Seguir o O MINHO

Desporto

Taça Davis: Portugueses contentes com exibição e vitória frente à África do Sul

Manutenção no Grupo I da zona Europa/África da Taça Davis.

em

Foto: Facebook de Gastão Elias

Os tenistas portugueses João Sousa e Gastão Elias mostraram-se bastante contentes com a vitória no encontro de pares entre Portugal e África do Sul, no sábado, que permitiu a manutenção no Grupo I da zona Europa/África da Taça Davis.

“Tanto eu como o Gastão fizemos um bom encontro do princípio ao fim, embora tivéssemos perdido algumas oportunidades para fechar o encontro em dois ‘sets’, mas acho que estivemos muito bem, a lutar em cada ponto. Pessoalmente, estou muito contente com o nível que exibimos, era um ponto importante para ganhar a eliminatória e, por isso, estou feliz por ter ajudado Portugal a fechá-la da melhor maneira”, afirmou o vimaranense, número 44 do ‘ranking’ ATP.

Gastão Elias, além de concordar com o parceiro, defendeu ter sido um “encontro com um nível médio alto, com poucos altos e baixos”, da parte dos portugueses, que permitiu bater a dupla constituída por Raven Klaasen (18.º ATP em pares) e Ruan Roelofse, que não perdiam há seis encontros consecutivos na Taça Davis.

“Jogámos muito bem. Além da intensidade e concentração, conseguimos manter um nível muito bom ao longo de todo o encontro e isso é o que permite alcançar vitórias assim e jogar a este nível”, acrescentou o jogador natural da Lourinhã (200.º ATP).

Nuno Marques, apesar de ter previsto na véspera um duelo “difícil contra uma dupla forte”, disse não ter ficado surpreendido com a exibição e triunfo dos seus jogadores, que, hoje, no Club Internacional de Foot-Ball, colocaram um ponto final na sequência de quatro derrotas seguidas na Taça Davis.

“De forma nenhuma! Já os vi jogar em algumas eliminatórias em que ganharam a grandes pares e hoje jogaram muito bem. Acho que todos esperávamos que eles jogassem a este nível, porque sabem fazê-lo. Foi uma grande prova de caráter e atitude. Para quem está na cadeira é fantástico vê-los jogar, pela atitude, pelo nível e, sendo um encontro tão importante e um par oponente tão forte, foi muito bom acabar assim”, elogiou o capitão.

Consumada a permanência no grupo I e o acesso ao ‘qualifying’ do Grupo Mundial, agendado para os dias 01 e 02 de fevereiro de 2019, os jogadores portugueses admitem que, entre as duas hipóteses em perspetiva, Canadá ou Cazaquistão, preferem jogar em casa.

“Prefiro jogar nas condições que conhecemos e gostamos, apesar de o Canadá ter jogadores mais fortes. Vamos estar preparados para jogar”, admite Pedro Sousa, enquanto João Sousa lembra que o “Cazaquistão tem um registo muito bom a jogar em casa, o Canadá também, e com melhores jogadores”, mas é preferível jogar em Portugal.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Desporto

Filomena Costa vence meia maratona de Viana

em

 

Filomena Costa e Hermano Ferreira voltaram a vencer a ‘Meia Maratona Manuela Machado – Viana Fica no Coração’, que hoje se realizou em Viana do Castelo.

Foto: Facebook de Matias Novo – Fotografia

Em femininos, a atleta bracarense (é o seu terceiro, depois das vitórias em 2015 e 2018), cortou a meta em 1:16.13 horas. Fiolmena correu esta meia maratona pouco mais de 12 horas depois de ter representado o seu clube, Jardim da Serra, da Madeira, nos apuramentos para os nacionais de pista coberta, nos quais venceu a prova de 3.000 metros.

Na segunda posição chegou Neide Dias, do Benfica, que surpreendera ao ser terceira nos campeonatos nacionais de estrada, na semana passada, e que agora se estreou em meia maratona com a marca de 1:17.04. Fechou o pódio a triatleta espanhola Edymar Abreu (1:17.18).

O atleta do Casaense – Escola de Atletismo de Coimbra, Hermano Ferreira, correu os 21,097 quilómetros em 1:05.21 horas, deixando para trás os seus opositores, com os bracarenses Jorge Santa Cruz (1:07.02) e Ricardo Ribas (1:07.04) a completarem o pódio. A marca de Hermano Ferreira, que conquistou o seu segundo triunfo na prova (o primeiro foi em 2014), é a melhor marca nacional desta época.

O conteúdo Filomena Costa vence meia maratona de Viana aparece primeiro em Desporto – O MINHO.

Source link

Continuar a ler

Desporto

Taça da Liga: Primeiro capítulo do ‘monopólio’ a quatro decide-se em Braga

Jogos de terça a sábado

em

Benfica, FC Porto, Sporting e o anfitrião Sporting de Braga decidem de terça-feira a sábado, na ‘final four’ da Taça da Liga, o primeiro capítulo do ‘monopólio’ em que transformaram a época futebolística 2018/19 em Portugal.

Na ‘Pedreira’, Benfica, vencedor de sete edições, e FC Porto, que nunca ganhou, disputam na terça-feira a primeira meia-final e, no dia seguinte, o Sporting, detentor do troféu, e o Sporting de Braga, ‘campeão de inverno’ em 2012/13, jogam a segunda.

A prova fecha no sábado, ficando decidido o primeiro de três troféus só ao alcance destes quatro conjuntos, que são, de forma folgada, os quatro primeiros do campeonato e jogarão também as ‘meias’ da Taça de Portugal, que inclui o dérbi lisboeta.

Os dois clubes da capital podem também vir a encontrar-se na final da Taça da Liga – seriam três ‘dérbis’ em 12 dias -, reeditando a edição 2008/09, mas pode igualmente repetir-se a de 2012/13, entre FC Porto e Sporting de Braga.

Na terça-feira, ‘águias’ e ‘dragões’ abrem as ‘hostilidades’, no que será o segundo confronto da época entre ambos: em 07 de outubro de 2018, na Luz, o Benfica venceu por 1-0, com um golo do suíço Seferovic, em encontro da sétima ronda da I Liga.

Depois disso, muito mudou, sendo que os ‘dragões’ não mais perderam, somando 20 vitórias – incluindo 18 consecutivas, igualando o recorde histórico do Benfica de 2010/11 -, e um empate, com o Sporting, em Alvalade.

Por seu lado, os ‘encarnados’ já nem têm o mesmo treinador, sendo que Bruno Lage, o sucessor de Rui Vitória, apresenta-se 100% vitorioso, em quatro jogos, os dois últimos em Guimarães, face ao Vitória, invicto esta época com os outros semifinalistas.

Na prova, o Benfica superou o FC Porto nos anteriores três confrontos, na final de 2009/10 (3-0 no Algarve) e nas meias-finais de 2011/12 (3-2 na Luz) e de 2013/14 (4-3 nos penáltis, após 0-0 nos 90 minutos, no Dragão).

Quanto às equipas, e em relação aos jogos do fim de semana, Lage recupera Ruben Dias, poderá ter Fejsa e ainda não deverá contar com Jonas, enquanto Sérgio Conceição deve continuar sem Otávio e Aboubakar, mas talvez tenha Danilo e Maxi Pereira.

Para quarta-feira, está marcada a segunda meia-final, no mesmo local onde, a 24 de setembro de 2018, o Sporting, então ainda de José Peseiro, sofreu o primeiro desaire da época, ao perder por 1-0, ‘culpa’ de Dyego Sousa, o atual melhor marcador da I Liga.

Esse encontro foi um dos muito exemplos do poderio dos ‘arsenalistas’, como demonstram os escassos dois desaires – por 1-0 no Dragão e por 6-2 na Luz – nos 27 jogos oficiais disputados na presente temporada, sob o comando de Abel Ferreira.

Por seu lado, os ‘leões’ estão bem diferentes, quatro meses depois, já que, entretanto, passaram a ser comandados pelo holandês Marcel Keizer, que entrou em ‘grande’, com sete vitórias seguidas, mas foi perdendo ‘gás’.

O enorme entusiasmo – alicerçado em vários jogos pautados por um futebol ofensivo e muitos golos – já deu lugar a interrogações, face aos resultados nos jogos mais exigentes (0-1 em Guimarães, 1-2 em Tondela e 0-0 na receção ao FC Porto).

Na Taça da Liga, Sporting e Sporting de Braga nunca se encontraram a eliminar, somando apenas um jogo na fase de grupos, em 2009/10, que terminou com o triunfo dos ‘leões’ por 2-1, em Alvalade, com Abel Ferreira como lateral direito.

Os dois embates das meias-finais estão agendados para as 19:45, tal como a final.

Continuar a ler

Desporto

Vitoriano Vitor Rodrigues venceu ultramaratona no Brasil

Primeiro português a consegui-lo

em

Foto: Facebook do Vitória SC

O atleta do Vitória SC, Vitor Rodrigues, participou e finalizou numa das ultra maratonas mais difícil do Brasil, ‘Ultramaratona Brasil 135’.

O ultramaratonista vitoriano percorreu 217 quilómetros de prova em 34 horas com a bandeira nacional nas mãos.

Para a história fica o nome do Vitor como o primeiro português a concluir esta prova e logo com um primeiro lugar.

Continuar a ler

Populares