Seguir o O MINHO

Desporto

Sporting de Braga tenta à terceira conquistar a Supertaça de vez

em

O Sporting de Braga vai tentar este domingo, em Aveiro, vencer o Benfica e conquistar, pela primeira vez na sua história e após duas experiências frustradas, a Supertaça Cândido de Oliveira de futebol.


Será a terceira tentativa dos minhotos para ganhar o troféu, depois de, em 1982 e 1998, respetivamente, terem sido derrotados pelos outros ‘grandes’ Sporting e FC Porto na condição de finalistas vencidos da Taça de Portugal, já que ‘leões’ e ‘dragões’ venceram também o campeonato nessas temporadas.

Em 1982, os bracarenses até venceram a primeira ‘mão’, disputada em casa, por 2-1, tendo estado a vencer por 2-0, com golos de Jorge Gomes e Fontes, com Carlos Freire a reduzir para o Sporting.

Contudo, no segundo jogo, em Alvalade, a turma então orientada por António Oliveira ‘atropelou’ o Braga com um rotundo 6-1: golos de Manuel Fernandes (três), Rui Jordão (dois) e Lito, contra apenas um dos ‘arsenalistas’, já na parte final da partida, por Vítor Oliveira.

O ex-jogador foi, 16 anos mais tarde, o treinador da equipa bracarense na sua segunda disputa da Supertaça. Em 1998, cerca de três meses depois de ter perdido no Jamor a Taça de Portugal para o FC Porto, o Sporting de Braga sairia também derrotado na Supertaça.

Nas ‘Antas’, o FC Porto venceu pela margem mínima com um golo do esloveno Zahovic e, na segunda ‘mão’, impôs um empate (1-1) no ‘1º de Maio’ – Capucho adiantou os ‘azuis e brancos’ no marcador, de nada valendo o tento de Formoso.

Quase 20 anos depois, o Sporting de Braga apresenta-se com o estatuto de quarto ‘grande’ consolidado na última década, sendo a primeira vez que disputa a Supertaça na condição de vencedor de um troféu, no caso a Taça de Portugal (bateu, em maio último, o FC Porto), e numa só partida.

No ‘onze’ a apresentar por José Peseiro, de volta ao comando técnico dos minhotos, não deverão constar muitos reforços, talvez apenas os também ‘regressados’ Sasso e Pedro Tiba, recaindo as principais dúvidas na utilização de Boly e Rafa, jogadores cobiçados por outros clubes.

De fora do leque de opções do treinador estão o central Ricardo Ferreira e o médio Luís Aguiar, lesionados.

Peseiro diz que Benfica é favorito, mas isso não intimida o Braga

O treinador do Sporting de Braga, José Peseiro, disse ontem que o Benfica é favorito para a Supertaça Cândido Oliveira de futebol mas sublinhou que os ‘arsenalistas’ não estão intimidados.

O Benfica é favorito, mas isso não nos impede de ter ambição, motivação e acreditar que é possível ganhar a Supertaça“, afirmou o novo treinador dos ‘arsenalistas’.

Na conferência de imprensa de antevisão do jogo da Supertaça, o seu primeiro jogo oficial neste regresso ao clube minhoto, Peseiro lembrou que o Benfica venceu o Braga nas três vezes em que as duas equipas se defrontaram na época passada e que, desde 1997, Benfica, Sporting e FC Porto foram os vencedores da Supertaça.

“Isso não nos atemoriza. Alimenta-nos, entusiasma-nos, motivamo-nos para concretizar um desejo e um objetivo da época que é vencer a Supertaça”, afirmou o treinador.

Peseiro referiu ainda que o Braga “tem valor e tem humildade e a capacidade de perceber os recursos que o Benfica tem”, mas realçou que isso não intimida, nem coloca em inferioridade o clube minhoto, adiantando que vão jogar o jogo “olhos nos olhos”.

“Sabemos que vai ser difícil, temos de estar no nosso melhor momento individualmente e coletivamente. A superação, o compromisso, a determinação e o empenhamento que vamos colocar no jogo é determinante numa fase destas da época”, disse o técnico.

Quanto ao facto de o avançado Rafa estar a ser cobiçado por vários clubes, Peseiro disse que o jogador só pensa na Supertaça e “está mais disponível para ajudar a equipa a conquistar este grande desafio”.

“Sabemos que é um jogador que tem mercado, que é um excelente jogador. Mas o mais importante é a final de amanhã [domingo]. Rafa tal como todos os outros jogadores estão empenhados e estão focados para a Supertaça. É isso que exigimos deles, não mais do que isso e conto com eles em função daquilo que cada um pode dar”, disse.

Questionado sobre a possibilidade de o Benfica estar mais fraco depois da saída de Gaitan e Renato Sanches, Peseiro lembrou que o Braga também não tem Josué, Luís Carlos, Fonte nem Ricardo Ferreira, que também foram preponderantes na época passada para os ‘arsenalistas’.

José Peseiro adiantou ainda que espera que as duas equipas vão jogar ao ataque, sabendo que têm de defender muito bem quando o adversário tem a bola.

“O Braga não vem aqui ser subserviente. Tem a sua forma de jogar, tem a sua estratégia, quer também ter bola e comandar o jogo com bola”, disse o técnico, adiantando que espera que a sua equipa “jogue fluida, que tenha prazer, que desfrute do jogo, que saiba bem o que tem de fazer em cada momento e em cada situação”.

José Peseiro defendeu ainda que o árbitro João Capela merece estar nesta final, tal como o Benfica e o Sporting de Braga, adiantando que se trata de “um dos melhores árbitros portugueses, que ficou em segundo lugar na temporada passada”.

 

Boly e Rafa nos convocados

O treinador do Sporting de Braga, José Peseiro, convocou 21 jogadores para a disputa da Supertaça Cândido de Oliveira de futebol, entre eles Boly e Rafa.

Ricardo Ferreira, Luís Aguiar e Oti são baixas devido a lesão, enquanto Tiago Gomes e Chidi ficam de fora por opção técnica.

Nota para a inclusão de Boly e Rafa, jogadores muito pretendidos por outros clubes e que poderão estar de saída dos minhotos depois do jogo de domingo, assim como dos reforços Rosic, Bakic, Martínez e Ricardo Horta.

 

A lista dos 21 convocados:

– Guarda-redes: Matheus e Marafona.

– Defesas: Baiano, Boly, Sasso, Rosic, André Pinto, Marcelo Goiano e Djavan.

– Médios: Mauro, Pedro Tiba, Vukcevic, Bakic e Martínez.

– Avançados: Pedro Santos, Ricardo Horta, Wilson Eduardo, Alan, Hassan, Rafa e Stojiljkovic.

 

Notícia atualizada às 10h50

logo Facebook Fique a par das Notícias de Desporto. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Futebol

Arguidos por insultos racistas a Marega em Guimarães clamam inocência

Racismo

em

Foto: DR

Um juiz de instrução criminal no Tribunal de Guimarães começou hoje a ouvir três adeptos do Vitória constituídos arguidos no caso dos cânticos e insulsos racistas ao futebolista Moussa Marega, do FC Porto, disse fonte judicial à Lusa.

Segundo a fonte, a diligência processual prosseguirá no dia 02 de outubro.

Os arguidos estão indiciados pelo crime de discriminação e incitamento ao ódio e à violência, punido com pena de prisão de seis meses a cinco anos.

Neste momento, estão com termo de identidade e residência, uma medida de coação que pode ser agravada pelo juiz de instrução criminal, designadamente com a proibição de frequência de recintos desportivos.

O Ministério Público chegou a propor a suspensão provisória do processo, mediante a proibição de frequência de recintos desportivos, a apresentação em posto policial sempre que o Vitória jogasse e o pagamento de uma quantia a uma instituição, mas os arguidos não aceitaram.

Os factos remontam a 16 de fevereiro último, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, durante o jogo de futebol entre o Vitória de Guimarães e o FC do Porto, a contar para a 21.ª jornada da I Liga de futebol.

Por volta do minuto 70, pouco depois de ter marcado um golo, Marega pediu para ser substituído e acabou mesmo por abandonar o relvado, agastado com cânticos de natureza racista que lhe estavam a ser dirigidos por adeptos do Vitória, com sons a imitar macacos.

Marega já foi jogador do Vitória de Guimarães.

Contactado pela Lusa, Pedro Carvalho, advogado dos arguidos, manifestou-se “plenamente convencido” de que os seus constituintes “não tiveram qualquer conduta censurável criminalmente”.

Um convencimento que sustenta tanto na versão contada pelos arguidos, como na “simples análise objetiva dos factos”.

“Apenas espero que o mediatismo dos factos e a questão do racismo, que tem gerado aceso debate na sociedade, não subverta a ação da justiça, porque será inadmissível para um Estado de Direito que os meus constituintes sejam utilizados como bodes expiatórios e se pretenda através deles, ficticiamente, fazer um combate ao racismo e à violência no desporto. Não é pelas dificuldades investigatórias que possam existir que se sacrificará os direitos destes cidadãos, adeptos do Vitória Sport Clube, ou pelo menos assim espero”, rematou.

Continuar a ler

Futebol

Decisão sobre adeptos do Vitória SC na tribuna cabe às autoridades de saúde locais

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, afirmou esta sexta-feira que a decisão sobre sócios na tribuna do Vitória SC compete às autoridades de saúde locais.

“Relativamente ao Vitória SC não me vou pronunciar, porque há a orientação 36 da DGS que delega essa responsabilidade para a autoridade de saúde local”, explicou a responsável.

O Vitória SC prometeu realizar testes à covid-19 junto dos sócios convidados a assistirem aos jogos realizados no Estadio D. Afonso Henriques, adiantou à Lusa fonte oficial do clube.

Os minhotos comunicaram, aliás, a intenção à Direção-Geral da Saúde (DGS) e a Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte, apesar do parecer desfavorável à presença de público no estádio vitoriano por parte dessas autoridades, divulgado na sexta-feira passada.

Vitória SC promete testar sócios convidados para ver jogos na tribuna

“Em concordância com a Resolução do Conselho de Ministros n.º 70-A/2020, de 11 de setembro de 2020, e as orientações técnicas da Direção-Geral da Saúde (DGS), as autoridades de saúde de nível nacional, regional e local comunicaram o seu parecer desfavorável, não permitindo a presença de público”, lê-se no comunicado então publicado pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte.

Os minhotos anunciaram, em 16 de setembro, que iriam sortear 40 associados para assistirem aos jogos na tribuna presidencial do Estádio D. Afonso Henriques, a partir da terceira jornada, com a receção ao Paços de Ferreira, agendada para as 21:15 de 02 de outubro.

40 adeptos do Vitória vão assistir aos jogos na tribuna presidencial do D. Afonso Henriques

O clube de Guimarães tentou convidar sócios para o duelo da primeira jornada do campeonato, realizado em 18 de setembro (derrota com o Belenenses SAD, por 1-0), mas a ARS Norte proibiu a iniciativa, com a justificação do “cenário epidemiológico” que então se vivia em Guimarães – o concelho tem 1.173 casos positivos, segundo a informação mais recente disponível no portal da DGS para a covid-19.

“Sobre o Benfica não entrou nenhum pedido”

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, disse hoje que não deu entrada nem na Direção-Geral da Saúde nem nas autoridades locais ou regionais “nenhum pedido de parecer” do Benfica para colocar adeptos na tribuna.

Questionada em conferência de imprensa sobre a iniciativa promovida pelos ‘encarnados’, que segundo a imprensa desportiva vai convidar 20 sócios para a tribuna presidencial, espaço destinado a convidados, à semelhança do que também já foi anunciado pelo Vitória de Guimarães, com parecer negativo da ARS Norte.

“Creio que no assunto do Vitória de Guimarães, terá sido pedido esse parecer à autoridade de saúde local ou regional. Não chegou à DGS nem tem de chegar. (…) Sobre o Benfica, tanto quanto sei, não entrou nenhum pedido de parecer sobre se podiam ou não ter convidados a assistir ao jogo. Este é o ponto objetivo da situação”, esclareceu Graça Freitas.

A DGS deu um parecer favorável no final da temporada transata, acrescentou, quando foi pedida uma avaliação “sobre poder haver alguns convidados para assistirem à entrega do troféu”, ganho pelo FC Porto, num “momento especial e num contexto epidemiológico” diferente do atual.

Portugal contabiliza pelo menos 1.936 mortos associados à covid-19 em 72.055 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Continuar a ler

Futebol

Portimonense tem “pouca informação” sobre o Gil Vicente

I Liga

em

Foto: Imagem Portimonense

O técnico do Portimonense, Paulo Sérgio, disse hoje que tem pouca informação sobre o Gil Vicente, adversário de domingo em jogo da segunda ronda da I Liga de futebol, e que a equipa algarvia se deve focar em si mesma.

“Honestamente, gostaria de estar mais bem documentado. Mas nesta fase é mesmo assim, ainda para mais nas circunstâncias em que todos temos estado a realizar a pré-temporada. Há pouca informação e o Gil até mudou de treinador e bastantes jogadores. Gostaria de estar mais bem documentado, mas vamos focar-nos em nós próprios para fazer um bom trabalho”, disse o técnico, na conferência de imprensa de antevisão à partida.

O Gil Vicente fará a sua estreia oficial na receção ao Portimonense, depois de a Direção-Geral da Saúde e as autoridades de saúde regionais terem decidido pelo adiamento da partida com o Sporting, da primeira jornada, devido ao contágio de covid-19 nos dois plantéis.

Depois do empate caseiro com o Paços de Ferreira na ronda inaugural (1-1), Paulo Sérgio identificou “coisas boas e outras em que a equipa tem de melhorar”, que têm sido o foco do trabalho na última semana.

“Identificámos e trabalhámos sobre isso [ao longo da semana] e queremos crescer. Queremos aproveitar a partida para crescer como equipa, indo à busca dos pontos, como é a nossa ambição”, salientou o técnico.

Para Paulo Sérgio, que se manifestou agradado com “a entrega, empenho e dedicação” dos jogadores nos treinos, a “imagem de marca” do Portimonense deve ser a competência e o crescimento enquanto equipa.

“Sempre na busca de resultados que nos garantam estarmos felizes, dignificarmos a nossa camisola e deixarmos os adeptos felizes a cada fim de semana com a nossa entrega e dedicação àquilo que é uma causa comum. Temos de ter, em cada jogo, uma ambição grande de conquistar os três pontos”, acrescentou.

Para o confronto de Barcelos, o treinador já confirmou a disponibilidade do lateral-direito japonês e habitual titular Koki Anzai, ausente na jornada anterior por lesão.

O Gil Vicente-Portimonense disputa-se no domingo, às 16:00, no Estádio Cidade de Barcelos, com arbitragem de António Nobre (Leiria).

Continuar a ler

Populares