, tendo Bruno Wilson feito o segundo aos 75. Os sadinos reduziram perto do final, por Ghilas (89) e, no último lance da partida, após um canto favorável aos sadinos com o guarda-redes Makaridze a tentar a sua sorte na área minhota, Trincão percorreu quase todo o campo e fechou as contas (90+7).

Os bracarenses seguraram o terceiro lugar e seguem invencíveis internamente – já não perdem para o campeonato desde 15 de dezembro (1-0, em casa, com o Paços de Ferreira), tendo desde então somado um empate e sete vitórias.

Já o Vitória de Setúbal somou o quarto jogo seguido sem ganhar (três derrotas e um empate), tendo deixado algumas boas indicações na primeira parte, mas reagiu demasiado tarde na segunda.

O SC Braga entrou melhor e, logo aos sete minutos, André Horta atirou com muita força, mas por cima e, pouco depois, Ricardo Horta ‘disparou’ de primeira após belo passe de Galeno (16).

No minuto seguinte, Ghilas ficou perto do golo, mas Matheus defendeu bem o seu cabeceamento.

A meio da primeira parte, surgiu uma contrariedade para Rúben Amorim, com Sequeira a lesionar-se (e a poder falhar o jogo europeu de quarta-feira) e a ser substituído por Pedro Amador, que assim se estreou vindo da equipa B.

O Braga sentia cada vez mais dificuldades em ligar o jogo – André Horta e João Novais mostraram muita falta de ritmo -, mas ainda assim conseguiu criar boas ocasiões para marcar, mas Rui Fonte e Galeno finalizaram mal (31 e 35).

O Vitória foi subindo de produção e acabou a primeira parte em cima da equipa minhota, tendo mesmo chegado a introduzir a bola na baliza de Matheus, mas o golo foi invalidado por fora de jogo de Ghilas (40).

Trincão entrou aos 55 minutos e o extremo esteve na origem do golo, ao solicitar Galeno na direita, que depois cruzou atrasado para Ricardo Horta fazer o que poucos fazem com tanta qualidade: remate de primeira, rasteiro e colocado (63), materializando o seu 18.º golo da temporada.

Júlio Velázquez lançou Eber Bessa e Antonucci (71), mas seria o Braga a dilatar o resultado, com Bruno Wilson, num excelente cabeceamento após canto de João Novais (75).

Ghilas ainda reduziu aos 89 minutos, após grande passe de Éber Bessa, mas foi Trincão a fazer o último golo da partida.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Municipal de Braga.

SC Braga – Vitória de Setúbal, 3-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

1-0, Ricardo Horta, 63 minutos.

2-0, Bruno Wilson, 75.

2-1, Ghilas, 89.

3-1, Trincão, 90+7.

Equipas:

– SC Braga: Matheus, Bruno Wilson, Bruno Viana, David Carmo, Diogo Viana (Trincão, 55), João Novais, André Horta (Fransérgio, 83), Sequeira (Pedro Amador, 24), Ricardo Horta, Galeno e Rui Fonte.

(Suplentes: Tiago Sá, Anthony, Pedro Amador, Fransérgio, Trincão, Abel Ruiz e Paulinho).

Treinador: Rúben Amorim.

– Vitória de Setúbal: Makaridze, Sílvio, Artur Jorge, Jubal, Nuno Pinto, Semedo, Montiel (Éber Bessa, 71), Mansilia (Antonucci, 71), Carlinhos, Berto (Zequinha, 66) e Ghilas.

(Suplentes: Lucas Pais, Mano, Leandrinho, Éber Bessa, Guedes, Zequinha e Antonucci).

Treinador: Júlio Velazquez.

Árbitro: Hélder Malheiro (Lisboa).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Montiel (19), Berto (19), João Novais (30), Bruno Wilson (52), Artur Jorge (57), Semedo (78), e Galeno (90+5).

Assistência: 11.185 espetadores.

(notícia atualizada)

Continuar a ler

Futebol

Sporting vence Boavista e aumenta distância para o Famalicão

I Liga

em

Foto: Twitter

O Sporting, com dois golos na primeira parte, recebeu e venceu hoje o Boavista por 2-0, resultado que lhe permite subir provisoriamente ao terceiro lugar da I Liga de futebol, na 22.ª jornada.

O esloveno Spirar, aos 13 minutos, estreou-se a marcar na Liga, já depois de o ter feito a meio da semana na Liga Europa, e o equatoriano Gonzalo Plata, aos 42, foram os autores dos golos ‘leoninos’ ainda na etapa inicial.

Com esta vitória, o Sporting volta ao terceiro lugar, provisoriamente, com 39 pontos, mais dois do que o quarto, o SC Braga, que ainda hoje recebe o Vitória de Setúbal, e mais seis do que o Famalicão, que perdeu hoje em Paços de Ferreira.

Continuar a ler

Futebol

“Temos de encontrar soluções para as dificuldades que aparecem”

João Pedro Sousa

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações após o jogo Paços de Ferreira–Famalicão, que terminou com a vitória dos pacenses, por 2-1, da 22.ª jornada da I Liga de futebol:

João Pedro Sousa (treinador do Famalicão): “Foi um jogo em que na primeira parte não estivemos ao nível que costumamos estar. Fomos muito lentos e previsíveis, não chegámos onde queremos chegar e não ligámos o jogo como pretendíamos. Mas controlámos sempre o jogo e o adversário.

Estivemos melhor na segunda parte, chegámos à zona de finalização, tivemos algumas oportunidades para marcar, não conseguimos, e depois cometemos dois erros que deram golo. Alterámos o sistema, arriscámos até onde podíamos e íamos conseguindo o empate, mas, infelizmente, o guarda-redes do Paços defendeu o penálti.

As equipas que nos defrontam já sabem a forma de jogarmos, mas temos de encontrar soluções para as dificuldades que nos aparecem.”

Pepa (treinador do Paços de Ferreira): “Às vezes temos a tendência de colocar tudo no mesmo saco, isto por causa do jogo na Madeira, mas tenho a confiança plena na equipa, e sabia que íamos voltar a jogar à Paços, com muita união, caráter e personalidade.

Faltavam os golos e os três pontos e conseguimos, contra uma equipa muito forte, bem orientada. Normalmente, quando uma equipa está no fundo da tabela, sente a necessidade de se esconder do jogo, mas tivemos capacidade para jogar.

Na segunda parte, tivemos mais critério nas saídas com bola. Fizemos os golos e, depois, obrigámos o Famalicão a jogar de uma forma que os não caracteriza, mas foi dessa forma que fizeram o golo e depois o suspense do último segundo podia ter sido um filme de terror, mas acreditámos até ao final e conseguimos o mais importante, que foram os três pontos.

Continuar a ler

Populares