Seguir o O MINHO

Futebol

Sporting sagra-se bicampeão de futsal ao bater Benfica pela terceira vez

em

O Sporting revalidou hoje o título português de futsal e sagrou-se bicampeão nacional, ao vencer mais uma vez o Benfica, por 4-3, no terceiro jogo da final do ‘play-off’, no Pavilhão João Rocha, em Lisboa.

Com este triunfo, os leões somam o 17.º título de campeão nacional, sagram-se bicampeões e alcançam algo inédito na modalidade em Portugal, ao chegarem ao título vencendo todos os jogos do ‘play-off’ e culminando esse feito com três vitórias na final frente ao rival lisboeta, depois de terem vencido os dois primeiros confrontos por 5-4 e 4-3, respetivamente.

Se nos dois primeiros encontros os ‘leões’ começaram sempre em desvantagem no marcador, desta feita a equipa de Nuno Dias inverteu a tendência e colocou-se na liderança por Pauleta (05 minutos), fez o 2-0 por Cavinato (13) e Cardinal (18) assinou o terceiro antes do intervalo.

Na segunda parte, André Sousa (26) reduziu para o Benfica, Zicky (33) recolocou a vantagem ‘leonina’ em três golos ao fazer o 4-1 e Arthur marcou por duas vezes para as ‘águias’ (34 e 39).

O Sporting tomou conta da iniciativa de jogo desde o início e, depois de Pany Varela ameaçar com um remate ao poste, no lance seguinte, Pauleta inaugurou mesmo o marcador para os ‘leões’, só tendo de encostar com um remate bem colocado junto ao poste, após assistência de Erick.

A formação de Alvalade galvanizou-se com o golo e nos lances seguintes, por duas ocasiões, valeu ao Benfica André Sousa, que com duas grandes intervenções, evitou o segundo do Sporting.

Contudo, nem o ‘elástico’ guarda-redes das ‘águias’ pôde impedir o 2-0 ao minuto 13, com Cavinato a aparecer na ‘cara’ do guardião para desviar um livre de Alex Merlim.

A ‘festa’ que tomou conta do pavilhão João Rocha pela vantagem de dois golos dos ‘leões’ deu origem a execesso nas bancadas, com os adeptos a partirem um vidro junto ao banco ‘encarnado’, o que obrigou à interrupção da partida por vários minutos.

Com três minutos para fechar a primeira parte, o Benfica dispôs de uma grande oportunidade para reduzir a desvantagem, com um livre direto a castigar a sexta falta do Sporting: Arthur, no frente a frente com Gonçalo Portugal, desperdiçou ao atirar ao poste.

O ‘castigo’ para a equipa da Luz foi ainda maior um minuto depois, quando Cardinal fez o 3-0 para os campeões nacionais. Pauleta, num lance individual, levou toda a defesa ‘encarnada’ a ‘reboque’ e serviu o pivô, que perante o desamparado André Sousa escolheu o lado e atirou a contar.

Na segunda parte, apesar do maior domínio no encontro, com o Benfica aparentemente abalado pela desvantagem larga, o Sporting viu o rival aproximar-se no marcador, graças a um golo de André Sousa, ao minuto 26, num remate do guarda-redes que ainda tocou em Merlim antes de entrar na baliza à guarda de Guitta.

Pouco depois o Benfica podia ter voltado a entrar na discussão da final, mas Arthur, depois de uma combinação com Carlos Monteiro, voltou a acertar no poste, desperdiçando a oportunidade de fazer o 3-2.

Falhou o Benfica e o Sporting foi letal na resposta, com Zicky a ‘carimbar’ o nome da folha dos marcadores ao minuto 33: num primeiro momento, Pany Varela atirou ao ‘ferro’ e depois o pivô ‘verde e branco’ foi mais rápido na recarga.

Depois de duas bolas nos ferros, Arthur ‘afinou’ finalmente a ‘mira’ e reduziu para 4-2, decorridos 34 minutos. Já perto do minuto final, o pivô ‘encarnado’ fez o 4-3 e deixou o resultado em aberto até final, mas o Sporting viria mesmo a sagrar-se campeão nacional pela sétima vez no ‘reinado’ de Nuno Dias como treinador da equipa de Alvalade.

Ficha de Jogo

Jogo realizado no Pavilhão João Rocha, em Lisboa.

Sporting – Benfica, 4-3.

Ao intervalo: 3-0.

Marcadores:

1-0, Pauleta, 05 minutos.

2-0, Cavinato, 13.

3-0, Cardinal, 18.

3-1, André Sousa, 26.

4-1, Zicky, 33.

4-2, Arthur, 34.

4-3, Arthur, 39.

Equipas:

– Sporting: Guitta, Erick Mendonça, João Matos, Diego Cavinato e Alex Merlim. Jogaram ainda Tomás Paçó, Cardinal, Pauleta, Pany Varela, Esteban Guerrero, Zicky Té e Gonçalo Portugal.

Treinador: Nuno Dias.

– Benfica: André Sousa, Romulo, Robinho, Rocha e Iván Chishkala. Jogaram ainda Afonso Jesus, Arthur, Carlos Monteiro, Bruno Cintra, Rafael Henmi, Silvestre Ferreira e Jacaré.

Treinador: Pulpis.

Árbitros: Cristiano Santos (AF Porto), Ruben Santos (AF Porto) e João Sinval (AF Braga).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Robinho (11), Bruno Cintra (12), Cardinal (12), Jacaré (16), Pauleta (29), Romulo (32), Zicky (32) e Afonso Jesus (34).

Assistência: Cerca de 2.000 espetadores.

Populares