Seguir o O MINHO

Braga

Sindicato acusa Braval de discriminar trabalhadores

em

Foto: DR/Arquivo

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) acusou hoje a Braval, responsável pelo tratamento de resíduos sólidos que tem como acionistas vários concelhos do distrito de Braga, de discriminar os seus trabalhadores em relação aos das autarquias.

Em comunicado enviado à Lusa, o STAL apontou a existência de 43 contratos de vinculo precários e que contratos a tempo parcial por 30 horas semanais é “a outra forma de contratação predominante na Braval.

A Lusa tentou confrontar a Braval com as acusações daquele sindicato, mas até ao momento não foi possível.

“É uma forma de contratação precária e discriminatória em relação aos trabalhadores com vínculo às autarquias. O STAL reafirma a exigência de igualdade de tratamento para os trabalhadores da empresa face aos seus colegas com vínculo às autarquias”, lê-se.

O texto refere que “qualquer trabalhador das autarquias acionistas da Braval, com contratos de trabalho a tempo completo e em regime de jornada contínua, presta igual número de horas de trabalho (seis horas diárias e 30 semanais), auferindo, no mínimo, um vencimento base mensal ilíquido de 580 euros”.

Em contrapartida, explana, “os trabalhadores da Braval, que exercem funções similares e cujos empregadores são em última instância os seis municípios acionistas da empresa (Braga, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Amares, Vila Verde e Terras de Bouro), auferem um salário base ilíquido de apenas 435 euros mensais (387 euros líquidos), acrescido do subsídio de alimentação (6,91 euros por dia)”.

O STAL defende que a forma de contrato de trabalho a tempo parcial é “claramente penalizadora e não desejada pelos trabalhadores da Braval”, apelando “à intervenção dos municípios acionistas no sentido de estabelecerem a igualdade de tratamento e de condições de trabalho no universo dos serviços municipais, respeitando o princípio do tratamento mais favorável do trabalhador e as disposições constitucionais que regem esta matéria”.

À Braval, aquele sindicato “exige que celebre contratos a tempo completo com os seus trabalhadores, com o horário máximo de 35 horas semanais, garantindo-lhes, pelo menos, o salário mínimo nacional, remuneração que, reconhecidamente, está longe de assegurar uma vida condigna a quem depende unicamente do seu trabalho”.

O STAL sublinha que “o espírito do legislador aponta para a celebração de contratos a tempo completo e sem termo, quando estes se destinam a suprir a necessidades permanentes das entidades empregadoras, como é indubitavelmente o caso da Braval”.

O sindicato refere que “a celebração de outro tipo ou forma contratual (contrato a termo, a tempo parcial, trabalho intermitente) é a exceção, exceção essa que deve ser devidamente fundamentada, tendo em conta particulares exigências da empresa, sobretudo, quando está em causa satisfazer necessidades de trabalho temporárias ou acréscimos ocasionais de atividade”.

O STAL reitera “a firme disposição de recorrer a todos os meios ao seu alcance, para mobilizar e organizar a justa luta dos trabalhadores da Braval, com vista a pôr termo à situação precária e discriminatória que lhes é imposta e pela conquista de melhores condições de trabalho e de vida que lhes são devidas”.

Anúncio

Braga

Delegado de saúde de Braga alerta para onda de calor: “Pode matar”

Saúde pública

em

Foto: Ilustrativa / DR

Face ao alerta amarelo e às temperaturas elevadas esperadas até final do fim de semana, o delegado de saúde dos agrupamentos de saúde Cávado I (Braga) João Manuel Cruz elaborou alguma informação, á qual O MINHO se associa, de forma a divulgar os riscos a evitar durante este período.

QUAIS OS RISCOS DO CALOR ?

A exposição a calor intenso é uma agressão para o organismo, podendo conduzir a desidratação, ou agravamento de doenças crónicas, a um esgotamento ou a um golpe de calor.

Deve ter em atenção certos sintomas associados a um esgotamento por calor, tais como cãibras musculares, cansaço, fraqueza, desmaio, náuseas e vómitos, respiração rápida e superficial, grande transpiração, palidez, pele fria e húmida, pulso fraco e rápido e dor de cabeça.

O RISCO MAIS GRAVE

O golpe de calor é a situação mais grave e pode provocar danos irreversíveis à saúde e até levar à morte. Os principais sintomas são febre alta, dores de cabeça, tonturas, pulso rápido e forte, náuseas, confusão, perda de consciência, contracções musculares e pele vermelha, quente e seca, sem suor.

São mais vulneráveis ao calor:
• Crianças nos primeiros anos de vida
• Idosos
• Portadores de doenças crónicas (cardiovasculares, respiratórias, renais, diabetes e alcoolismo)
• Obesos
• Acamados
• Pessoas com problemas de saúde mental
• Pessoas que tomam medicamentos, tais como, anti-hipertensores, antiarrítmicos, diuréticos, antidepressivos, neurolépticos, entre outros.

Proteja-se do Sol e do calor

• Evite a exposição directa ao Sol, em especial, entre as 11 e as 16 horas
• Na praia, mesmo debaixo do chapéu de sol não está protegido. A água do mar também reflecte os raios solares podendo provocar queimaduras solares
• Sempre que se expuser ao Sol ou andar ao ar livre, use protector solar (índice>30)
• Use chapéu e óculos escuros (especialmente para pessoas de pele clara). Proteja a cabeça das crianças com chapéu de abas
• Use roupa solta, de preferência de algodão e aplique sempre protector solar
• Nos dias de grande calor, os bebés e os idosos não deverão ir à praia
• Diminua os esforços físicos e repouse frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados

Beba e faça uma alimentação equilibrada

• Aumente a ingestão de água ou de sumos de fruta naturais, sem adição de açúcar, mesmo sem ter sede
• Evite bebidas alcoólicas e com elevados teores de açúcar
• Faça refeições leves, pouco condimentadas e mais frequentes

Os recém-nascidos, as crianças, as pessoas idosas e as pessoas doentes podem não sentir sede. Ofereça- lhes água!

Refresque-se

• Permaneça 2 a 3 horas por dia num ambiente fresco. Se isso não for possível em sua casa, visite centros comerciais, museus, cinemas ou outros locais com ar condicionado.
• No período de maior calor tomar um banho de água tépida. Evite, no entanto, mudanças bruscas de temperatura.

Em casa

• Evite que o calor entre. Corra as persianas ou portadas e mantenha o ar a circular
• Abra as janelas durante a noite
• Use menos roupa na cama, sobretudo, dos bebés e doentes acamados.

Em viagem

• Se o carro não tiver ar condicionado não feche completamente as janelas
• Leve água ou sumos de fruta naturais sem adição de açúcar
• Sempre que possível viaje de noite
• Evite a permanência em viaturas expostas ao Sol, em especial, de crianças, doentes ou idosos

PROCURE E DÊ AJUDA

• Não hesite em pedir ajuda a um familiar ou vizinho no caso de se sentir mal com o calor
• Informe-se periodicamente sobre o estado de saúde das pessoas isoladas, idosas ou com dependência que vivam perto de si e ajude-as a protegerem-se do calor

No caso de

• Sofrer doença crónica ou estiver a fazer uma dieta com pouco sal ou restrição de líquidos
• Estar a tomar medicamentos
• Ter sintomas pouco habituais

Consulte o seu médico ou contacte a SAÚDE 24 (808 24 24 24).

Uma vítima de um golpe de calor corre risco de morte. São indispensáveis cuidados médicos de emergência. LIGUE 112.

Continuar a ler

Braga

Condutor que atropelou ciclista em Braga continua em fuga e arrisca pena de prisão até 2 anos

Crime

em

Imagem via Google Maps

O condutor que atropelou um ciclista num dos túneis da Avenida Imaculada Conceição, na cidade de Braga, ainda não se entregou às autoridades, apurou O MINHO junto de fonte da PSP.

O MINHO sabe que a PSP está a tentar apurar a identidade do homem mas a ausência de testemunhas não permite uma maior agilização do processo. O carro seguiria em excesso de velocidade no túnel da intersecção com a Avenida João XXI quando terá abalroado um ciclista de 65 anos, projetando a vítima. Recorde-se que o ciclista circulava legitimamente naquela infraestrutura.

O acidente ocorreu por volta das 10:30 da manhã de domingo, com a vítima a ser assistida no local pelos Bombeiros Voluntários de Braga e transportada de urgência para o Hospital de Braga, onde deu entrada com ferimentos graves.

Já o condutor do veículo automóvel colocou-se em fuga não prestando assistência, incorrendo em crime de omissão de auxílio após acidente criado pelo próprio, punível com pena de prisão até dois anos ou multa até 240 dias.

Continuar a ler

Braga

Vila Verde: Bênção dos animais de Mixões da Serra cancelada pela primeira vez em 400 anos

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

A Confraria de Santo António Mixões da Serra, freguesia de Valdreu, concelho de Vila Verde, anunciou hoje que foram canceladas a tradicional e secular bênção dos animais, agendada para 07 de junho, assim como as festividades em honra de Santo António de Mixões da Serra, no dia 13 de junho.

“É com enorme pesar e tristeza, mas com um grande sentido de responsabilidade social”, que a Confraria de Santo António de Mixões da Serra, informa que, atendendo ao contexto de contenção da pandemia covid-19 e de acordo com as normas emanadas pela Direção-Geral da Saúde e pela Conferência Episcopal Portuguesa, pela primeira vez na história, as festas serão canceladas.

De acordo com informação disponibilizada no ‘site’ da Câmara de Vila Verde, manter-se-ão as celebrações da eucaristia, com as devidas precauções e restrições obrigatória, no dia 07, pelas 15:00 (dentro do Santuário com transmissão áudio para o exterior) e no dia 13, pelas 11:00 (eucaristia campal, no recinto do Santuário.)

As habituais procissões e toda a programação de animação não se realizarão tendo em conta comunicado da Comissão Episcopal Portuguesa”, que refere que “procissões, festas, concentrações religiosas, acampamentos e outras atividades similares passíveis de forte propagação da epidemia ficarão adiados para o próximo ano pastoral”.

Continuar a ler

Populares