Seguir o O MINHO

Futebol

Sociedade portuguesa “deve atuar no combate” ao racismo, diz Pedro Proença

Caso Marega

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, disse hoje que a sociedade portuguesa deve atuar no combate ao racismo, violência, xenofobia e intolerância.


A Liga vai lançar durante este fim de semana uma campanha com o nome ‘Não’, que decorrerá durante a 22.ª jornada das I e II ligas, numa resposta ao incidente dos insultos racistas ao futebolista do FC Porto Moussa Marega, durante o encontro entre Vitória de Guimarães e ‘dragões’ da 21.ª jornada – vitória ‘azul e branca’ por 2-1 -, em que o avançado maliano abandonou o recinto de jogo.

“A primeira mensagem que deixo é que a sociedade portuguesa deve dar uma resposta no combate ao racismo, violência, xenofobia e intolerância. A Liga está desde 2015 na primeira linha deste combate e esta campanha é mais um sinal de intolerância para com estes fenómenos”, disse hoje à agência Lusa Pedro Proença.

Como ação imediata, além desta campanha, Pedro Proença disse que agora “vão ser revistos todos os artigos do regulamento disciplinar da Liga e vai ser pedido um agravamento no que concerne ao combate à violência, racismo e intolerância”.

“Deste modo, pretendemos que já para o ano haja um agravamento claro, para que comportamentos destes sejam erradicados do futebol”, sublinhou.

Pedro Proença lembrou ainda que “na responsabilização penal, estes comportamentos são crime, pelo que é necessária rapidez nas decisões em casos como o de Guimarães e noutros semelhantes”, tendo salientado ainda que, apesar de a Liga querer liderar o processo, “é necessário que os poderes executivo e judicial cumpram as suas obrigações nesta matéria”.

Anúncio

Futebol

Afinal, Guimarães não deverá receber ‘oitavos’ da ‘Champions’

Liga dos Campeões

em

Foto: DR / Arquivo

Os jogos dos oitavos de final da Liga dos Campeões não deverão realizar-se em Guimarães e Porto, como estava em cima da mesa.

Segundo o jornal espanhol AS, apesar da intenção da UEFA de as partidas se disputarem em campo neutral – no caso, em Portugal, onde será disputada a fase final – a pressão de Manchester City e Barcelona para jogar nos seus estádios terá levado a melhor.

Aquele jornal adianta ainda que o anúncio formal da UEFA dos estádios onde se realizarão os ‘oitavos’ da ‘Champions’ será feito na sexta-feira aquando dos sorteios dos quartos de final, meias finais e final.

A 17 de junho, a UEFA anunciou que a Liga dos Campeões, suspensa em março devido à pandemia de covid-19, seria definida através de uma inédita “final a oito” a realizar em campos neutros, em Lisboa, nos estádios da Luz (Benfica) e José Alvalade (Sporting), entre 12 e 23 de agosto.

Os jogos dos quartos de final terão lugar entre 12 e 15 de agosto, enquanto as meias-finais realizar-se-ão a 18 e 19, e a final a 23.

Continuar a ler

Futebol

FC Porto vence Belenenses SAD e consolida liderança da I Liga

30.ª jornada

em

Foto: Arquivo

O FC Porto restabeleceu hoje a vantagem de seis pontos na liderança da I portuguesa de futebol sobre o perseguidor Benfica, ao vencer por 5-0 o Belenenses SAD, em jogo da 30.ª jornada da prova.

Os golos de Soares (31 minutos), Marega (58), Alex Telles (75, de grande penalidade), Fábio Vieira (82) e Luis Díaz (90+2) permitiram à equipa portuense conquistar o terceiro triunfo seguido na prova, em contraponto com os lisboetas, que não vencem há cinco partidas.

A quatro rondas do fim do campeonato e com 12 pontos em disputa para cada equipa, o FC Porto reforçou o comando, com 73 pontos, mais seis do que o campeão Benfica, segundo classificado, enquanto o Belenenses SAD manteve-se no 14.º lugar, com 31, a quatro da zona de despromoção.

Continuar a ler

Futebol

“Uma vitória do clube, da cidade, de toda a gente que nos apoia”

João Pedro Sousa

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações após o jogo Tondela-Famalicão (0-1), da 30.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado hoje no Estádio João Cardoso, em Tondela:

João Pedro Sousa (treinador do Famalicão): “São muitos minutos com 10 jogadores, felizmente, o segredo está no treino, porque treinamos com muita frequência este tipo de situações que podem acontecer no jogo e estamos preparados para elas e, quando acontecem, estamos prontos para dar resposta.

Foi um golo muito bonito, felizmente já tivemos outros no passado e é uma vitória de toda a gente, uma vitória do clube, da cidade, de toda a gente que nos apoia, portanto, está toda a gente de parabéns e o Fábio [Martins] também pelo golo que fez.

Para nós foi extremamente importante esta vitória por uma razão muito simples: queríamos regressar ao nosso jogo, porque a última jornada deixou-nos muito tristes.

Era ponto de honra nós, hoje, aqui em Tondela, fazermos regressar a nossa forma de jogar e foi isso que aconteceu. Isso permitiu-nos subir um lugar na classificação e estamos a quatro jornadas do fim.

Estamos há muitas jornadas, muito tempo, no primeiro terço da tabela e estamos à frente de equipas como, por exemplo, o Rio Ave e o Vitória, que são duas equipas muito boas, muito competitivas, muito competentes e é um orgulho para nós e prova a excelência da época que estes jogadores estão a fazer e estão de parabéns.

Faltam quatro jogos e o nosso objetivo é exatamente o mesmo, é tentar ganhar os quatro jogos que restam. Se o nosso objetivo é ganhar os quatro jogos, obviamente que nos garante, no mínimo, o mesmo lugar. Não temos problema nenhum em admitir isso. Queremos ganhar os quatro jogos, queremos fazer 12 pontos, para terminar a época”.

Natxo González (treinador do Tondela): “Nós gostamos de criar ocasiões [de golo] contra 11, contra dez, embora contra dez seja mais fácil de reparar. (…) Vamos analisar. Foram cinco minutos de descontos quando, em outros campos foram oito a 10 minutos. Somos os mais parvos da I Liga. Veem-nos com cara de parvos.

Não termos feito pontos hoje parece-nos incrível, mas, uma vez mais, enquanto treinador, estou satisfeito. Não nos dá para ganhar e a diferença poderá ter sido que eles estão a jogar para a [qualificação para a Liga] Europa, com um grande golo de [Fábio] Martins, e a nós custa-nos muito fazer golo e por isso estamos como estamos.

Eles tiveram o talento e a sorte. (…) Faltou-nos fazer o golo. É muito difícil, mas demos tudo o que temos, fisicamente, em muitos momentos com um bom jogo, com muito jogo na área rival e é isso que temos de continuar a fazer, a diferença está na eficácia na área do adversário e é também por isso eles estão a lutar pela Europa e nós pela manutenção.

Vamos sofrer até ao último minuto do último jogo. Já temos isso claro há umas semanas, mas há que viver com isso, com tranquilidade e fazer o que fizemos no Belenenses, no Famalicão.

Cada um recebe o que merece e o prémio final será a manutenção e se não a merecermos, não teremos, mas tenho bem presente que, até ao último minuto, vamos sofrer”.

Continuar a ler

Populares