Seguir o O MINHO

Região

Sistelo (Arcos de Valdevez) vence prémio nacional “Autarquia do Ano” em Turismo

Prémios Autarquias do Ano

em

Foto: Divulgação

A Junta de Freguesia de Sistelo foi premiada, esta quinta-feira, com o prémio “Autarquia do Ano”, na categoria de Turismo, nesta que é a primeira edição destes galardões realizada pela Lisbon Awards Group.


Conhecida como “o Tibete português”, Sistelo arrebatou os outros nomeados e foi a única autarquia a ser premiada com o galardão dedicado ao turismo, por entre 14 prémios atribuídos neste concurso.

Recentemente, a aldeia de Sistelo foi reconhecida na lista dos 15 destinos menos desconhecidos a descobrir na Europa através do prémio “European Best Destinations”, que valeu a menção na revista Forbes.

Trilhos de Sistelo. Foto: DR

Foto: DR

Castelo de Sistelo. Foto: CM Arcos de Valdevez

Também a Câmara de Vila Nova de Cerveira foi distinguida com o prémio “Cidadania” pelo seu projeto de orçamento participativo “Participação Pública Sem Fronteiras”.

Com um total de 14 vencedores, a Junta de Santo António (Lisboa) e a Câmara de Castelo Branco destacaram-se nesta primeira edição.

“Devido à situação em que o mundo se encontra, o anúncio foi feito em formato digital, através de um live no Facebook, dando a garantia de segurança a quem quis assistir”, refere a organização do evento, em comunicado enviado a O MINHO.

Esta foi a primeira edição do Prémio Autarquia do Ano, que contou com um total de 14 freguesias e municípios vencedoras, existindo algumas que arrecadaram prémios em mais do que uma subcategoria.

No total foram entregues 21 prémios, aos 14 vencedores, com destaque na junta freguesia de Santo António, na categoria de Apoio Social, e 3 grandes prémios para a Câmara Municipal de Castelo Branco que foi vencedora em 4 subcategorias.

Como bonificação vão receber um troféu, que será posteriormente entregue, uma vez que o anúncio dos prémios foi exclusivamente online, e a possibilidade de utilizarem o selo de “Prémio Autarquia do Ano” na sua subcategoria, em todos os materiais próprios de comunicação, se assim o desejarem.

Arcos de Valdevez: Mais de 173 mil euros para promoção e sensibilização de Sistelo

Os projetos foram avaliados pelos jurados Alberto Jorge Teixeira, Diretor Nacional da ANJE; Eduardo Correia, CEO do Taguspark e Professor Universitário no INDEG-ISCTE; Francisco Proença de Carvalho, Partner da Uría Menéndez – Proença de Carvalho; Miguel Ribeiro Ferreira, CEO da Fonte Viva, e Pedro Pimentel, General Manager da Centromarca.

O Prémio Autarquia do Ano é um projeto do Lisbon Awards Group e foi criado com o intuito de homenagear os municípios e freguesias que se destacaram nas mais diversas áreas, com práticas inovadores e uma gestão rigorosa pelo interesse público.

As autarquias concorrem para diferentes categorias, nomeadamente: Apoio Social, Cultura e Património, Democracia, Igualdade e Participação Cívica, Desporto e Vida Saudável, Economia, Educação, Mobilidade, Segurança, Saúde e Proteção Civil, Turismo e Urbanismo e Espaços Verdes.

Anúncio

Braga

Mais 14 infetados com covid durante a semana no concelho de Braga

Pandemia

em

Foto: DR / Arquivo

O concelho de Braga registava, até ao final da tarde de quinta-feira, 1.439 casos acumulados de infetados com covid-19 desde o início da pandemia, mais 14 do que na passada segunda-feira, apurou O MINHO junto de fonte local da saúde.

Destes, 1.341 estão recuperados, ou seja, mais cinco desde o último balanço feito pelo nosso jornal. Lamentam-se ainda 74 óbitos, número que permanece igual desde o passado dia 16 de junho.

Existem, atualmente, 24 casos ativos de covid-19 em todo o concelho de Braga, mais nove do que na segunda-feira.

Estes dados são apurados por O MINHO junto de fonte local do setor da saúde e não coincidem com os divulgados pela Direção-Geral de Saúde (DGS), no qual o concelho de Braga regista 1.280 acumulados.

Continuar a ler

Braga

No meio do inferno da Póvoa de Lanhoso, ainda houve tempo para salvar um cão

Póvoa de Lanhoso

em

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Ricardo Martins e Ana Catarina Silva, bombeiros da corporação da Póvoa de Lanhoso, ainda tiveram forças para tratar de um cão, durante o grande incêndio que deflagrou esta tarde numa indústria de calçado naquele concelho.

Depois de dominado o incêndio, os dois bombeiros acudiram ao apelo dos proprietários da empresa ardida, que buscavam por um cão que julgavam dentro do edifício que tinha sido tomado pelas chamas.

Mas o cão sobreviveu quase incólume e apareceu junto dos bombeiros que não lhe negaram tratamento. Segundo conta Ricardo Martins a O MINHO, o cão acabou por aparecer no final do incêndio, quando já se julgava que o mesmo tinha perecido perante a inalação de fumo ou mesmo com as chamas.

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Visivelmente exaustos depois do combate a um dos maiores incêndios industriais da Póvoa de Lanhoso nos últimos anos, os dois bombeiros ainda conseguiram ter força para tratar do ‘patudo’.

“Nós tratamos dos animais como tratamos de um ser humano, vamos arranjar forças mesmo quando elas falham”, disse Ricardo. Conta que o cão se aproximou dele e da colega com várias queimaduras no pêlo e bastante desidratado.

Foto: Ivo Borges / O MINHO

“Tinha algumas queimaduras no pêlo mas não chegaram a atingir a pele. Tratámos dele mas era pouca coisa, nem houve necessidade de alertar um veterinário”, assegura.

Para além do tratamento do pêlo, tiveram ainda de hidratar o animal que esteve algumas horas desaparecido por entre as chamas e o fumo da fábrica de calçado que ardeu em 50%, na zona industrial de Vilela.

Incêndio em indústria de calçado foi “dos piores de sempre” em Póvoa de Lanhoso

No local estiveram 30 bombeiros da Póvoa de Lanhoso apoiados por outros 33 de várias corporações do distrito de Braga.

Continuar a ler

Braga

Mulher de Lisboa ferida em cascata no Gerês. A segunda no mesmo dia

Mata da Albergaria

em

Foto: O MINHO

Uma mulher de 41 anos sofreu ferimentos na sequência de uma queda numa cascata no Gerês, ao final da tarde desta sexta-feira, disse a O MINHO fonte da Cruz Vermelha.

A vítima, residente em Cascais, caiu de uma altura de dois metros na cascata da Mata da Albergaria, situada entre o Gerês e a Portela do Homem.

Segundo explicou Jacob Alves, coordenador da Cruz Vermelha de Rio Caldo, a mulher terá sofrido fatura a nível de um membro superior e várias escoriações, resultantes da queda na cascata.

Foto: O MINHO

Foto: O MINHO

Para o local foi mobilizada a Cruz Vermelha de Rio Caldo que efetuou o transporte da vítima para o Hospital de Braga.

Para ajudar na estabilização e transporte da vítima da cascata até à ambulância foram mobilizadas duas equipas da UEPS da GNR e elementos do ICNF, para além de uma patrulha da GNR.

Também a VMER de Braga esteve no local por se suspeitar de ferimentos graves, algo que acabou por não se confirmar, sendo considerado “ferido ligeiro”.

Esta foi a segunda queda com ferimentos no mesmo dia. Por volta das 15:00 horas desta sexta-feira, uma mulher de 43 anos sofreu ferimentos graves, partindo anca e pernas, depois de uma queda de vários metros na cascata da Portela do Homem.

Continuar a ler

Populares