Seguir o O MINHO

Guimarães

Soprano de Guimarães assume direção artística do Teatro São Carlos a 01 de outubro

Elisabete Matos

em

Foto: DR / Arquivo

A soprano portuguesa Elisabete Matos assume a direção artística do Teatro Nacional de São Carlos (TNSC) a partir de dia 01 de outubro, segundo um despacho esta terça-feira publicado em Diário da República.

A nomeação de Elisabete Matos para a direção artística teatro lírico português foi anunciada pelo Ministério da Cultura, no passado dia 02, recordando a carreira internacional de mais de 25 anos da soprano, que passou pelos mais destacados palcos mundiais.

No diploma hoje publicado, os membros do governo das áreas das Finanças e da Cultura, responsáveis pela nomeação da diretora artística do TNSC, justificam esta escolha com o currículo de Maria Elisabete da Silva Duarte Matos, que consideram evidenciar o “perfil adequado e demonstrativo da aptidão e da experiência profissional necessárias ao exercício das funções”, enquanto “ativo essencial responsável pela preparação e execução da programação”.

Com início a 01 de outubro, o mandato da nova diretora artística do São Carlos vigora até dia 30 de setembro de 2022.

Segundo o diploma, Elisabete Matos passa a auferir um vencimento mensal de 5.000 euros, como diretora artística do teatro, o mesmo estabelecido para o seu antecessor, Patrick Dickie, em 2016, à semelhança das despesas de representação (um máximo de 300 euros por mês).

O despacho relativo à nomeação de Elisabete Matos determina ainda um limite máximo de participações que a soprano pode ter nas produções por si programadas, bem como a forma de cálculo da remuneração dessas participações.

Assim, de acordo com o despacho, “não podem ser programadas mais de duas produções em cada temporada, uma na Temporada Lírica e uma na Temporada Sinfónica, com a participação artística de Maria Elisabete da Silva Duarte Matos”.

O montante da remuneração de tais participações é fixado pelo Conselho de Administração do Organismo de Produção Artística (Opart), que tutela o teatro, não podendo exceder o valor da remuneração auferido pela artista na última produção ou coprodução do Opart, equivalente, em que haja participado.

Ao longo da sua carreira a soprano Elisabete Matos atuou em palcos como os da Metropolitan Opera House, de Nova Iorque, nos Estados Unidos, a Deutsche Oper de Berlim, na Alemanha, e o Teatro alla Scala, em Milão, Itália.

Foi dirigida por grandes maestros, entre os quais Lorin Maazel, James Conlon, Riccardo Muti, Zubin Metha, Valery Gergiev, Daniel Oren, Daniel Baremboin, Bruno Bartoletti, e acompanhada por solistas como Plácido Domingo, José Carreras, Mariella Devia, Leo Nucci, Renato Bruson, Eva Marton, entre outros.

Elisabete Matos nasceu em Caldas das Taipas, Guimarães, e estudou canto e violino no Conservatório de Música de Braga, foi depois bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian, em Espanha, onde completou a sua formação.

Em 2000, foi galardoada com um Latino Grammy pela gravação do papel titular de “La Dolores”, de Tomás Bretón, com Plácido Domingo, para a Decca.

É professora-adjunta convidada na Escola Superior de Artes Aplicadas desde 2014 e, desde 2017, diretora artística do Festival Internacional de Música Religiosa de Guimarães.

Elisabete Matos recebeu as condecorações de Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, e de Grã-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, concedidas pela Presidência da República, foi galardoada com a Medalha de Ouro de Mérito Artístico da Cidade de Guimarães pela Câmara Municipal de Guimarães, e distinguida com a Medalha de Mérito Cultural concedida pela Secretaria de Estado da Cultura, em 2015.

Venceu vários prémios em concursos nacionais e internacionais, como o Concurso de Canto Luísa Todi, em Setúbal, o Belvedere de Viena, na Áustria, e o prémio Femina 2012, entre outros.

Interpretou papéis wagnerianos como Isolda (em “Tristan und Isolde”), Elisabeth (“Tanhäuser”), Elsa e Ortrud (“Lohengrin”), Freia (“Das Rheingold”), entre outros, e de outros compositores, Katia Kabanova (de Janaácek), Condessa de Capriccio e Elektra (de Strauss), Santuzza de Cavalleria Rusticana (Mascagni), Norma (de Bellini), e Cassandre de Les Troyens (de Berlioz), entre outros.

Atuou ainda, entre outros palcos, na Wiener Staatsoper, em Viena, Áustria, na Washington Opera, nos Estados Unidos, no Teatro Real de Madrid, em Espanha, The Israeli Opera, em Israel, Teatro La Fenice, em Veneza, Itália, Festival da Madeira e Festival de Sintra.

Elisabete Matos sucede no cargo a Patrick Dickie, que em junho anunciou não ter condições para “equacionar a continuidade naquelas funções”, tendo, na altura, o teatro nacional explicado que o responsável tinha informado a ministra da Cultura, Graça Fonseca, da sua decisão, tomada por “razões pessoais”.

O mandato do produtor criativo, encenador e dramaturgo Patrick Dickie terminou em 31 de agosto, dia em que efetivamente cessou funções como diretor artístico do São Carlos.

Anúncio

Guimarães

Festival de Guitarra de Guimarães com “maior participação internacional de sempre”

De 21 a 29 de dezembro

em

Foto: Divulgação (Arquivo)

A sexta edição do Festival Internacional de Guitarra de Guimarães terá “a maior participação internacional de sempre” por parte de inscritos e apresenta um cartaz “recheado” de nomes nacionais e além-fronteiras que demonstram o “crescimento sustentado” do evento.

Apresentado esta quarta-feira, o Festival Internacional de Guitarra de Guimarães (FIGG), a decorrer entre os dias 21 e 29 de dezembro em três locais da cidade (Paço dos Duques, o Centro Cultural Vila Flor e Conservatório de Musica de Guimarães), promete “celebrar o Natal de Guitarra na mão”, trazendo a Guimarães nomes como Aniello Desiderio, David Carmona ou Pavel Ravel.

A apresentação do FIGG, que desde 2017 integra a plataforma europeia Eurostrings, serviu ainda para anunciar que a final do concurso europeu de 2021 daquela plataforma será em Guimarães.

Aos dez concertos que compõem o cartaz da edição deste ano acrescentam-se ‘masterclasses’ e o Concurso Internacional de Guitarra Cidade de Guimarães, “um dos momentos mais importantes deste festival”, segundo o diretor artístico, Nuno Cachada.

Nesta edição, o concurso conta com cerca de 100 competidores vindos de vários países: “É a edição com mais participantes internacionais de sempre, desde Estados Unidos, China, França, Espanha, Alemanha, Equador, México”.

“O vencedor da categoria sem limite de idade terá acesso ao Programa de Intercâmbio da Eurostrings, 1.500 euros mais a oportunidade de fazer uma ‘tour’ pelos vários festivais da Plataforma, bem como participar na Eurostrings Winners Competition, com um grande prémio monetário de 8.000 euros, mais uma ‘tour’ pelos Estados Unidos da América, Europa e China”, enumerou Nuno Cachada.

Sobre o cartaz, o responsável salientou “a cidade berço vai aconchegar num só evento o virtuosismo de Aniello Desiderio, o flamenco do quinteto de David Carmona e a juventude de Mateusz Kowalski, sem esquecer nomes emergentes em Portugal, como o Duo Sirius (Diogo João e Márcio Silva) e Francisco Luís”.

Oriundos do programa de intercâmbio Eurostrings, o FIGG vai contar com a presença de Pablo Menéndez, Cassie Martin, Pavel Ralev, Maja Karlj e Bruno Pino Mateos: “A participação na Eurostrings permite-nos não só aumentar o valor disponível para realizar o festival, este ano 40 mil euros, mas também trazer cá nomes que estão já inscritos na plataforma e que venceram edições anteriores do concurso internacional”.

As ‘masterclasses’, “aulas para alunos do ensino artístico especializado que podem ser assistidas pelo público”, é outra componente importante do FIGG.

“O objetivo continua a ser promover a guitarra clássica no setor cultural, quer no contexto pedagógico e formativo, quer no do espetáculo, visando potenciar uma nova atitude de aproximação à guitarra clássica, ainda pouco divulgada enquanto instrumento solista”, apontou.

Para a autarquia, representada na sessão pelo assessor de Cultura Paulo Silva, o FIGG é também uma “marca” do panorama cultural vimaranense.

“Este projeto assenta no conservatório, se não houvesse a semente lançada no território pela parte formativa, não teria sentido e tem já um papel cultural no nosso calendário cultural, pelo valor acrescentado que lhe dá”, disse.

O evento é organizado pela Sociedade Musical de Guimarães, com coprodução d´A Oficina, e tem os apoios do Município de Guimarães e do programa Europa Criativa, da União Europeia.

Continuar a ler

Guimarães

Jovem de 25 anos morre esmagado em obra em Guimarães

Um outro trabalhador ficou em estado grave

em

Foto: DR / Arquivo

Um jovem, de 25 anos, perdeu a vida na sequência duma queda numa obra, onde procedia a trabalhos de construção civil, em Guimarães, disse a O MINHO fonte dos bombeiros. Um outro trabalhador, com cerca de 60 anos, ficou em estado grave.

A tragédia ocorreu numa construção situada na Rua Quinta da Pereira, na freguesia de Fermentões, cerca das 09:00 horas desta manhã.

Segundo fonte do CDOS, as vítimas trabalhavam na construção de uma casa e foram atingidas por uma “estrutura” que se desprendeu.

O ferido grave foi levado para o Hospital de Guimarães.

Para o acidente foram mobilizadas duas ambulâncias e uma viatura médica de emergência e reanimação.

Ao teatro de operações acorreram duas ambulâncias dos Bombeiros de Guimarães com apoio da VMER, com o óbito a ser declarado no local.

A PSP registou a ocorrência.

Continuar a ler

Guimarães

GNR apreende mais de 1.400 doses de droga em Guimarães

Sete detidos

em

Foto: Divulgação / GNR

A GNR deteve esta terça-feira, em Guimarães, sete homens suspeitos de tráfico de estupefacientes e apreendeu mais de 1.400 doses de haxixe, canábis e cocaína, anunciou aquela força.

Em comunicado, a GNR acrescenta que a investigação decorria há cerca de seis meses, tendo os militares apurado que os suspeitos “compravam grandes lotes de droga, acondicionavam-na em pequenas doses e vendiam-na posteriormente aos consumidores”.

Hoje, na sequência das diligências, a GNR deu cumprimento a sete mandados de detenção e a 11 mandados de busca domiciliária, que culminaram com a detenção dos suspeitos.

Na operação, foram apreendidas 600 doses de haxixe, 331 doses de canábis e 487 doses de cocaína, além de um veículo, três pistolas, 34 munições, 17 telemóveis e 72 mil euros.

Os suspeitos, com idades entre os 22 e os 36 anos, permanecerão detidos nas instalações da GNR até serem presentes ao Tribunal de Instrução Criminal de Guimarães, para primeiro interrogatório e aplicação de medidas de coação.

Continuar a ler

Populares