Seguir o O MINHO

Braga

Sindicalista acusa ‘call center’ de Braga de o suspender “sem motivos”

Call center situado na Estação de Braga

em

Foto: STCC

Um dirigente de Braga do Sindicato dos Trabalhadores de Call Center (STCC) acusou esta quinta-feira a Randstad de o ter suspendido de funções há dois meses “sem motivos” e diz que a questão começa a “configurar-se um caso de perseguição sindical”.

Esta tarde, em conferência de imprensa, Nuno Geraldes deu conta de que foi convidado a demitir-se e que perante a sua recusa foi suspenso no dia seguinte, faz “precisamente hoje 2 meses”, embora esteja a receber o vencimento, ainda que não por inteiro.

“Não há nenhuma situação em particular. Já trabalho aqui ainda isto pertencia à IBM, trabalhei para a ADECCO, agora para a Randstad, e nunca houve problema com nenhuma das entidades patronais. Sou reconhecido, quer por eles quer pelos colegas, como um trabalhador exemplar, quer a nível técnico quer na relação com os outros”, referiu o sindicalista.

A Lusa tentou entrar em contacto com a Randstad, empresa holandesa especializada em soluções de trabalho flexível e recursos humanos, que funciona no edifício da Concentrix, em Braga, mas até ao momento não foi possível.

Nuno Geraldes explicou que lhe foi feita “uma proposta para abandonar” a empresa e que perante a recusa foi suspenso: “Foi colocada uma carta à frente, a dizer que estaria suspenso para investigação de algo que é uma situação gravíssima, mas não diz qual é e não há qualquer prova”, garantiu, sem querer, no entanto explicar a que situação a carta se referia.

Segundo o sindicalista “tendo em conta os prazos, sem acusação, começa a configurar-se como um caso de perseguição sindical”.

O dirigente garante que não quer deixar de trabalhar e que o seu objetivo é a “reintegração na empresa, para exercer a atividade profissional e sindical”.

O STCC salientou, através do dirigente Manuel Afonso, que o prazo para a “apresentação da nota de culpa já foi superado” e exigiu o retorno de Nuno Geraldes às suas funções, garantindo o apoio do sindicato para que tal aconteça.

“Estamos convencidos (…) que a empresa não terá grandes alternativas. Queríamos que o assunto se resolvesse antes de darmos um passo em frente, ou seja, avançar com uma queixa na Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) e, se for necessário, seremos obrigados a avançar diretamente para a justiça”, disse.

Anúncio

Braga

Câmara de Vila Verde aprova tarifário “reduzido” para transportes públicos

Mobilidade

em

Foto: Ilustrativa / DR

A Câmara de Vila Verde aprovou hoje um tarifário reduzido para os transportes públicos, que estipula um limite máximo de 20 euros para os passes sociais com destino aos distritos de Braga e Viana do Castelo.

Em comunicado, a Câmara refere que a proposta hoje aprovada está enquadrada nos objetivos do Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART) de fomento dos transportes coletivos e de garantia de uma maior acessibilidade económica ao transporte público, “concorrendo, assim, para uma maior qualidade ambiental e para reduzir as despesas familiares neste capítulo”.

A proposta sublinha que o transporte individual “é responsável pela emissão de mais de um quarto dos gases com efeito de estufa, revelando-se importante promover uma mudança de paradigma, alterando os padrões de mobilidade das populações através de uma maior utilização dos transportes públicos”.

Com a mesma proposta, acrescenta o comunicado, a Câmara pretende aproveitar o PART “para levar a bom porto uma política pública de mobilidade tendente a reforçar a coesão territorial e social, no concelho de Vila Verde”.

No pressuposto de que “os hábitos de mobilidade devem ser criados e incrementados, em especial no público juvenil e universitário”, a Câmara propõe-se ainda alargar a gratuitidade do transporte escolar ao ensino universitário, para todos os alunos contemplados com bolsa de estudo.

Aos demais estudantes, o município comparticipará os custos de deslocação, de modo a que os encargos com os respetivos passes rodoviários tenham também um custo máximo de 20 euros.

“A mobilidade sustentável e a aposta numa política de forte apoio às famílias vilaverdenses emergem, assim, como dois importantes vetores de uma consistente estratégia de modernização e desenvolvimento sustentado do território concelhio”, refere ainda o comunicado.

Citado no comunicado, o presidente da Câmara, António Vilela (PSD), refere que “o estímulo à utilização de transportes públicos, com custos extremamente reduzidos para as famílias vilaverdenses, serve o duplo objetivo de preservação do equilíbrio ambiental e de consolidação de políticas ativas de apoio social, ao mesmo tempo que, a par da atribuição de bolsas de estudo, proporciona o acesso de um crescente número de jovens ao ensino superior.”

Continuar a ler

Braga

‘Piratas’ desviam mais de um milhão de euros de contas bancárias em Braga

‘Phishing’

em

Foto: DR / Arquivo

Apoderaram-se de cerca de um milhão de euros provenientes de contas bancárias que não lhes pertenciam. Um grupo de piratas informáticos terá cometido mais de uma dezena de furtos através do conceito de phishing, estando agora em investigação pelo Ministério Público.

Segundo a edição impressa do Jornal de Notícias desta segunda-feira, o processo conta já com cerca de 55 arguidos, entre cabecilhas e os próprios informáticos, que agiam sobretudo na região do Minho.

Para se apoderarem do dinheiro, em grande número através de contas do Montepio, utilizavam falsos emails onde solicitavam o número de conta, número dos cartões de crédito, identidade, entre outros documentos.

Quase sempre agiam em nome do próprio banco, nos emails, induzindo os clientes ao erro, pensando tratar-se de correspondência legítima da entidade bancária. Só numa conta, terão desviado 10 mil euros. Atuaram entre 2013 e 2018, segundo a acusação

Continuar a ler

Braga

Vem aí uma rede pedonal ribeirinha no Gerês (entre Rio Caldo e Vilar da Veiga)

Junto à Caniçada

em

Foto: Divulgação / CM Terras de Bouro

A primeira fase das obras de construção da rede pedonal estruturante e acessível de ligação às centralidades de Rio Caldo e Vilar da Veiga, mais concretamente, entre o lugar do Alqueirão e o lugar do Bairros, devem iniciar brevemente, anunciou hoje o município de Terras de Bouro.

Antes dos início das obras, começam esta segunda-feira a ser realizados trabalhos preliminares de limpeza de taludes e, em parceria com a EDP-Distribuição, mudança do respetivo ramal elétrico na área em causa.

Em comunicado, “pelo facto e pelo transtorno causado durante estas obras, o Município de Terras de Bouro apela à melhor compreensão e solicita a todos os que, normalmente, usam o troço em causa, um maior cuidado na utilização e circulação pela via abrangida”.

Continuar a ler

Populares