Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Solar abandonado em Viana vai acolher “polo difusor de cultura” inspirado em Serralves

Solar dos Quesados foi comprado pela Fundação Caixa Agrícola do Noroeste

em

Um antigo edifício do Estado em Viana do Castelo devoluto há 10 anos, que chegou a ser vandalizado e ocupado por sem-abrigo, vai ser transformado em “polo difusor de cultura”, inspirado, entre outros, no modelo de Serralves.


“Queremos criar um polo difusor de cultura, arte, educação e de justiça social inspirado no modelo de Serralves”, afirmou hoje à Lusa o presidente do conselho de administração da Fundação Caixa Agrícola do Noroeste, José Luís Carvalhido da Ponte.

Em causa está o solar dos Quesados, vendido por 681 mil euros à Fundação Caixa Agrícola do Noroeste, na primeira hasta pública descentralizada de edifícios devolutos do Estado, que se realizou na sexta-feira em Paredes de Coura.

O solar dos Quesados foi ocupado até 2009 pela extinta Junta Autónoma das Estradas, atual Infraestruturas de Portugal. Em novembro de 2015, o imóvel foi parcialmente destruído por um incêndio e, em junho de 2017, encontrava-se sinalizado pela Saúde Pública após ter sido ocupado por sem-abrigo.

Em declarações à Lusa, Carvalhido da Ponte referiu hoje que a Fundação quer “inspirar-se nos bons modelos” existentes no país, apontando, além de Serralves, no Porto, os exemplos da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, e a Cupertino de Miranda”, também no Porto, entre outros.

“Queremos criar um espaço à dimensão do solar dos Quesados e à dimensão de Viana do Castelo, mas inspirado nas coisas boas que se fazem no país”, afirmou.

O responsável escusou-se a apontar um prazo e uma estimativa do investimento do projeto, que, frisou, “vai ser pensado, calmamente”.

“Temos sede própria. Não estamos pressionados e por isso vamos trabalhar no projeto com tranquilidade”, reforçou, acrescentando que, “ainda este ano, serão realizadas obras no exterior do solar para evitar que a degradação se acentue”.

A intenção da Fundação é instalar naquele imóvel a sua sede para “ganhar dimensão e visibilidade”.

“O espaço que ocupamos tornou-se pequeno para a nossa atividade. Estamos a romper pelas costuras e precisamos de um novo fato. Temos de dar o salto para transformamo-nos numa grande fundação”, explicou.

Carvalhido da Ponte adiantou ser necessária “uma galeria de arte e um auditório maiores” para acolher os eventos que a Fundação promove, bem como para expor o espólio que possui, “algum atualmente empacotado por falta de espaço”.

“Ajudamos a resolver um cancro da cidade e queremos dar-lhe uma utilização nobre, compatível com a nobreza do imóvel”, reforçou.

Além de “polo difusor de arte, cultura, educação e justiça social, o projeto prevê a utilização do espaço a criar pelas associações culturais e escolas, entre outras instituições”.

O imóvel encontra-se situado junto à Escola Secundária Maria Maior, frequentada por mais de 700 alunos.

Em janeiro, o presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, chegou a anunciar que iria candidatar a reabilitação do imóvel a fundos comunitários para criar um espaço cultural ao serviço da comunidade.

A Fundação Caixa Agrícola do Noroeste foi criada em 2011 “com a finalidade de promover o mutualismo e ações de caráter cultural, educativo, artístico, social e filantrópico, na sua área geográfica de ação, que abrange o concelho de Barcelos (Braga) e o distrito de Viana do Castelo.

Anúncio

Viana do Castelo

Viana: DJ’s ‘passam’ música a bordo do Gil Eannes com transmissão para 16 países

DJs Mayze X Faria

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O navio-museu Gil Eannes recebeu um projeto da dupla de DJs Mayze X Faria que será transmitido, na sexta-feira, através de 38 páginas nas redes sociais para 16 países, informou hoje a Câmara de Viana do Castelo.

Em causa, segundo um comunicado da autarquia, está um projeto de vídeo X Places, que “tem como objetivo unir natureza e música, dando a conhecer lugares de excelência espalhados um pouco por todo o país”.

A transmissão da sessão da dupla composta por John Mayze e Miguel Faria,gravada a bordo do navio-museu, ancorado há 22 anos na doca comercial de Viana do Castelo, acontece na sexta-feira, pelas 19h30.

O evento, gravado a bordo do navio Gil Eannes, será transmitido por mais de páginas de música, rádios e temáticas variadas.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Surfistas sensibilizados para não ocuparem zonas de banhistas em Viana

Praia de Cabedelo

em

Foto: AMN

Praticantes de surf, windsurf e kitesurf foram sensibilizados pela Polícia Marítima de Viana do Castelo para não ocuparem zonas de banhistas na praia do Cabedelo, anunciou hoje aquela autoridade.

A ação decorreu na passada quinta-feira, durante a tarde, com os agentes e os nadadores-salvadores da Coordenada Decimal, em conjunto com uma mota de água da Estação Salva-Vidas, levando a que os praticantes da modalidade percebessem que não podem utilizar certas zonas reservadas a banhos.

“​A praia do Cabedelo tem um conjunto de fatores que propiciam a sua procura pelos praticantes daquelas modalidades, o que leva a uma sobrelotação dos espaços criados para o efeito, levando por vezes à ocupação indevida das zonas de banhos”, refere nota da Polícia Marítima.

“Foram ainda abordados e sensibilizados diversos utentes que circulavam no Domínio Público Marítimo, em deslocações de curta duração para efeitos de fruição de momentos ao ar livre, desrespeitando as medidas relativas ao distanciamento, tendo sido indicado que é importante que se cumpram as medidas para conter a propagação da doença covid-19, indicação que foi prontamente acatada”, refere ainda a autoridade.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Apreendidas 10 toneladas de tintureira e tubarão anequim em Viana do Castelo

Pesca ilegal

em

Foto: Divulgação / GNR

A Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da GNR apreendeu, em Viana do Castelo, cerca de 10 toneladas de espécies de tubarão com o valor estimado de 11.300 euros, tendo identificado dois armadores, revelou hoje aquela força.

Em comunicado enviado à imprensa, a GNR explica que os “militares da Guarda apuraram que dois navios de pesca estavam a capturar tintureira ou tubarão-azul, ‘Prionace glauca’, e tubarão anequim, ‘Isurus oxyrinchus’, sem estarem licenciadas para tal”.

“Por se encontrarem com as autorizações de pesca suspensas, estas embarcações incorrem em infrações puníveis com coimas máximas de 37.500 euros. No total, foram apreendidos 9.021 quilos de tintureira e 911 quilos de tubarão anequim”, especifica a nota sobre a apreensão daquele pescado, realizada na quinta-feira.

Além da identificação dos mestres das duas embarcações, de 48 e 58 anos, os militares da GNR elaboraram dois autos por contraordenação, por pesca destas espécies sem licença, sendo posteriormente vendido em lota.

A operação decorreu numa ação conjunta da Direção-Geral de Recursos Naturais Segurança e Serviços Marítimos (DGRM).

Já na quarta-feira, também em Viana do Castelo, a UCC da GNR apreendeu 3.213 quilogramas de tintureira, com o valor estimado de 6.426 euros e identificou o mestre da embarcação por pesca sem licença.

Continuar a ler

Populares