“Taliban” de Barcelos e “Pato” de Vila Verde entre os detidos por roubos violentos

Caso mais grave em Famalicão
Foto: Joaquim Gomes / O MINHO / Arquivo

O Ministério Público requereu, esta terça-feira, a prisão preventiva para cinco dos sete jovens assaltantes detidos pela Polícia Judiciária de Braga, durante uma operação em Joane (Vila Nova de Famalicão), Cabanelas (Vila Verde) e Arcozelo (Barcelos).

A decisão será tomada quarta-feira pela juíza de instrução, depois dos advogados de defesa, entre os quais João Ferreira Araújo, terem defendido, ao invés, medidas coativas não privativas da liberdade, dizendo haver além do mais pouca prova no processo.

Os sete detidos são um casal de Joane, que já tinham outro cúmplice, a residir consigo naquela vila de Vila Nova de Famalicão, havendo mais quatro suspeitos, três residentes em Arcozelo (Barcelos) e um morador na freguesia de Cabanelas (Vila Verde).

Para a monitorização dos suspeitos terão sido determinantes as escutas e gravações telefónicas da Polícia Judiciária de Braga aos principais visados, todos já com antecedentes criminais, que nestes últimos dias estavam a aumentar os assaltos no Minho.

Caso mais grave em Famalicão

A situação mais grave imputada ao grupo, considerado um bando, pelo Ministério Público, foi cometida na madrugada de 28 de outubro de 2023, quando foram assaltados à mão armada e dentro da sua própria casa, dois primos, em Joane (Famalicão).

As duas vítimas, que se colocaram em fuga, foram perseguidas pelos assaltantes, sendo um dos primos atingido em casa, na nádega e perna direitas, com disparos de espingarda caçadeira, enquanto outro foi agredido com a arma, uma moca e um ferro.

O grupo roubou aos locatários 20 euros em dinheiro, mas também um telemóvel Apple Iphone, no valor de 1.200 euros, além de outro telemóvel Samsung S21 Ultra, avaliado em 1.000 euros, e uma consola Playstation com o valor de cerca de 600 euros.

Mais assaltos em Braga e Barcelos

Ao grupo são imputados assaltos em Braga, um dos quais na “Casa das Bolas de Berlim”, na rua Quinta da Armada, atrás do centro comercial Braga Parque, onde furtaram uma máquina de pagamento avaliada em 12 mil euros com três mil euros dentro.

Enquanto o golpe na “Casa das Bolas de Berlim” foi cometido na madrugada de 26 de abril, já em 9 de maio terão assaltado a “Padaria Dume”, em Lomar, a um quilómetro da PJ de Braga, levando uma máquina de 11 mil euros com 300 euros no interior.

Em Barcelos, no dia 10 de maio, o alvo de outro assalto foi “Efeitos Coffe & Brunch”, na Avenida Dom Nuno Álvares Pereira, onde terão furtado, de noite, uma máquina de pagamento, com o valor comercial de sete mil euros, que tinha dentro 700 euros. 

Estes são considerados os principais assaltos, de um rol de sete, até agora apurados, cujo grupo inclui dois alegados assaltantes, conhecidos pelas alcunhas de “Taliban” (de Barcelos) e “Pato” (de Vila Verde), ainda segundo as investigações da PJ de Braga.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Matheus é pai pela quarta vez. E nasceram todos em Braga

Próximo Artigo

25 anos sem perdão. Bourbon leva 'nega' do tribunal pela morte de empresário

Artigos Relacionados
x